Guia de Usados: Chevrolet Corsa Hatch

Encerrando uma carreira de dez anos, a segunda geração une muitas virtudes e poucos defeitos

usado usado

O Corsa hatch de segunda geração é um daqueles carros com soluções que foram além da expectativa do público: maior que seu antecessor, oferece bom espaço a quatro adultos, que desfrutam de um rodar macio e confortável, mérito em parte do subchassi dianteiro. A iluminação interna com acendimento gradual e o acionamento automático do limpador traseiro davam um toque de sofisticação a ele, que chegou em 2002 com a tarefa de guerrear contra Palio e Polo.

Explica-se: nos primeiros anos de produção, ele jogou nas duas pontas do mercado, dos hatches premium aos populares. Por isso, não havia diferenciação por versões: ou você levava o hatch com o forte e beberrão motor 1.8 ou contentava-se com o fraco 1.0 VHC, inadequado para o peso do carro.
 De comportamento pacato, o Corsa cativa mais pela maciez da embreagem, câmbio e direção, inspirando uma tocada tranquila e despretensiosa. O que desagrada nele é o acabamento interno, com plásticos e tecidos de baixa qualidade e arremates mal-feitos, que se degradam com rapidez. Em 2005, veio a segmentação das versões Joy, Maxx e Premium. A direção hidráulica era opcional na Maxx, mas o ar- condicionado nessa versão só era oferecido com o motor 1.8, que passou a ser flex no fim do ano. Quem procura os dois como item de série deve focar na

Premium, que tem como opcional airbag e ABS.
Na linha 2008, estreou o motor 1.4 Econo.Flex, vindo do Prisma. Com isso, 1.0 VHC ficou só na Joy e Maxx, o 1.4 na Maxx e na Premium e o 1.8 restrito ao falso esportivo SS. Porém o Corsa perdia mimos, como a luz interna com acendimento gradual e o acionamento automático do limpador traseiro.

O derrocada começou no modelo 2010, com o fim do 1.0 VHC e do 1.8. O Agile passava a ser o carro-chefe e o Corsa ficou restrito à versão Maxx. E assim ficou até julho de 2012, quando saiu de linha. Barato, econômico e fácil de manter, o Corsa deve passar a ter boa procura entre os usados, dizem os lojistas. E, na hora da oficina, pesquise bem o preço das peças. As revendas vendem com pronta-entrega, mas a variação de preço entre as autorizadas é grande.

FUJA DA ROUBADA

O Corsa é conhecido pela mecânica simples
e eficiente. o senão fica para a versão Autoclutch, com embreagem automática. Dotado de três módulos e sensores, o sistema servoeletrônico pode dar alguma dor de cabeça em caso de pane.

NÓS DISSEMOS Dezembro de 2007


637_usa_01.jpg 637_usa_01.jpg

>> Confira na edição

“São 105 cv de potência máxima – um haras inteiro acima do palio 1.4, de 81 cv, mais até que o Fox 1.6. o torque diminuiu e isso fez bem ao Corsa. Ficou um carro ágil, sem o nervosismo
do 1.8 ou a apatia do 1.0. Não cansa na estrada e alia esportividade e conforto. (…) os vidros elétricos são tipo um-toque e o controle remoto fecha janelas e tanque de combustível. os faróis de dupla parábola
iluminam melhor e o ar-
condicionado gela muito bem – embora assopre fraco ao abrirmos a recirculação. dócil, avisa quando o motorista começa a passar da conta e perdoa pequenos erros. A suspensão com subchassi absorve bem os buracos da rua. (…) É o único a trazer cinto de três pontos para todos.”

PREÇO DOS USADOS (EM MÉDIA)

Maxx 1.0

2005: 18 065

2006: 19 018

2007: 20 569

2008: 21 564

Maxx 1.4

2005: 22 734

2006: 23 644

2007: 25 101

2008: 26 120

PREÇO DAS PEÇAS Amortecedor dianteiro (cada um)

Original: 290

Paralelo: 240

Pastilhas dianteiras (jogo)

Original: 174

Paralelo: 150

Farol dianteiro (cada um)

Original: 492

Paralelo: 360

Para-choque dianteiro

Original: 352

Paralelo: 260

Kit de embreagem

Original: 405

Paralelo: 300

PENSE TAMBÉM EM UM… Ford Fiesta

637_usa_02.jpg 637_usa_02.jpg

De projeto ligeiramente mais atual que o Corsa, o Fiesta é um carro que alia prazer de dirigir e bom espaço interno. Equilibrado, é obediente aos comandos, sem sacrificar o conforto de marcha. O ponto crítico está no acabamento, um degrau abaixo do do Corsa, mas ele agrada pelo grande número de porta-trecos no interior. O motor Zetec Rocam 1.6 é elogiado pelo elevado torque em baixo giro, enquanto o 1.0 tem desempenho apenas aceitável. Porém ambos são conhecidos pela robustez e confiabilidade. Outras vantagens são o seguro e o custo de manutenção acessíveis, com peças relativamente baratas e disponíveis a pronta entrega.

ONDE O BICHO PEGA637_usa_03.jpg 637_usa_03.jpgDireção

A caixa de direção pode apresentar folga, principalmente se o carro foi muito usado em pisos irregulares. Estalos ao esterçar em manobras são comuns e indicam terminais gastos. Uma revisão geral no sistema não sai por menos de 1500 reais, com peças e mão de obra.

Correia dentada

O motor 1.0 VHC não admite descuidos com o estado da correia dentada e do tensionador. Seu rompimento provocará atropelamento das válvulas, exigindo uma cara retífica. Sai mais barato prevenir. A troca fica em 200 reais.

Acabamento

É o ponto mais crítico do Corsa: plásticos rígidos que riscam e quebram com facilidade, forros de porta que se descolam, estofamento e carpetes desfiados. Uma geral em um bom tapeceiro não sai por menos de 500 reais. Por isso, pechinche ou descarte carros com o interior muito maltratado.

Aterramento

Problema crônico da linha GM,
o aterramento não é bem-feito e, por isso, a corrente acaba fluindo pelo módulo de injeção ou pela bomba elétrica, queimando seus chicotes. O ideal é pedir uma revisão a um bom autoelétrico.

A VOZ DO DONO

637_usa_04.jpg 637_usa_04.jpg

” ́Pequeno mas espaçoso, tem tamanho e suspensões ideais para as grandes cidades. Não esqueceram os porta-trecos nem o espelho no para- sol do motorista. Mesmo com ar e direção, ele anda bem e gasta pouco. Nunca deu problemas e tem peças e mão de obra baratas. A única queixa é mesmo o acabamento, com muito plástico solto, que faz barulho.”

Renata Cavalcante, 26 anos, psicóloga, são Paulo (SP)

O QUE EU ADORO

“O desempenho e o consumo do 1.4 são muito bons. Confortável, tem boa ergonomia e não cansa nem mesmo em viagens longas. O seguro é barato e ainda é fácil de vender.”

Bruno Daniel Zechmeister, 29 anos, engenheiro, Santo André (SP)

O QUE EU ODEIO

“Acho a suspensão muito mole para uma tocada esportiva e o acabamento é ruim: os forros das portas descolam e os grilos de plástico solto são horríveis.”

Bruno Marques, 29 anos, advogado, uberlândia (MG)

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s