Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Falhas no Cruze automático

Donos relatam riscos ao deixar o carro estacionado

Por Waldez Carmo Amorim Atualizado em 22 abr 2021, 16h53 - Publicado em 17 nov 2013, 22h02
auto-defesa

O padrão do mercado hoje para um carro automático é permitir que o motorista só retire a chave do contato quanto a alavanca estiver na posição P (parking). Esse procedimento garante que o veículo estará sempre engrenado e, portanto, imobilizado mesmo quando estiver estacionado em ladeiras. Um modelo que não tem seguido esse padrão é o Chevrolet Cruze LT, hatch ou sedã, que tem recebido críticas de seus proprietários, tanto pelo risco de poder deixar o sedã estacionado sem o câmbio na posição P como por possíveis falhas no freio de estacionamento.

Um desses proprietários é o arquiteto Edmilson Baréia, de Barretos (SP). “Um dia estacionei meu Cruze com o câmbio na posição D. Após 7 minutos, o veículo começou a descer a garagem, que é quase plana, arrebentou o portão, atravessou a rua e quebrou o portão da casa em frente à minha”, diz. “Já que o câmbio está na posição D [Drive], o Cruze deveria estar engatado. O carro deixou que eu tirasse a chave do contato”, diz Edmilson.

Problema semelhante teve a advogada Nádia Furlan Masculli, de Valinhos (SP). “Parei em uma ladeira perto do meu escritório. Uma hora depois me chamaram dizendo que ele havia descido a rua e batido na árvore. Quando cheguei ao local, o freio de mão estava acionado e o câmbio em D. Como o carro andou de ré com o câmbio engatado em D?”

Relatos como os de Edmilson e Nádia já começam a virar motivo de preocupação para alguns proprietários de Cruze. “Depois de ter lido sobre casos de acidentes, passei a ficar com medo de o freio de mão não segurar o carro”, diz Thiago Gomes, de São Paulo.

O mais curioso, no entanto, é que o problema não afetaria a versão LTZ, topo de linha, mas atingiria também os modelos Onix, Sonic e Cobalt. Solicitamos a análise de um Cruze LT 2012 automático para a empresa Brasilautomático, centro técnico em São Paulo especializado em transmissões automáticas, que detectou dois problemas com o sistema. “O primeiro é que a chave pode ser retirada do contato ao se desligar o veículo, com a alavanca de seleção de marchas em qualquer posição. Normalmente, os veículos com transmissão automática só liberam a retirada da chave da ignição com a alavanca na posição P”, diz o laudo técnico da empresa.

Outro problema verificado foi que o sedã não permanece imobilizado pelo câmbio quando a alavanca está em outra posição que não seja a P. “Acreditamos que seja resultado de um sistema que equipa esse veículo que põe a transmissão em Neutro, mesmo com a alavanca em outra posição, caso o carro esteja parado.”

O POVO RECLAMA

“Parei o carro na entrada de uma casa e algumas horas depois vi que o carro tinha atravessado a rua até parar encostado na outra calçada.”

Continua após a publicidade

Gilmar Dias Barcelos, representante comercial, Pelotas (RS), dono de um Cruze LT 2012

“Quando voltei do trabalho, me avisaram que meu carro havia descido a rua e batido, mesmo com o freio de mão puxado.”

Mariana Perroni, médica, São Paulo (SP), dona de um Cruze LT 2013

RESPOSTA

A GM diz que não tem conhecimento de reclamações envolvendo falhas do freio de mão do Cruize. Sobre a retirada da chave em qualquer posição do câmbio, ela afirma que o procedimento está correto, desde “que se desligue o motor”.

CONTE-NOS SEU PROBLEMA

Seu carro tem algum defeito de fabricação ou de projeto que o deixa irritado? Ouviu falar de problema que mereça um recall? Passou por uma situação em que seus direitos de consumidor foram violados? Então escreva para nós: 4rodas.abril@abril.com.br

Continua após a publicidade
Publicidade