Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Volvo Concept Coupe pode ser produzido de forma limitada

Carro foi mostrado durante o Salão de Frankfurt 2013

Por redação Atualizado em 9 nov 2016, 12h45 - Publicado em 29 set 2013, 15h25
fabricantes

O Volvo Concept Coupe (Veja as fotos!) foi, sem dúvida, uma das estrelas do Salão de Frankfurt deste ano, levando muitos a se perguntar se ele seria produzido ou simplesmente continuaria a ser um belo estudo.

E a boa notícia pode estar a caminho, já que a Volvo estaria considerando uma produção limitada do Concept Coupe após a recepção entusiasmada do carro. Segundo a revista alemã Auto Bild, diz que os principais diretores da marca ficaram impressionados com o sucesso do carro em Frankfurt e agora estão analisando a possibilidade de produzi-lo em uma pequena série.

A publicação alemã não cita nenhuma fonte, mas diz que a decisão sobre este assunto poderia ser tomada no início do próximo ano. Se o Concept Coupe receber a luz verde, a revista afirma que a produção pode ser encomendada à Bertone. Não é difícil imaginar uma versão de produção do Concept Coupe, já que o design é mais realista do que futurista, inspirado no clássico P1800.

O Concept Coupe é um veículo híbrido do tipo plug-in. Ele combina um motor 2.0 Drive-E movido a gasolina com um motor elétrico que movimenta as rodas traseiras. Assim, a potência total é de aproximadamente 400 cv, com torque máximo superior a 61,18 mkgf.

Segundo o vice-presidente sênior de design da Volvo, Thomas Ingenlath, ‘o Concept Coupe não é um carro dos sonhos futurista’ e foi concebido para ‘demonstrar o potencial de nossa arquitetura, as proporções e principalmente nossa nova assinatura de design’.

Se você gostou deste carro-conceito, é importante saber que algumas destas soluções serão incorporadas na nova geração de um modelo bastante conhecido por nós. ‘Embora pertença a uma categoria completamente distinta, será possível reconhecer uma conexão instantânea (do Concept Coupe) com o novo XC90 na ocasião de seu lançamento em 2014’, concluiu Ingenlath.

Continua após a publicidade

Publicidade