Segredo: JAC testa o T70, futuro rival de Compass e Equinox

SUV tem espaço para sete passageiros e equipamentos de luxo de uma categoria superior

Em vez de S7, SUV deve adotar o nome T70 no Brasil (Anônimo/Quatro Rodas)

A JAC Motors não esconde de ninguém que aposta nos SUVs para voltar a vender bem no Brasil.

Depois de lançar T6, T5 e T40 (este último um hatch com pinta de utilitário esportivo), a empresa já testa o S7 no país.

Este, porém, não será seu nome no mercado brasileiro. A escolha deve ser T70.

Frente lembra modelos da Hyundai (Anônimo/Quatro Rodas)

O modelo seria posicionado acima dos outros modelos da marca, na faixa dos R$ 100.000. Assim, o T70 concorreria com Jeep Compass, Chevrolet Equinox e Peugeot 3008.

Medindo 4,79 metros de comprimento, 1,90 metro de largura, 1,76 metro de altura e 2,75 metros de distância entre-eixos, o grande diferencial do T70 seria os sete lugares.

Traseira tem tampa do porta-malas com recorte inspirado nos Audis (Anônimo/Quatro Rodas)

O T70 é oferecido na China com duas opções de motorização: 1.5 T-GDI, com 174 cv e 25,7 mkgf, e 2.0 Turbo, de 190 cv e 30,5 mkgf.

A última opção seria a escolhida para o Brasil, associada a uma transmissão automatizada de sete marchas.

Assim como outros modelos da JAC, o SUV traz uma generosa lista de itens de série, com direito a equipamentos oferecidos apenas em categorias superiores.

Painel de instrumentos remete ao Mercedes-Benz Classe S (Anônimo/Quatro Rodas)

O pacote incluiria controles de estabilidade e de tração, controle de rolagem da carroceria, alerta de mudança de faixa involuntária, piloto automático adaptativo, park assist, alerta de colisão, monitoramento de pontos cegos e frenagem automática de emergência.

Tela da central multimídia do T70 (Anônimo/Quatro Rodas)

Painel de TFT substitui os mostradores analógicos (Anônimo/Quatro Rodas)

O T70 não copia nenhum modelo existente no mercado, mas parece inspirado em veículos da Hyundai (principalmente pelo desenho da frente) e Audi (note o recorte da tampa do porta-malas, bastante parecido com a do Q7).

Terceira fileira de bancos é dobrável (Anônimo/Quatro Rodas)

A cabine reproduz as formas do Mercedes-Benz Classe S, inclusive nas saídas de ar-condicionado redondas. Há duas grandes telas no interior, uma no quadro de instrumentos e outra na central multimídia.

Ainda não há data de quando o T70 chegará às lojas.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. FRANCISCO RONDON

    Bastava dizer se os detalhes, acabamento, instrumentos, desenho, etc do carro são bonitos e bem feitos ou não. Ficar fazendo comparações acerca de que parece com esse ou aquele carro de outras marcas já consagradas no Brasil é muito chato. Embora inicie a matéria dizendo que a Jac não copiou nada de nenhum outro modelo, não é isso que nos passa ao discorrer sobre o Jac 70.

  2. FRANCISCO RONDON

    Bastava dizer se os detalhes, acabamento, instrumentos, desenho, etc do carro são bonitos e bem feitos ou não. Ficar fazendo comparações acerca de que parece com esse ou aquele carro de outras marcas já consagradas no Brasil é muito chato. Embora inicie a matéria dizendo que a Jac não copiou nada de nenhum outro modelo, não é isso que nos passa ao discorrer sobre o Jac T70.

  3. O grande problema é que nesta faixa de preço o comprador busca um mínimo de status na compra. Dificilmente, mesmo que o carro tenha atributos, terá muito sucesso. Já na faixa dos SUVs compactos, ai sim a marca pode conseguir alguma venda expressiva.

  4. O problema não é o contexto do anúncio, mas ainda a falta da popularidade da marca. Isso causa pouca valorização na revenda. Sou proprietário de um T5 CVT e não me arrependo da compra. Carro excelente e econômico. Pretendo permanecer muito tempo com ele e possivelmente olhar para o T70 com olhar de quem já conhece os detalhes desse avanço chinês, no mercado brasileiro.