Clique e assine por apenas 8,90/mês

Retrospectiva: veja os caminhões que roubaram a cena em 2019

QUATRO RODAS listou as principais reportagens sobre os pesos pesados que se destacaram no ano

Por Redação - 3 jan 2020, 17h16
O Mercedes-Benz Actros foi um dos grandes destaques do ano Fernando Pires/Quatro Rodas

2019 foi um ano cheio de novidades e até mesmo o segmento dos veículos pesados teve lançamentos interessantes que, não raro, roubaram a cena com tecnologias de ponta e inéditas inclusive entre os automóveis importados de luxo.

Ano passado, teve caminhão com câmeras no lugar dos retrovisores, caminhão elétrico e gigantes que aguentam toneladas e toneladas de carga. E a lista de boas surpresas deve crescer ainda mais em 2020.

No Brasil, a frota de caminhões já ultrapassa os 2 milhões de veículos, segundo estudo do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação. 

QUATRO RODAS listou as principais notícias de 2019 nesse o universo. Confira:

1- Volkswagen Delivery Express, um caminhão disfarçado de picape

Volkswagen Delivery Express
Para dirigir o VW Delivery Express é necessário apenas a habilitação categoria B, a mesma necessária para carros Christian Castanho/Quatro Rodas

QUATRO RODAS testou o novo VW Delivery Express. O caminhão custa o mesmo que uma VW Amarok 2.0 SE (R$ 141.000) e pode ser dirigido por qualquer motorista que detenha uma CNH do tipo B (a mesma necessária para conduzir veículos leves).

Continua após a publicidade

Isso porque o Delivery tem um peso bruto homologado de 3.500 kg, justamente o limite colocado pela legislação para os automóveis dirigidos pelos habilitados do tipo B.

A versão de entrada, Trend, é equipada, de série, com ABS, airbags frontais, ar-condicionado, direção hidráulica, piloto automático, leds diurnos, faróis de neblina e retrovisores elétricos.

O motor é um 2.8 quatro cilindros turbodiesel Cummins ISF, com 150 cavalos de potência e 36,7 mkgf de torque. O câmbio é manual de 6 marchas da Eaton. 

2- Primeiro veículo elétrico da VW feito no Brasil é um caminhão de cerveja

Suspensão traseira tem sensores de carga que ajudam a economizar energia Fernando Pires/Quatro Rodas

QUATRO RODAS testou o VW E-Delivery, primeiro veículo elétrico desenvolvido pela marca no Brasil.

Um protótipo já roda entregando bebidas por alguns bairros de São Paulo (SP), mas deve chegar ao mercado somente no final deste ano, na faixa dos R$ 150.000

Continua após a publicidade

O E-Delivery é equipado com motor síncrono de ímãs permanentes de 244,7 cv e 219,2 mkgf (muito mais que seu equivalente a diesel, de 175 cv e 61,2 mkgf, que equipa o Delivery na versão 13.180), acoplado a uma transmissão com uma marcha à frente e a ré.

Segundo a VW, a capacidade de carga é de 7,5 toneladas e o peso bruto total (carga+veículo+implemento) é de 14,3 toneladas.

3- Impressões: como é andar num caminhão de R$ 700.000 que não tem retrovisor

Novo Actros traz câmeras que substituem os retrovisores Fernando Pires/Quatro Rodas

Colocamos na pista o novo (e luxuoso) peso pesado da Mercedes-Benz.

O Actros troca os retrovisores convencionais por câmeras que transmitem a visão da pista para o motorista por meio de telas colocadas na parte interna da cabine.

O caminhão ainda conta com Assistente de Frenagem Ativo, capaz de identificar outros veículos e pedestres à frente e frear automaticamente.

Continua após a publicidade

O novo Actros chega ao mercado em cinco versões, dependendo da motorização e da tração. O motor OM 460 oferece três faixas de potência (450, 480 e 510 cv) e a tração pode ser do tipo 4×2, 6×2 e 6×4.

O preço chega a R$ 715.000 na versão topo de linha.

4- Impressões: domamos o caminhão de R$ 1 milhão que puxa até 500 toneladas

Feito para cargas especiais, existem apenas oito destes rodando no Brasil Fernando Pires/Quatro Rodas

O mais forte deles. Fomos até o interior de São Paulo para dirigir o Mercedes-Benz Actros 4160 SLT, caminhão que é capaz de carregar até 500 toneladas de carga, sendo o modelo com maior capacidade máxima de tração (CMT) à venda no Brasil.

O veículo, desenvolvido para carregar cargas indivisíveis, é equipado com um motor V8 16.0, diesel, que rende 598 cv de potência a 1.800 rpm e 285,6 mkgf de torque a 1.080 rpm. Na transmissão, a tração é integral 8×8 e o câmbio é automatizado de 16 marchas.

O preço? R$ 1 milhão na configuração básica.

Continua após a publicidade

5- Impressões: este caminhão de mineração aguenta tanto peso que é “ilegal”

Como a maioria dos caminhões, a caçamba móvel (implemento) do Constellation é vendida à parte Divulgação/Volkswagen

Em configuração voltada para a mineração, o Volkswagen Constellation 32.360 tem uma capacidade de peso limitada em 18 toneladas em vias públicas.

Entretanto, dentro de propriedades privadas onde não há vias públicas o VW carrega até o dobro do limite imposto pela legislação.

O motor é um Cummins em linha de 6 cilindros, com 360 cv de potência. O torque chega a 169,3 mkgf entre 1.200 e 1400 rpm.

6- Supercaminhão elétrico leva 65 toneladas e gera sozinho sua energia

O eDumper é tido como o maior veículo elétrico do mundo. eMining/Divulgação

Outro gigante da mineração. A empresa suíça eMining desenvolveu o eDumper, considerado o maior veículo elétrico do mundo.

O gigante é capaz de carregar até 65 toneladas e mede 9,11 m de comprimento, 4,26 m de altura e 4,26 m de largura. O conjunto de baterias tem capacidade de 600 kWh e gera 800 cv de potência e 968,7 mkgf de torque.

Continua após a publicidade

7- Supercaminhão canavieiro da VW tem força para carregar 40 Renault Kwid

Protótipo foi a estrela da marca na Agrishow 2019 Divulgação/Volkswagen

A Volkswagen apresentou em maio de 2019 na Agrishow, exposição agropecuária em Ribeirão Preto (SP), o protótipo Constellation 31.280, antecipando um enorme caminhão canavieiro capaz de transportar 32 toneladas de carga útil.

O modelo é equipado com o motor MAN D08 seis-cilindros turbo diesel de 6,9 litros, com 277 cv de potência e 107,1 mkgf de torque. Ele vem acoplado a câmbio automático Allison, de seis marchas.

O gigante ainda conta com os suspensões dianteiras tubulares desenvolvidas pela Suspensys, formando 3 metros de bitola.

Publicidade