Clique e assine por apenas 5,90/mês

Volkswagen Tarek atrasa na Argentina e só deve chegar ao Brasil em 2021

Fábrica argentina que produzirá o SUV passará pelo menos um ano sendo atualizada

Por Henrique Rodriguez - 23 Maio 2019, 19h37
Tharu, vendido na China, é a base do Tarek Divulgação/Volkswagen

Criado para ser o concorrente direto do Jeep Compass, o Volkswagen Tarek deverá chegar ao Brasil atrasado, apenas em 2021.

O SUV compacto-médio estava entre os 18 lançamentos da Volkswagen programados para chegar às lojas até o final de 2020. Mas a Volkswagen Argentina já avisou que o Tarek só entrará em produção no país vizinho em 2021.

Início da produção comercial será em 2021 Argentina Autoblog

A informação foi divulgada justamente durante um anúncio de investimento de US$ 650 milhões na fábrica de General Pacheco, província de Buenos Aires, onde o Tarek será fabricado.

O SUV ocupará a linha de montagem que até o início deste ano era ocupada pelo SpaceFox. Para isso, porém, todo o ferramental será substituído.

Dimensões do Tarek na comparação com o Spacefox Argentina Autoblog/Internet

Haverá uma nova área de pintura (que será a base d´agua e sem primer) e nova esteira transportadora para as carrocerias deslizante, que substituirá as montadas no teto.

A automatização da linha passará de 30% para 65% e a capacidade, de 85.000 para 120.000 unidades/ano – ainda que a projeção para 2019 seja de 53.000 unidades, majoritariamente preenchidas pela picape Amarok.

As diferenças estruturais entre o Tarek e o Spacefox Argentina Autoblog/Internet

A partir do primeiro quadrimestre de 2020, algumas unidades do SUV serão montadas ali, mas serão todas pré-série. Esse rearranjo tem motivo: o Tarek será o primeiro carro com plataforma MQB (no caso a MQB-A1) fabricado na Argentina.

Continua após a publicidade

De lá, abastecerá toda a América Latina, com exceção do México, que produzirá o Tarek também para abastecer os EUA e o Canadá quase que simultaneamente.

Procurada por QUATRO RODAS, a Volkswagen informou que não comentará o assunto.

Nome não está definido

Em entrevista ao Autoblog Argentina, o gerente executivo encarregado do lançamento do SUV, Leonardo Ezcurra, disse que sequer o nome “Tarek” está definido para o modelo.

“Nós nos referimos a ele como Projeto Tarek, mas ainda não está decidido se conservará esse nome para o lançamento comercial. Essa decisão será tomada mais perto do início da produção, prevista para 2021, alertou.

Traseira passará por mudanças na versão argentina Divulgação/Volkswagen

Ezcurra também confirmou que o Projeto Tarek será posicionado entre o T-Cross e o Tiguan, com duas ou três versões,, e que seu motor será o 1.4 TSI de 150 cv combinado com câmbio automático de seis marchas da Aisin.

Interior lembra bastante o do Polo Divulgação/Volkswagen

A tração será dianteira, o que descarta em um primeiro momento a opção de tração integral disponível na China para o Tharu, gêmeo do Tarek. “[A tração integral] é uma alternativa que está em estudo”, disse o executivo ao mesmo site.

O gerente adiantou ainda algumas diferenças que o Tarek terá em relação ao Tharu, determinadas por clínicas com consumidores.

O carro terá menos cromados na carroceria, além de linhas de caráter reforçadas na frente e na traseira para ostentar um design mais agressivo. Um alento para quem acha o Tharu genérico.

Divulgação/Volkswagen
Continua após a publicidade
Publicidade