Clique e assine por apenas 8,90/mês

Ford F-150: o best-seller americano

Andamos na nova geração da picape, o peso pesado que há décadas é o veículo mais vendido dos Estados Unidos

Por Péricles Malheiros - Atualizado em 23 nov 2016, 19h42 - Publicado em 23 jun 2015, 13h06
Ford F-150
A picape é um exagero: são 6,2 metros de comprimento

Assistir a um jogo da NBA abraçado a um balde de pipoca, ir à noite de pijama ou camisola ao shopping ou supermercado, fazer churrasco de hambúrguer no fim de semana: junte as três situações e ainda assim não terá um símbolo mais americano que uma Ford F-150.

Nos Estados Unidos, você olha para o lado e vê passando ao menos uma das 13 gerações da Série F – “F Series”, como dizem lá. As empresas de TV a cabo têm, as de entrega expressa também, assim como executivos, aventureiros, médicos, fazendeiros, aposentados. E ela ainda é unissex: tem muita mulher dona de F-150.

Fomos até a casa da Ford, em Detroit (EUA), para entender melhor esse hit americano. A explicação começa com seu catálogo, que mais parece um menu configurável de lanchonete. São quatro motores (três V6 e um V8), cabines simples (RegularCab), estendida (SuperCab) ou dupla (SuperCrew), 4×2 ou 4×4 e cinco versões (XL, XLT, Lariat, King Ranch e Platinum, como a das fotos), mas repletas de opcionais e acessórios.

E ainda falta a Raptor, que deve ser lançada até o final de 2016, com esperados 450 cv e 70,5 mkgf de torque, além de toda a preparação nos freios, suspensão e outras partes mecânicas para enfrentar corridas off-road com toda a naturalidade.

Continua após a publicidade
Ford F-150
Leds contornam as lanternas. O vidro traseiro possui uma parte basculante

O câmbio é sempre uma caixa automática de seis marchas. Porte e preço variam bastante. Dependendo da versão, a nova F-150 tem comprimento de 5,32 metros (3,11 de entre-eixos) a 6,36 metros (4,16 metros de entre-eixos, mais que um Sandero inteiro, com 4,06).

A tabela de preços, lógico, reflete a distância de conteúdo e porte entre as versões, variando de US$ 25 800 a US$ 63 690.

“A Ford analisa muito o comportamento do consumidor. Com o tempo, vimos que, além de se tornar um símbolo tão marcante quanto a águia americana, a F Series passou a servir como indicador de ascensão social. A cada passo que se avança na profissão, compra-se uma F-150 mais cara”, diz Jeff Greenberg, responsável da área de desenvolvimento da Ford americana. “Há muita gente que aprendeu a dirigir numa picape da F Series, quando adolescente, e hoje tem uma versão top.”

Esse sucesso junto ao público, claro, é alardeado com orgulho pela marca do oval. É quase um discurso padrão dos seus executivos: “A F-150 é a picape mais vendida do mundo, e aqui nos Estados Unidos é líder de vendas anuais há mais de 30 anos”. Desde 1948, já foram vendidas mais de 33 milhões de unidades. Mesmo assim, o comando da empresa deu uma bela sacudida nessa nova geração de sua best-seller.

Continua após a publicidade

DIETA DE ALUMÍNIO

Com legislação cada vez mais rígida quanto a emissões, a Ford tratou de submeter a picape a uma rigorosa dieta à base de alumínio e outros materiais nobres de alta leveza e resistência. A ideia é reduzir o esforço do motores para baixar o consumo e, consequentemente, as emissões de gases.

Ford F-150
Painel digital e central multimídia são exclusividades das versões mais caras

Dependendo da versão, a perda de peso comparada à geração anterior passou dos 100 kg, segundo a marca. No chassi de longarinas, por exemplo, a construção do tipo escada (com oito travessas ligando as barras longitudinais) e a aplicação de um aço especial garantem, além do emagrecimento, uma rigidez torcional 23% superior.

De fato, ao volante, a picape, apesar de descomunal, não range mesmo ao iniciar uma subida logo após uma curva de 90 graus, situação normal em rampas de garagem de prédio, por exemplo. Quando montada em um veículo com alto nível de rigidez torcional, a suspensão também desempenha melhor seu papel, uma vez que a variação de geometria é menor.

Continua após a publicidade

Isso ficou muito claro na aceleração, durante o test-drive, quando o V8 5.0 a gasolina de 385 cv foi exigido repentinamente e a picape respondeu com um comportamento digno de esportivo, disparando em linha reta sem exigir movimentação do volante para corrigir a trajetória.

Ford F-150
Console gigante isola os ocupantes da frente

A cabine impressiona mais pela vastidão do que pelo layout do painel, que, apesar de completo, é um tanto monótono e óbvio.

Em contraponto, externamente, faróis e lanternas com contornos irregulares e leds no interior conferem um ar futurista à F-150, uma picape que, apesar do sucesso que faz em sua terra natal, segue sem a mínima possibilidade de ser vendida no Brasil, segundo a Ford. Uma grande pena. Literalmente.

VEREDICTO

Continua após a publicidade

No Brasil, nenhuma picape desse porte tem dinâmica com nível de excelência ao menos próximo do da nova F-150. Nem a própria Ford Ranger.

FICHA TÉCNICA
Motor dianteiro, longitudinal, V8, 32V
Cilindrada 4 949 cm3
Diâmetro x curso 92,2 x 92,7 mm
Taxa de compressão 10,5:1
Potência 385 cv a 5 750 rpm
Torque 53,5 mkgf a 3 850 rpm
Câmbio automático, 6 marchas, tração 4×4
Dimensões comprimento, 619 cm, altura, 196,3 cm; largura, 202,9 cm; entre-eixos, 415,8 cm;
Peso 2 236 kg
Porta-malas/caçamba 939 kg
Tanque 136 litros
Suspensão dianteira duplo A
Suspensão traseira eixo rígido
Freios discos ventilados nas 4 rodas
Direção elétrica
Publicidade