Nova Amarok V6 é tão rápida quanto um Sandero R.S.

Versão tem motor 3.0 TDI que gera até 245 cv com função overboost ativada

Volkswagen Amarok Highline V6 Novo motor tem 225 cv de potência, 45 cv a mais que o 2.0 biturbo

Novo motor tem 225 cv de potência, 45 cv a mais que o 2.0 biturbo (Henrique Rodriguez/Quatro Rodas)

O Brasil já teve algumas picapes médias com motores V6, como a pujante Chevrolet S10 com motor V6 4.3 Vortec a gasolina e a Mitsubishi L200 3.5 V6 flex. Mas a Volkswagen Amarok é a primeira com motor V6 turbodiesel e custa menos do que as concorrentes com motores de quatro e cinco cilindros.

O mais impressionante é que a picape é tão rápida quanto um Renault Sandero R.S.: os dois aceleram de 0 a 100 km/h em 8 segundos, de acordo com seus respectivos fabricantes. Ranger e S10, ambas com 200 cv, têm tempo na casa dos 10 s e a Amarok 2.0 precisa de 10,9 s. 

Volkswagen Amarok Highline V6 Picape ainda ganhou sistema de freios a disco nas quatro rodas

Picape ainda ganhou sistema de freios a disco nas quatro rodas (Henrique Rodriguez/Quatro Rodas)

Enquanto o hatch esportivo tem motor 2.0 de 150 cv e pesa 1.161 kg a picape tem seus 2.185 kg (197 kg só de motor) movimentados pelo V6 3.0 TDI de 225 cv e 56,1 mkgf de torque entre 1.500 e 2.500 rpm. Isso em condições normais.

Crave o pé direito no acelerador entre 50 e 120 km/h e o carro responderá, automaticamente, com a função Overboost: 20 cv e até 4 mkgf de torque extras por até 10 segundos. O câmbio automático de oito marchas e atração 4×4 permanente 4Motion fazem o resto do serviço.

Volkswagen Amarok Highline V6 Motor 3.0 TDI estreou no Brasil com o Audi Q7 no ano passado

Motor 3.0 TDI estreou no Brasil com o Audi Q7 no ano passado (Henrique Rodriguez/Quatro Rodas)

Quem mais sente a diferença desta Amarok para as demais, com motor 2.0 quatro cilindros biturbo diesel de 180 cv e 42,8 mkgf de torque, são suas costas. Elas são jogadas contra o encosto do banco com mais força. É melhor tomar cuidado para não se empolgar.

Mas o motor V6 também faz diferença quando se dirige menos empolgado, pois entrega sua força mais cedo e depende menos de seu turbo de geometria variável. Respostas mais imediatas dão maior sensação de segurança e evita atraso do acelerador.

amarok v6 Versão topo de linha Highline tem central multimídia com GPS integrado e exibição da câmera de ré

Versão topo de linha Highline tem central multimídia com GPS integrado e exibição da câmera de ré (divulgação/Volkswagen)

O detalhe é que a direção hidráulica não responde a contento. A direção é bastante pesada em manobras, porém mais leve do que o desejável em altas velocidades. Na Europa, a Amarok V6 estreou há um ano com direção elétrica, que permite maior melhor controle da assistência da direção.

Seus olhos precisarão estar treinados para notar o que muda nesta Amarok.  A versão Highline V6 se difere da 2.0 pelo retrovisor preto e pelo “V6” na grade e na tampa da caçamba. Além disso, a V6 tem freio a disco ventilado nas quatro rodas, com discos de 332 mm de diâmetro no eixo dianteiro e 300 mm no traseiro. As Amarok mais fracas e todas as concorrentes têm freio a tambor na traseira.

Volkswagen Amarok Highline V6 Nova versão custa R$ 184.990, R$ 14 mil a mais que a versão equivalente com motor 2.0

Nova versão custa R$ 184.990, R$ 14 mil a mais que a versão equivalente com motor 2.0 (Henrique Rodriguez/Quatro Rodas)

A Amarok V6 tem disposição para acelerar como nenhuma outra picape média até então. Mas QUATRO RODAS ainda colocará isso à prova em nossaa pista de testes.

O que dá para adiantar é que levar esta Amarok para casa sai mais caro. A Amarok Highline V6 custa a partir de R$ 184.990, ou R$ 14.000 a mais que os R$ 170.990 cobrados pela mesma versão com motor 2.0.

O pacote de equipamentos não justifica a diferença, pois não muda. Há faróis bixenônio com luzes diurnas de leds, câmera de ré, sistema de freios pós-colisão, controle de estabilidade, borboletas para trocas sequenciais, assistente de partida em rampa, bloqueio eletrônico do diferencial, ajustes elétricos nos bancos dianteiros e central multimídia Discover Media com Android Auto e Apple Carplay. Mas faltam chave presencial e airbags de cortina – só tem bolsas frontais e laterais, totalizando quatro.

amarok v6 Farol bi xenon é equipamento de série na versão

Farol bi xenon é equipamento de série na versão (Divulgação/Volkswagen)

O único opcional disponível é o jogo de rodas aro 19″, que substituem as de 18″ por R$ 2.720 a mais no valor final.

Olhando para as principais concorrentes, é a picape topo de linha mais em conta. A Chevrolet S10 2.8 100 Years custa R$ 191.190, a Ford Ranger Limited 3.2 custa R$ 190.190 e a Toyota Hilux SRX 2.8 custa R$ 193.270.

Por enquanto, usar a potência e o preço como argumentos deu certo para a Amarok. O primeiro lote da  versão V6. com 450 unidades, foi vendido na pré-venda em menos de 24h.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Andrimar Stolet

    O problema vai ser a manutenção, prevejo dor de cabeça aos clientes.

  2. EDUARDO MARTINS DOS REIS

    Um perigo colocar um motor desses nesse troço que não faz curva. Uma coisa é colocar num Q7 de tração Quattro, outra é colocar num veículo de chassi de longarina e eixo rígido traseiro.

  3. É um belo motor e coloca a Amarok na disputa entre as pick-ups mais fortes, porém fico preocupado com essas caminhonetes, cada vez mais potentes, sendo dirigidas, em nossas rodovias sinuosas, por determinados motoristas, que pensam estar conduzindo um veículo com centro de gravidade menor.

  4. Zigfrietz Tazogh

    [Nova Amarok V6 é tão rápida quanto um Sandero R.S]
    Só na reta.