Clique e assine por apenas 5,90/mês

Fábrica da Ford é vendida a R$ 550 milhões e deve virar centro logístico

Segundo site InfoMoney, negócio foi fechado com construtora e prevê manutenção de parte da fábrica. Empresa admite negociação, mas não a consumação da venda

Por Daniel Telles - Atualizado em 16 jun 2020, 19h48 - Publicado em 16 jun 2020, 15h30
Fábrica da Ford tinha 2.700 funcionários Acervo/Quatro Rodas

Desde que a fábrica da Ford em São Bernardo do Campo encerrou suas atividades em outubro de 2019, muito se especulou sobre qual seria seu destino. Pois, passados oito meses, a história parece próxima de um desfecho.

Segundo o site InfoMoney, o terreno de 1 milhão de metros quadrados, sendo 500 mil m2 apenas de fábrica, foi arrebatado pela construtora paulista São José numa transação que gira em torno de R$ 550 milhões.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine com 64% de desconto.

Ainda de acordo com a publicação, a São José estaria disputando o negócio com outras três empresas do mercado imobiliário. Ou seja: já não havia mais fabricantes automotivas com interesse pela propriedade.

Apesar de a construtora ser reconhecida por empreendimentos de alto padrão, um dos sócios da companhia, Mauro Cunha Silvestri, afirmou em declaração ao site de economia que a ideia é aproveitar o lote para o setor logístico.

Fábrica encerrou sua produção oficialmente em outubro de 2019 Divulgação/Ford

Também segundo o executivo, há a possibilidade de que a construtora negocie um pedaço do terreno com outra fabricante de automóveis para aproveitar parte da estrutura remanescente.

QUATRO RODAS entrou em contato com a construtora São José na tarde desta terça-feira (16) para confirmar a transação, mas foi informada que nenhum dos sócios estava no escritório para dar entrevista.

No final de 2019, o interesse do grupo Caoa na compra da fábrica chegou a ser confirmado em evento oficial com o governador do estado de São Paulo, João Dória (PSDB).

Continua após a publicidade

Porém, a negociação perdeu força até a desistência oficial por parte do grupo, em janeiro deste ano. Outro interessado foi o grupo chinês de veículos elétricos BYD, negócio que aparentemente também não se concretizou.

Procurada, a Ford se manifestou por meio de nota confirmando a construtora São José como potencial compradora do terreno no ABC paulista, mas ainda sem confirmar o negócio.

Confira a íntegra da nota da Ford enviada a QUATRO RODAS:

“A Construtora São José é um dos potenciais compradores, porém, não temos nada para anunciar no momento. Forneceremos informações adicionais quando avançarmos para uma decisão final sobre a venda da planta de São Bernardo do Campo.”

Também procuramos o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, que em nota assinada por Wagner Santana, presidente da entidade, afirmou que ainda não houve qualquer comunicação da Ford sobre o negócio.

Santana ainda cobrou que a montadora honre um acordo feito com o Sindicato e informe o destino da planta de São Bernardo do Campo, tão logo o desfecho seja selado.

Confira o posicionamento na íntegra:

“A Ford havia se comprometido a informar o Sindicato em relação ao destino desta planta. Até este momento, nenhum contato foi feito pela direção da Ford com o Sindicato depois da última posição. O Sindicato espera que a Ford cumpra seu compromisso e não repita o que aconteceu em fevereiro do ano passado em relação ao fechamento da fábrica”.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da nova edição de Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Continua após a publicidade
Publicidade