Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Jeep pode ser comprada por chinesa Great Wall, diz agência

Empresa admitiu interesse na aquisição da marca, que poderia ser separada do restante do grupo FCA

Por Vitor Matsubara Atualizado em 21 ago 2017, 16h05 - Publicado em 21 ago 2017, 13h58
Haval H7
A Haval é a marca de SUVs da Great Wall que poderia tirar proveito da aquisição da Jeep reprodução/Divulgação

Os boatos de que a FCA seria comprada pelos chineses estão cada vez maiores. Mas a venda pode ser diferente do que muitos imaginavam. Isso porque a Automotive News revelou que a Great Wall Motor Co. estaria interessada em adquirir a Jeep, e não todo o grupo FCA.

Se isso realmente acontecer, a Jeep seria separada do restante do conglomerado, deixando em xeque o futuro de Fiat, Chrysler, Dodge e RAM. Esse movimento não seria inédito para a empresa, já que a própria FCA admitiu que cogita fazer o mesmo com Alfa Romeo e Maserati. A Ferrari não faz mais parte do grupo desde 2016.

A presidente da Great Wall, Wang Fengying, confirmou à Automotive News que a Great Wall pretende adquirir a Jeep e já “contatou a FCA” para iniciar as negociações. A declaração de Fangying, aliás, contradiz o discurso da FCA, que desmentiu qualquer tipo de contato por parte da Great Wall.

No Brasil, a marca Jeep teve grande crescimento graças aos modelos Renegade e Compass Divulgação/Divulgação

O interesse dos chineses na Jeep faz sentido. Afinal de contas, analistas de mercado asseguram que a marca off-road é a mais desejável do portfólio da FCA, valendo mais do que o próprio grupo, aliás.

Continua após a publicidade

Xu Hui, porta-voz da Great Wall, afirmou que a empresa expressou interesse indireto na Jeep, mas ainda não fez uma proposta oficial de compra.

“Estamos muito interessados na marca e a monitoramos há muito tempo. Nosso objetivo é se tornar a maior fabricante de SUVs do mundo, e adquirir a Jeep, uma marca forte e reconhecida globalmente neste segmento, nos daria condições de atingir esta meta mais rapidamente”, declarou Hui.

Possível interesse da concorrência

Se a Great Wall surge como possível candidata à adquirir a Jeep, uma fabricante de peso do mercado norte-americano também estaria na lista de interessados.

A Automotive News cita que a GM (que já rejeitou veementemente qualquer chance de fusão com a FCA em 2015) poderia adquirir a Jeep para preencher a lacuna deixada pela extinta Hummer dentro do grupo General Motors. Por enquanto, nada passa de mera especulação.

De qualquer maneira, a Jeep não seria a primeira nem a última empresa adquirida pelos chineses. A Geely já adquiriu a Volvo e a Lotus, enquanto a Pirelli também virou propriedade dos asiáticos. O mercado norte-americano ainda não foi assediado pelos poderosos da China. Pelo menos por enquanto.

Continua após a publicidade

Publicidade