Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Longa duração: Cruze tem recursos eletrônicos mal aproveitados

Completo, o Cruze encantou no início da jornada, mas hoje são raros os motoristas que utilizam boa parte dos seus equipamentos

Por Péricles Malheiros Atualizado em 10 jan 2018, 14h20 - Publicado em 3 jan 2018, 12h52
Marcos: "Raramente uso o sistema de auxílio em manobra"
Marcos: “Raramente uso o sistema de auxílio em manobra” Renato Bizzutto/Quatro Rodas

Quando compramos nosso Cruze, em outubro de 2016, pagamos R$ 10.460 pelo pacote de opcionais R7F, chamado informalmente pela GM de LTZ-2.

O kit, exclusivo da versão LTZ, inclui alerta de colisão, assistente de manutenção de faixa, farol alto adaptativo, alerta de veículo no ponto cego, carregamento de celular por indução, sistema de estacionamento semiautomático e banco do motorista elétrico.

Mas, 60.000 km depois, nos demos conta: “O sistema de auxílio ativo de estacionamento encantou a equipe, mas o fato é que poucos meses depois da chegada do Cruze à frota de Longa, ninguém mais usava o dispositivo”, diz Péricles Malheiros, editor responsável pela seção.

Decidimos, então, ver se outros donos de Cruze também enjoaram dos brinquedos eletrônicos.“Rodo bastante na cidade. Então, faço muito uso dos alertas de colisão e de ponto cego.  Trocaria fácil o farol alto automático por faróis mais eficientes”, conta o projetista Fábio Melo, 32 anos, dono de um Cruze Sport6 LTZ-2.

Continua após a publicidade

O analista de sistemas Marcos Dizarro, 27 anos, porém, ainda diz utilizar o sistema ativo de auxílio de estacionamento do seu Cruze LTZ-2. “Não é sempre e, quando uso, é em vagas paralelas. O problema é que justamente nelas sinto falta de um simples sistema tiltdown no espelho, pois é comum o carro resvalar na guia durante o processo de manobra.”

Marcos assume ser fã e consumidor de tecnologia,mas faz suas críticas: “Não me vejo mais comprando um carro que não disponha dos itens do LTZ-2 , mas sinto falta de frenagem autônoma, que daria muito mais utilidade ao alerta de colisão e ao piloto automático”.

Entre encantos e desencantos, o fato é que nosso Cruze está pronto para o desmonte. Mas isso é assunto para a próxima edição.

GM Cruze – 60.245 km

Consumo

  • No mês: 9,7 km/l com 11,7% de rodagem na cidade
  • Desde out/16: 8,3 km/l com 23,5% de rodagem na cidade
  • Combustível: flex (etanol)

Gastos no mês

  • Combustível: R$ 613

Ficha técnica

  • Versão: LTZ 1.4T
  • Motor: 4 cilindros, dianteiro, transv., 1.399 cm3, 16V, 153/150 cv a 5.200 rpm, 25,5/24 mkgf a 2.000/2.100 rpm
  • Câmbio: automático, 6 marchas
  • Combustível: flex (gasolina)
  • Seguro (perfil QUATRO RODAS): R$ 5.031
  • Revisões (até 60.000 Km): R$ 3.236
Continua após a publicidade

Publicidade