Cinco tipos de multa que é preciso evitar nas férias

Se você não costuma pegar estrada sempre, cuidado com as infrações que muito motorista vive esquecendo ou nem lembra que existem

Suportes para bicicletas não podem cobrir a placa; se isso ocorrer, é necessário instalar uma placa extra

Suportes para bicicletas não podem cobrir a placa; se isso ocorrer, é necessário instalar uma placa extra (Ricardo Rollo)

Há situações em que você acha que está fazendo tudo direitinho até ser parado numa blitz na estrada e receber uma multa. Para que isso não aconteça com você, mostramos cinco casos que podem pesar no bolso (e no prontuário) do motorista que não está acostumado a viajar.

 

1) Esconder a placa com a bicicleta na traseira (7 pontos, R$ 293,47)

A maioria dos suportes de bikes instalados atrás do carro acaba escondendo a placa quando em uso. Nem adianta só colocá-la por cima da bicicleta. O correto é utilizar uma placa extra (pois ela tem de estar lacrada) num suporte com iluminação própria.

 

2) Não usar faróis baixos de dia na rodovia (4 pontos, R$ 130,16)

Como a lei 13.290/16 é nova e já foi suspensa antes, muitos esquecem ou acham que não está valendo. Para não correr riscos, alguns motoristas estão adquirindo o hábito de andar com eles sempre ligados. Os faróis diurnos de leds, os DRLs, também resolvem a situação se você tiver um carro que venha equipado com eles.

 

3) Bagageiro no teto com excesso de altura (5 pontos, R$ 195,23)

Quem precisa de mais espaço e vai recorrer ao bagageiro tem de estar atento a algumas regras. A primeira é que as cargas não podem ultrapassar a largura do teto e o comprimento do veículo. A segunda é que a altura máxima da carga, a não ser no caso de bicicletas, não pode passar de 50 cm.

 

4) Levar carga muito longa na caçamba (5 pontos, R$ 195,23)

A mesma resolução que disciplina a carga no bagageiro estabelece que não se pode levar numa picape nada que vá além de 60% do entre-eixos depois do eixo traseiro. Explicando: para transportar um caiaque na caçamba da Toro, ele não pode avançar mais do que 1,79 metro além do eixo traseiro. Essa medida corresponde a 60% do entre- eixos de 2,98 metros desse modelo. Aliás, se precisar andar com a tampa da caçamba abaixada, isso é permitido, desde que a placa não fique oculta.

No caso dos extensores de caçamba oferecidos para a Fiat Toro e Renault Oroch, pode ficar tranquilo: eles respeitam as medidas máximas permitidas (desde que a carga não ultrapasse os limites do próprio extensor) e incluem um suporte adicional para a placa extra. No caso da Toro, há até lanternas adicionais – na Oroch isso não é necessário, pois as lanternas originais não são obstruídas pelo equipamento.

 

5) Levar animal no colo (4 pontos, R$ 130,16)

É comum vermos na estrada um cãozinho curtindo o vento na janela do motorista. Isso pode ocasionar multa (e um acidente). A lei diz que levar pessoas, animais ou volumes soltos à sua esquerda ou entre os braços e pernas é uma infração de trânsito. O ideal é deixar o bichinho no banco de trás, preso num cinto específico.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Gustavo Vasques

    Meu caro

    O Código de Trânsito Brasileiro exige o uso de faróis baixos acesos sempre que o veículo transitar em uma rodovia ( Art. 40, I ). Observe-se que o legislador esqueceu de fereri as estradas, onde a poeira reduz a visibilidade enormemente. Continuando, devemos saber o que seja uma rodovia, tendo em mente que a lei divide as vias de trânsito em rurais e urbanas (Art. 60), referindo que rodovias são vias rurais( Art. 60, II, a. Em seu art. 4º, o Código reza que “os conceitos e definições estabelecidos para os efeitos deste Código são os constantes do Anexo I”. Logo, leia-se o dito anexo. Lá etá definido que “VIA RURAL -estradas e rodovias” , e VIA URBANA – ruas , avenidas, vielas ou caminhos e similares abertos à circulação pública, situados na área urbana, caracterizados principalmente por possuirem imóveis edificados ao longo da sua extensão”. ASSIM, enquanto não houver sinalização do que seja zona rural e zona urbana, dentro dos parâmetros utilizados pelo Código, não é possível autuar os motoristas ” infratores” . Observe-se que o art. 90 do Código é claro, ao dizer que “não serão aplicadas as sanções previstas neste Código por inobservância à sinalização qua ndo esta for insuficiente ou incorreta”. E o § 1º do mesmo art. esclarece que ” o órgão ou entidade de trânsito com circunscrição sobre a via é responsável pela implantação da sinalização, respondendo por sua falta, insuficiência ou incorreta colocação”. Diante disso, para qualquer autuação é necessária a implementação da sinalização mostrando o que seja zona urbana e zona rural, pois o Código não prevê rodovias urbanas.