Clique e assine por apenas 8,90/mês

Longa Duração: Proprietários arriscam palpites sobre Hyundai Creta

Façam suas apostas! Já com 60.000 km e às vésperas da desmontagem, donos de SUV falam sobre quais pontos devem ser destaque no carro

Por Péricles Malheiros - 23 ago 2018, 19h16
Hyundai Creta
José Luiz: expectativa é boa para o desmonte Renato Pizzutto/Quatro Rodas

dúvida surgiu de um bate-papo na redação de QUATRO RODAS: haverá algum defeito oculto que não observamos ao longo dos 60.000 km?

Afinal, desde que o SUV chegou, foram raros os problemas de convivência – e sem nenhuma queixa em relação à parte mecânica.

Por isso, consultamos alguns dos principais grupos de donos de Creta nas redes sociais para descobrir como tem sido a relação deles com o modelo e, principalmente, qual a expectativa para o desmonte do nosso.

No geral, os comentários foram positivos. “Não tenho do que reclamar. O carro anda bem e tem muito espaço. Não apresenta nenhum barulho, mesmo em ruas de paralelepípedo. Para ser sincero, acho que ele surpreenderá. Arrisco dizer que poderá ser um dos melhores desmontes de todos os tempos”, afirma o professor universitário Anderson Schwingel, proprietário de um Creta Pulse 1.6 16V automático desde fevereiro de 2017.

Continua após a publicidade

“Certeza que o Creta da QUATRO RODAS se sairá muito bem. Tenho um Prestige 2.0 (igual ao de Longa Duração) desde janeiro de 2017 e tudo nele está perfeito. Ele está prestes a ir para a revisão dos 30.000 km e minha única queixa é a necessidade de aplicação de muita força para fechar as portas”, explica o engenheiro Nelson Volyk, relembrando uma dificuldade reportada diversas vezes pelos usuários do nosso carro, sobretudo na fase inicial do teste.

Para José Luiz do Nascimento, que comprou um Prestige 2.0 em dezembro de 2017 e rodou 4.000 km desde então, o consumo de combustível é um dos poucos pontos negativos.

“Meu carro faz apenas 6,5 km/l de gasolina na cidade. Quando o trânsito flui um pouco melhor, a média melhora para 8 km/l. Alivia a conta, mas ainda é um SUV gastão”, comenta.

A única aposta negativa dos donos de Creta foi para a suspensão. “Arrisco o palpite de que ao menos um dos amortecedores estará ruim. No meu Prestige, o dianteiro esquerdo passou a fazer barulho”, afirma o advogado Olavo Luvian.

Continua após a publicidade

Carregado de elogios e alvo de raras críticas, o Creta tende a ir bem no desmonte, mas a confirmação (ou decepção) virá no próximo post.

Hyundai Creta – 60.220 km

    Ficha técnica

    • Versão: Prestige 2.0 16V
    • Motor: 4 cilindros, dianteiro, transversal, 1.999 cm3, 16V, 166/156 cv a 5.600 rpm, 20,5/19,1 mkgf a 4.700 rpm
    • Câmbio: automática, 6 marchas
    • Combustível: flex (gasolina)
    • Seguro (perfil QUATRO RODAS): R$ 3.695
    • Revisões (até 60.000 Km): R$ 3.249
    Publicidade