Clique e assine por apenas 8,90/mês

Hyundai HB20 e a dificuldade de vender as versões que mais dão dinheiro

Versões mais caras e lucrativas têm minguado nas lojas, ao contrário do rival Onix, que colocou a topo de linha entre as mais emplacadas

Por Gabriel Aguiar - Atualizado em 19 mar 2020, 09h33 - Publicado em 19 mar 2020, 07h00
Nem motor 1.0 turbo é  alavancou as versões mais caras do HB20 Fernando Pires/Quatro Rodas

O Hyundai HB20 foi renovado em setembro do ano passado e, apesar das melhorias – como maior entre-eixos, além de motor turbo com injeção direta e novos itens de segurança nas versões mais caras –, o comportamento de compra da clientela não mudou em 2020.

Isso significa que o hatch segue dependente das configurações mais baratas e menos lucrativas para a marca: como em janeiro de 2019, no primeiro mês deste ano, as opções mais vendidas foram as duas de entrada, além da automática mais em conta.

Como no modelo anterior, o hatch depende das versões de entrada Fernando Pires/Quatro Rodas

De acordo com dados da consultoria Jato Dynamics, as configurações mais caras do HB20 (Premium e R-Spec) representavam só 7,1% dos emplacamentos nos dois primeiros meses de 2019.

Em 2020, as opções turbo Diamond, Diamond Plus e Evolution tiveram 4,9% do total.

Motor sobrealimentado garante desempenho empolgante ao hatch Fernando Pires/Quatro Rodas

Vale até comparar o desempenho nas lojas com outro estreante, o Chevrolet Onix, que ganhou nova geração há poucos meses e, diferentemente do rival, conseguiu inverter a preferência de parte dos consumidores pelas configurações topo de linha.

Continua após a publicidade
Novo Onix mudou o comportamento do consumidor Christian Castanho/Quatro Rodas

Se em janeiro do ano passado as três versões mais baratas dominavam as vendas, no mesmo mês de 2020, as opções Premier (disponíveis em três pacotes, à época, de R$ 71.790 a R$ 74.790), conquistaram o terceiro lugar e 12,3% das vendas.

Versões topo de linha do hatch já estão entre as mais vendidas Christian Castanho/Quatro Rodas

Só que, diferentemente do Hyundai, no qual as configurações com motorização turbo ainda representam minoria dos emplacamentos, no caso do Chevrolet, as opções sobrealimentadas – de entrada, LT, LTZ e Premier – detiveram 41,1% do total.

Motor 1.0 turbo flex do Chevrolet não tem injeção direta nem árvore contrarrotativa Christian Castanho/Quatro Rodas

Vale lembrar que ambos os hatches tiveram queda nas vendas em janeiro de 2020 em relação ao mesmo período do ano anterior. Segundo dados da Fenabrave, o segmento reduziu 3,42% neste ano. Porém, tanto Onix como HB20 caíram ainda mais.

O modelo da Chevrolet emplacou 18.842 unidades no primeiro mês de 2019, só que, neste ano, caiu a 17.463 veículos. No caso do rival da marca sul-coreana, os emplacamentos reduziram de 7.249 unidades para 6.555 veículos no mesmo período.

No último mês de fevereiro, o Onix (que custa de R$ 50.150 a R$ 75.650) manteve a liderança, com 17.652 carros, enquanto o HB20 (que custa de R$ 46.490 a R$ 77.990) conseguiu subir do quinto lugar à terceira posição, com 8.402 carros vendidos.

Continua após a publicidade
Publicidade