Clique e assine por apenas 8,90/mês

Atlas Tanoak: Volkswagen apresenta picape maior que a Amarok

Será a primeira picape baseada na plataforma modular MQB

Por Henrique Rodriguez - Atualizado em 28 mar 2018, 12h34 - Publicado em 28 mar 2018, 11h15
Volkswagen Atlas Tanoak
Picape é derivada do Atlas, SUV criado para os Estados Unidos Divulgação/Volkswagen

A Volkswagen sempre esteve interessada em vender a Amarok nos Estados Unidos. Mas foi o “chicken tax”, um imposto de 25% para amido de batata, dextrina, aguardente… e picapes importadas a impediu. A solução? Fabricar nos EUA uma picape adequada ao gosto local.

O conceito Atlas Tanoak pode ser o ponto de partida para esta picape. De acordo com a Volks, tudo vai depender da reação da imprensa e do público que passar pelo estande da marca no Salão de Nova York nos próximos dias.

Volkswagen Atlas Tanoak
Frente é fiel ao Atlas, vendido nos EUA desde 2016 Divulgação/Volkswagen

A picape é derivada do Atlas, um SUV criado para o mercado norte-americano e fabricado no Tennessee – o conceito de sua versão de cinco lugares é atração do mesmo Salão. Se tudo der certo, a Tanoak também será fabricada por lá. Será a primeira picape baseada na plataforma modular MQB – usada do Polo ao Passat.

Em vez de ter carroceria montada sobre chassi, como a Amarok, a Tanoak é monobloco, como as Fiat Toro, Renault Oroch e Honda Ridgeline. A vantagem está em ser mais leve e em ter carroceria mais rígida, mesmo a contragosto dos fiéis aos chassis, que defendem a robustez do método tradicional.

Continua após a publicidade
Volkswagen Atlas Tanoak
Junção das lanternas remete ao conceito da Mercedes Classe X Divulgação/Volkswagen

Esta questão técnica não impediu, porém, que a Tanoak seja bem maior que uma Amarok. São 5,43 m de comprimento contra os 5,25 m da picape argentina.  Tem ainda 3,26 m de entreeixos (17 cm a mais) e 2,03 m (8 cm a mais) de largura, mas os mesmos 1,84 m de altura. Ainda assim, a Tanoak é uma picape média para os padrões dos EUA.

Outra grande diferença está no conjunto mecânico. Em vez de motor turbodiesel, a Volkswagen Atlas Tanoak usa um V6 (na prática, VR6) 3.6 a gasolina, aspirado e com injeção direta, que gera 280 cv. Ele é instalado na transversal, como manda a regra da plataforma MQB, e está combinado a um câmbio automático Aisin de oito marchas. Com tração integral 4Motion, a picape chega aos 100 km/h em 8,8 s de acordo com a Volks.

Volkswagen Atlas Tanoak
Com carroceria monobloco, picape simula o vão entre a cabine e a caçamba Divulgação/Volkswagen

Até a coluna B a Tanoak é igual ao Atlas, com exceção dos detalhes típicos de carros conceito, como leds envolvendo faróis e grade e o para-choque com nome e protetor metálico. Mas as portas traseiras são completamente diferentes e têm suas maçanetas escondidas em um estranho buraco.

Por ser uma picape monobloco, a Tanoak não tem um vão separando a cabine da caçamba. A Volkswagem, então, pôs apliques que simulam prolongamentos das molduras das caixas de roda. As lanternas traseiras, que envolvem a tampa da caçamba, são claramente inspiradas no conceito que antecipou a Mercedes Classe X.

Continua após a publicidade
Volkswagen Atlas Tanoak
Interior é praticamente o mesmo do Atlas Divulgação/Volkswagen

Por dentro, o conceito segue as mesmas formas do interior do Atlas. Para não dizer que é igual, mudam o acabamento, cheio de apliques coloridos, as saídas de ar, o volante e os comandos de ar-condicionado.

A segunda picape MQB

A Atlas Tanoak pode ser a primeira, mas não será a única picape derivada da plataforma MQB. A Volkswagen também trabalha no desenvolvimento de uma picape monobloco do porte de uma Fiat Toro. Será fabricada no Brasil com base no SUV compacto T-Cross, e será posicionada entre a Saveiro e a Amarok. O lançamento está previsto para 2019.

Publicidade