Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Kia Rio é hatch automático a preço de Onix e HB20, mas não por muito tempo

Sem aumento desde o lançamento, o Kia Rio passou de hatch compacto caro a alternativa interessante diante de Polo, Onix e HB20

Por Henrique Rodriguez Atualizado em 24 jan 2021, 23h45 - Publicado em 25 jan 2021, 07h43
Kia Rio EX vermelho frente
Faróis têm projetores e os leds diurnos ficam em arco ao redor deles Fernando Pires/Quatro Rodas

Carros de todas as categorias e todas as faixas de preço tiveram sucessivos aumentos desde o início da pandemia da Covid-19. Alta do dólar e preço dos insumos (muitas vezes, em falta) foram os principais causadores. Como toda regra tem exceção, isso não aconteceu com o Kia Rio, que parece ter parado no tempo. Mais especificamente em janeiro de 2019, quando o dólar estava a R$ 3,65 – bem distante dos R$ 5,10 no momento em que escrevíamos este texto.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 7,90

Sem reajuste, o compacto sul-coreano fabricado no México passou de mau negócio a alternativa interessante aos hatches compactos nacionais mais vendidos, como Chevrolet Onix, Hyundai HB20 e VW Polo. E será assim até a chegada de um novo lote do carro, com preços atualizados.

Kia Rio EX vermelho traseira
Kia Rio consegue se diferenciar bem pelo design, mas luzes de led nas lanternas cairiam bem nele Fernando Pires/Quatro Rodas

Hoje, o Kia Rio na versão de entrada EX sai por R$ 69.990, com controle de estabilidade e tração, ar-condicionado, direção elétrica, central multimídia com Android Auto e Apple CarPlay, e trio elétrico de série.

Um Gol 1.6 MSI Automático básico custa R$ 67.660 e se você quiser incluir central multimídia equivalente, rodas de liga leve, trio elétrico, faróis de neblina e chave canivete o preço vai a R$ 73.690, sem controle de estabilidade.

O Kia até parece uma barganha, mas existe o HB20 Vision Pack automático, que também custa R$ 69.990 e tem a vantagem de ser o segundo carro mais vendido do Brasil, o que tende a torná-lo melhor na revenda e na manutenção pela disponibilidade de peças principalmente.

Kia Rio EX vermelho lateral
Na pista de testes, o hatch conseguiu as marcas de 10 km/l na cidade e 14,7 km/l na estrada Fernando Pires/Quatro Rodas

Hyundai HB20 e Kia Rio compartilham o mesmo motor 1.6 16V flex de 130 cv e 16,5 kgfm, o mesmo câmbio automático de seis marchas, além da mesma plataforma – ainda que o Kia seja sensivelmente maior. E essa relação acaba expondo algumas faltas difíceis de justificar.

Nosso teste foi com o Kia Rio mais caro, na versão LX, que já não é tão vantajosa como a de entrada.

  •  

     

    O pacote de equipamentos inicial soma faróis com luzes diurnas de led, bancos de vinil, ar-condicionado automático e retrovisores com repetidores de pisca, desembaçador e rebatimento elétrico, e custa R$ 79.990. E o segundo pacote inclui rodas aro 17 e freios a disco na traseira, o que leva o preço a R$ 81.990.

    Kia Rio EX vermelho painel
    Painel e console são práticos e bonitos, mas o computador de bordo faz falta Fernando Pires/Quatro Rodas

    Com esse conteúdo, o hatch da Kia alcança um patamar de preços delicado. Ainda faltam, por exemplo, airbags laterais (que o VW Polo Comfortline 1.0 turbo, de R$ 79.790, e o próprio HB20 1.6 têm) e os de cortina (que você encontra no Chevrolet Onix Premier 1.0 turbo, de R$ 78.690).

    Continua após a publicidade

    E esse é um problema comum ao Peugeot 208 Active Pack (R$ 82.490), mas o francês tem teto solar, um item caro que ajuda a justificar seu preço. E mesmo o Rio mais caro não tem ajuste de profundidade da direção e computador de bordo.

