Assine QUATRO RODAS por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Como funciona e quais são as vantagens de um motor turbo?

Ele nasceu para aumentar a performance, mas em um futuro breve estará na grande maioria dos carros

Por Péricles Malheiros
Atualizado em 14 mar 2021, 13h36 - Publicado em 4 mar 2016, 17h19
Jetta 2017 motor
Motores com turbo e injeção direta aliam potência e economia (Divulgação/Volkswagen)

No dia em que aprendi, ainda menino, o princípio de funcionamento do turbo, me questionei: “Por que ainda existe motor sem ser turbinado?”.

Anos mais tarde, comecei a trabalhar na área e descobri a resposta: C-U-S-T-O. Hoje, felizmente, a busca por motores mais eficientes vem derrubando a tal barreira do custo por meio do aumento da escala de produção.

O turbo, que até bem pouco tempo era aplicado só em carros esportivos, tende a ser equipamento obrigatório em todos os motores.

E o mais legal: hoje já é uma realidade massificada, com uma aplicação que vai de motores 1.0 3 cilindros (como o popular Up!) a V6 de Mercedes (como o jipão GLE).

Continua após a publicidade

Conjunto de turbo, coletor de escape e duto de admissão de um Mercedes A200

Assistido eletronicamente, com componentes criados com muita tecnologia (de construção e materiais) e servindo a motores muito mais modernos, o turbo se livrou dos problemas do passado: letargia em baixa rotação e durabilidade reduzida.

Se você nunca dirigiu um carro com motor turbo, deixo a dica: faça um test-drive, sem compromisso. Aposto que irá se apaixonar.

Entre as marcas com maior presença no Brasil, a Volkswagen é uma das que oferece a maior gama de modelos turbinados: há o 1.0 (Up! e Polo), 1.4 (Golf, Tiguan e Jetta), 2.0 (Golf, Jetta, Passat e Tiguan) e o 2.0 a diesel (Amarok).

Continua após a publicidade

Mas se não der para fazer o test-drive, posso lhe dar um breve resumo: com turbo, um carro 1.0 costuma ter aceleração e retomadas parecidas com as de um 1.6.

Com uma vantagem: o consumo continua sendo de um 1.0 aspirado. Entende agora por que desde sempre eu penso que motor sem turbo é um motor incompleto?

Como funciona o turbo

O que torna o turbo um equipamento especial – e sintonizado com a necessidade cada vez maior de motores eficientes – é que, para funcionar, ele se alimenta de uma fonte de energia abundante e totalmente desperdiçada em motores aspirados: o fluxo gerado pela expulsão dos gases de escape. Ou seja, o que alimenta o turbo é a passagem dos gases resultantes da queima da mistura ar/combustível.

Turbo: esquema de funcionamento
Esquema de funcionamento de motor com turbo (Arquivo/Quatro Rodas)

O turbocompressor é formado por duas câmaras distintas, chamadas caixa fria e caixa quente (também são conhecidas, respectivamente, como compressor e turbina).

No interior de cada uma há um rotor, e ambos são interligados montados num mesmo eixo. Com a caixa quente instalada no coletor de escapamento, a passagem dos gases faz girar o rotor. Consequentemente, gira também o rotor da caixa fria, afinal há um eixo ligando os rotores, lembra? É quando começa o barato do turbo: a compressão.

Ao girar, o rotor da caixa fria capta ar da atmosfera (previamente filtrado) e o direciona, sob pressão, para a tubulação do sistema de admissão do motor.

E é aí que está toda a diferença: enquanto num motor aspirado o ar é naturalmente admitido por conta da movimentação dos pistões, num turbinado ele entra pressionado. Com mais ar, há mais moléculas de oxigênio, permitindo a entrada de mais combustível.

Continua após a publicidade
turbocompressor
Turbos com geometria variável são mais eficientes (Divulgação/Mercedes-Benz)

Mas, ao contrário do que se pode imaginar num primeiro momento, mais combustível não significa maior consumo. Pelo contrário! Com uma mistura de ar e combustível mais densa nas câmaras, as explosões são mais fortes, permitindo ao piloto exigir menos do acelerador.

Para automóveis “comuns” e urbanos, o futuro está vinculado aos turbocompressores. A própria turbina tem recebido inovações notáveis, como equipamentos de geometria variável (já usados em motores diesel e agora empregados em propulsores a gasolina, como os Porsche).

Os turbocompressores variáveis (VTG) conseguem operar em uma faixa de trabalho maior do motor do que os turbos convencionais, além de utilizar todo o gás de exaustão, ao contrário dos turbos com wastegate, em que, por meio de uma válvula, é feito o alívio dos gases de escape para controle do fluxo.

O VTG apresenta um atuador que permite o ajuste preciso dos pontos de operação do motor, para uma produção ideal de energia. Ele controla a pressão da turbina, ajustando rapidamente e com precisão suas aletas.

Ao alterar o ângulo de entrada e velocidade na entrada da turbina, as aletas em forma de S regulam a saída do gás da turbina, melhorando a termodinâmica e a resposta do motor, mesmo em rotações muito baixas.

A Audi trabalha com turbos elétricos, totalmente independentes do motor para funcionar – e sem qualquer atraso para funcionar. E a Infiniti trabalha com taxa de compressão variável em seus motores.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Os automóveis estão mudando.
O tempo todo.

Acompanhe por QUATRO RODAS.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Quatro Rodas impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.