Assine QUATRO RODAS por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Toyota Hilux usada é picape com fama de inquebrável e querida nas lojas

A picape média chama atenção pelo alto valor de revenda, mas é confortável e econômica. Só perde na potência....

Por Felipe Bitu Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
18 nov 2023, 12h00
A Hilux manteve a fama do Corolla, de veículo que não dá problemas
A Hilux manteve a fama do Corolla, de veículo que não dá problemas (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Produzido no Brasil há 22 anos, o Corolla levou poucos anos para consolidar-se como a referência entre os sedãs médios. Serviu de parâmetro para a irmã Hilux, que manteve a fama de inquebrável e elevado valor de revenda. A Hilux tornou-se uma picape que alia o rodar confortável à praticidade do câmbio automático de seis marchas.

Nunca foi a mais rápida (0 a 100 km/h em 13,9 segundos), mas seu motor 2.8 turbodiesel de 177 cv e 45,9 kgfm de torque agrada pelo consumo: 10 km/l na cidade e 12 km/h na estrada.

A tração 4×4 (acionada por um seletor eletrônico) está sempre presente nessa configuração de motor. Vale a pena investir na versão topo de linha SRX: traz partida por botão, banco elétrico, faróis de led com acendimento automático, controle de velocidade para descidas e rodas de 18 polegadas.

A intermediária SRV reúne ESP, painel com tela de 4,2 polegadas, bancos de couro, ar-condicionado digital com saída para os bancos traseiros, central multimídia, piloto automático, faróis de neblina e assistentes de reboque e saída de rampas.

Continua após a publicidade

Considere a versão SR apenas se o preço for convidativo, pois ela traz somente o básico: trio elétrico, volante multifuncional, central multimídia e rodas de liga leve aro 17. Uma boa oportunidade para quem deseja uma Hilux barata é optar pela versão standard com câmbio manual de seis marchas, tomando os devidos cuidados por ser uma versão voltada a serviços pesados por frotistas.

Podendo escolher, prefira a versão topo de linha SRX, que é mais equipada
Podendo escolher, prefira a versão topo de linha SRX, que é mais equipada (Christian Castanho/Quatro Rodas)

A melhor novidade de 2017 da Hilux foi o motor flex 2.7 de 163/159 cv. Ele gasta mais (7 km/l na cidade e 8,6 km/l na estrada) e anda menos (0 a 100 km/h em 15,1 segundos), mas aniquilou a concorrência já combinado ao câmbio automático de seis marchas.

Continua após a publicidade

Também vale a pena a versão SRV, a mais equipada: outra dica para pagar menos é procurar pela versão 4×2. A 2018 trouxe avanços: a SR foi renomeada SR Challenge e recebeu faróis e lanternas com máscara negra, santantônio, estribos laterais, rodas pretas, apliques de plástico no para-choque e caixas de roda e grafismos nas laterais. O motor flex 2.7, por sua vez, passou a contar com a (rara) opção do câmbio manual de cinco marchas.

A reestilização promovida no modelo 2019 trouxe poucas mudanças: a topo de linha SRX ganhou luzes diurnas de led nos faróis e, com exceção da versão standard, todas tiveram a dianteira redesenhada, com discretas alterações no para-choque e na grade. Em 2020, todas as versões passaram a contar com airbags laterais e de cortina, além de ESP e assistente de partida em rampas.

Problemas e defeitos da Toyota Hilux

Toyota Hilux usada é picape com fama de inquebrável e querida nas lojas
(Christian Castanho/Quatro Rodas)

Infiltração de poeira:  Problema crônico que afetou os modelos 2016 e 2017, causado por falhas de vedação nas borrachas das portas e por falha nas saídas de ar da cabine. Circule por uma estrada de terra e verifique a limpeza atrás do encosto do banco traseiro.

Continua após a publicidade

Adulteração da ECU:  Mais comum no motor 2.8 turbodiesel, a central eletrônica é modificada para aumentar a pressão de trabalho do turbo e a injeção de combustível. O acréscimo de torque e potência pode prejudicar a transmissão e é identificada pela eliminação do filtro DPF.

Embreagem:  O problema mais comum ocorre no rolamento (colar) em veículos submetidos a condições adversas de trabalho. Verifique se o acionamento do pedal continua suave, sem trepidar ou patinar. O conjunto completo é consideravelmente caro.

Câmbio automático:  Seu funcionamento deve ser suave e regular: trancos e retenções desnecessárias são maus indícios.

Freios:  O uso incorreto do câmbio automático em declives costuma sobrecarregar os discos de freio, situação que provoca o empenamento da peça. O problema é mais fácil de ser detectado em rodovias devido à trepidação do volante em velocidades acima dos 80 km/h.

Continua após a publicidade

A voz do dono

Nome: Germano Hadler
Idade: 47 anos
Profissão: empresário
Cidade: Pelotas (RS)

O que eu adoro:
“Robusta e confiável, mecânica consolidada. O câmbio automático é bem escalonado para uso misto cidade/campo. A ampla rede autorizada facilita a manutenção em qualquer local do país.”

O que eu odeio:
“Falta torque e potência em ultrapassagens. Interior preto realça a infiltração de poeira, problema crônico. Rodas de 18” são inadequadas na terra e há pouca tecnologia pelo preço que se paga.”

Preço das Toyota Hilux usadas (tabela KBB Brasil)

Tabela KBB
(Arte/Quatro Rodas)

Preço das Peças

Preço de peças da Toyota Hilux
nós dissemos (Arte/Quatro Rodas)

Nós dissemos

Toyota Hilux usada é picape com fama de inquebrável e querida nas lojas
(Acervo/Quatro Rodas)

Dezembro de 2015 “Se antes a Hilux já parecia um carro de passeio, a distância para o Corolla ficou ainda menor. A dianteira, com grade e faróis parecendo uma peça só, e os leds não negam a semelhança com o sedã. A cabine ganhou acabamento em tons escuros, (…) com apliques imitando fibra de carbono e alumínio.”

Pense também em uma…

Chevrolet S10 Advantage
(Acervo/Quatro Rodas)

Chevrolet S10  A Advantage tem motor 2.5 flex com 206 cv e câmbio manual de seis marchas. Já traz a central MyLink e trio elétrico. A LT com 4×4 e câmbio automático de seis marchas ou motor 2.8 diesel de 200 cv, sempre 4×4. As LTZ e High Country incluem transmissão automática, ar digital e pacote de segurança completo.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Os automóveis estão mudando.
O tempo todo.

Acompanhe por QUATRO RODAS.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Quatro Rodas impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.