Clique e assine por apenas 8,90/mês

Flagra: Renault Duster terá direção elétrica e motor Mercedes

Motor 1.3 turbo estreará meses depois do lançamento, que está previsto para o primeiro trimestre de 2020

Por Henrique Rodriguez - Atualizado em 30 set 2019, 21h06 - Publicado em 30 set 2019, 21h05
Modelo deve manter o mesmo design básico usado na Europa há quase dois anos Henrique Romano/Quatro Rodas

Se por um lado a nova geração do Renault Duster está atrasada no Brasil – foi apresentado na Europa em 2017 –, por outro seu lançamento no Brasil ainda no primeiro trimestre de 2020 será estratégico.

Acontece que na virada do ano entra em vigor a Resolução Contran nº 518/2015, que estabelece que todos os carros produzidos a partir de 1° de janeiro sejam ofertados com cintos de três pontos e apoio de cabeça central no banco traseiro, como bem lembra o parceiro Autos Segredos.

Coluna B está mais inclinada, mas o resto da estrutura do carro é praticamente igual Henrique Romano/Quatro Rodas

Com isso, a Renault não poderá produzir o atual Duster em 2020, por mais que ele seja 2019/2020 há alguns meses.

Os testes da nova geração se intensificaram nas últimas semanas. Os leitores Henrique Romano e Eduardo Trentiny flagraram a nova geração em Curitiba, região metropolitana onde está localizada a fábrica da marca francesa – o complexo fica em São José dos Pinhais.

Continua após a publicidade

As rodas revelam que podemos estar falando de duas versões distintas: a intermediária Zen, com rodas prateadas, e a Intense, com rodas diamantadas. O nome das versões deverá seguir as mesmas nomenclaturas estreadas pelo Kwid e recentemente adotadas por Logan e Sandero.

Ambas chegarão às lojas com o motor 1.6 SCe de 120 cv, com câmbio manual de cinco marchas ou automático CVT. É a mesma mecânica disponível hoje. A principal novidade, porém, será a adoção de direção elétrica.

Embora a atual direção eletro-hidráulica já seja capaz de beneficiar os números de consumo do motor, ela não é tão leve em manobras quanto o público de SUVs deseja. Outra vantagem é que ela não terá o terá o tradicional chiado da bomba hidráulica dos Renault. 

Volante do Duster europeu é o mesmo de Sandero e Logan Divulgação/Renault

O novo motor 1.3 TCe, com turbo e injeção direta, estreará muito provavelmente apenas no final de 2020 – e deve chegar antes no Captur -, sendo responsável pela volta da versão 4×4 (hoje equipada com motor 2.0 e câmbio manual de seis marchas).

Este novo motor foi desenvolvido em conjunto pela aliança Renault-Nissan e a Mercedes-Benz e estreou na Europa com os Renault Scenic e Grand Scenic.

Testes de rodagem também estão em curso Eduardo Trentiny/Quatro Rodas

No Brasil, porém, apareceu primeiro no novo Classe A Sedan em sua versão mais potente, de 163 cv. Para os SUVs da Renault será adaptado para etanol, o que pode elevar sua potência aos 170 cv. 

Fotografou um segredo? Mande seu flagra para nós: 55 11 99975-9245

Continua após a publicidade
Publicidade