    Se a questão é status, por um lado o Kia Rio não é impactante como o Peugeot 208, mas por outro consegue sua dose de atenção no trânsito por ser importado, diferente. Mesmo por dentro ele foge um pouco do usual.

    Kia Rio EX vermelho banco
    Versão mais cara tem bancos de vinil e rodas aro 17 Fernando Pires/Quatro Rodas

    Tudo bem que a central multimídia tem praticamente a mesma interface dos Hyundai nacionais, mas o controle do ar-condicionado vem com visual próprio, os porta-objetos são grandes e úteis (um smartphone cabe perfeitamente em um deles) e o painel exibe personalidade própria, mas o acabamento, em geral, é simples: mesmo a parte emborrachada no painel das portas não se destaca, por ter aspecto de plástico rígido.

    Atrás, o espaço é mais amplo que o do HB20, graças ao entre-eixos 5 cm maior. Isso também resultou em porta-malas maior, com 325 litros, 25 a mais que o HB20 e 5 a mais que o Renault Sandero, referência entre os hatches.

    Em movimento, o Rio só peca pela suspensão um pouco mais firme que o usual, mas tem dinâmica tão boa quanto a do primo Hyundai. A direção elétrica tem respostas rápidas e é pesada na medida certa.

    Kia Rio EX vermelho porta-malas
    O porta-malas com capacidade de 325 litros é o maior entre os hatches Fernando Pires/Quatro Rodas

    O motor 1.6 garante desempenho aceitável, mas o consumo poderia ser melhor se o câmbio automático de seis marchas, com trocas sequenciais apenas na alavanca, não insistisse em reter marchas além das 4.000 rpm. Na pista de testes, o hatch conseguiu chegar aos 100 km/h em 11,8 s e cravou 10 km/l no consumo urbano e 14,7 km/l no rodoviário, sempre com gasolina no tanque – que tem modestos 45 litros.

    Para quem estiver à procura de um hatch automático por menos de R$ 70.000, vale ter no radar a versão de entrada do Kia Rio, especialmente se for utilizar um carro usado como entrada. As concessionárias Kia costumam avaliar os usados melhor, na tentativa de garantir a venda.

    Mas se o alvo for a versão mais completa EX, o salto de R$ 12.000 aliado à falta de mais airbags e assistentes autônomos (nessa faixa de preço o HB20 freia sozinho e o Onix estaciona sozinho) dificultam sua vida.

    Veredicto – Para quem estreou caro, hoje o Kia Rio está no patamar de preço dos rivais. Mas, se tivesse um pacote de equipamentos mais completo, ele ficaria ainda mais interessante.

    Teste – Kia Rio EX

    • Aceleração
      0 a 100 km/h: 11,8 s
      0 a 1.000 m: 33 s – 158,9 km/h
      Velocidade máxima – n/d*
    • Retomada
      D 40 a 80 km/h: 5,1 s
      D 60 a 100 km/h: 6,3 s
      D 80 a 120 km/h: 8 s
    • Frenagens
      60/80/120 km/h – 0 m: 14,4/25,8/57,9 m
    • Consumo
      Urbano: 10 km/l
      Rodoviário: 14,7 km/l

    Ficha técnica – Kia Rio EX

    Preço: R$ 81.990
    Motor: flex, diant., transv., 4 cil., 1.591 cm3, 16V, 77 x 85,4 mm, 11:1, 130/123 cv a 6.000 rpm, 16,5/16 kgfm a 4.500 rpm
    Câmbio: 6 marchas, tração dianteira
    Suspensão: McPherson (diant.) / eixo rígido (tras.)
    Freios: disco ventilado (diant.), disco sólido (tras.)
    Direção: elétrica
    Rodas e pneus: liga leve, 225/60 R17
    Dimensões: compr., 406,5 cm; larg., 172,5 cm; alt., 145 cm; entre-eixos, 258 cm; vão livre do solo, 14 cm; peso, 1.141 kg; tanque, 45 l; porta-malas, 325 l

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

    Quatro Rodas capa 741

    Continua após a publicidade
    Publicidade