Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Jeep Compass 1.3 turbo anda bem, mas Corolla Cross 2.0 não fica para trás

Alinhamos os SUVs que custam exatamente o mesmo, nas versões de entrada. A disputa foi apertada, mesmo com mecânicas diametralmente opostas

Por Paulo Campo Grande Atualizado em 21 Maio 2021, 09h24 - Publicado em 21 Maio 2021, 09h20
JEEP COMPASS SPORT T270 x TOYOTA COROLLA CROSS XR
Recém-lançado, o Corolla Cross só aguardava o Compass renovado Fernando Pires/Quatro Rodas

Oferecido em nove versões, resultado da combinação de motor (flex e diesel), transmissão (6 e 9 marchas), tração (4×2 e 4×4) e conteúdo, o Jeep Compass tem um posicionamento (com preços entre R$ 139.990 e R$ 216.990) que o torna potencial rival de vários outros SUVs, dos compactos, como o Honda HR-V, aos médios aspirantes do segmento premium, como o Ford Bronco Sport.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 8,90 

Considerando preço e segmento, a opção que mais se alinha ao Compass é o Toyota Corolla Cross, ambos nas versões de entrada, que custavam exatamente os mesmos R$ 139.990. Isso porque o Corolla Cross chegou às lojas com quatro opções, frutos do cruzamento de motor (flex e híbrido flex) e conteúdo, com preços entre R$ 139.990 e R$ 179.990. Após o primeiro aumento, passou a custar entre R$ 143.490 e R$ 184.490.

  • Os carros mostrados nas fotos são versões mais bem equipadas que as básicas. No caso do Compass, trata-se de um exemplar da Série S (R$ 187.990) e, no do Corolla Cross, da versão XRE (R$ 149.990). São as unidades que as fábricas dispunham para emprestar.

    jeep compass x corolla cross
    Compass manteve os contornos das lanternas inalterados Fernando Pires/Quatro Rodas

    Mas, para efeito de comparação, os conteúdos considerados no texto são os das versões mais simples, Sport e XR, respectivamente. Nas configurações de entrada, os dois SUVs têm motores flex. Nas versões mais caras, o Jeep vem com motor diesel e o Toyota, híbrido.

    Ambos os SUVs trazem propostas parecidas, de veículos familiares. Mas cada marca tem seu DNA próprio, que influencia todas as características dos carros. Começa pelo visual.

    Compass
    Na versão Sport, a central multimídia tem tela de 8,4”, os instrumentos são analógicos e os bancos de couro são opcionais Fernando Pires/Quatro Rodas

    O Jeep apresenta uma identidade de marca mais forte, que se reconhece à distância, graças a elementos como a grade dianteira de sete aberturas ou as caixas de rodas trapezoidais, enquanto o Toyota tem alguns pontos em comum com outros modelos da marca, como a ligação visual entre o para-brisa e os vidros laterais, que existe no RAV4, mas são sinais mais tênues de sua linhagem. O aspecto mais poderoso para a imagem do Corolla Cross é seu nome emprestado do sedã de mais prestígio do mercado.

    Carro na mão

    No comportamento dinâmico dos veículos essa ancestralidade também se manifesta. Os dois são modelos preocupados com a vida a bordo, mas cada projeto revela um entendimento diferente de conforto, por exemplo.

    COMPASS
    Com a fita métrica em mãos, o espaço interno do Compass é muito parecido com o do Corolla Cross, com conforto para cinco ocupantes Fernando Pires/Quatro Rodas

    O Compass parece um carro mais bem assentado sobre os pneus (225/60 R17). Sua suspensão (independente nos dois eixos) é mais firme. E a direção (elétrica) pesada. Talvez, no uso diário, ele se torne mais cansativo que o Toyota. Mas, para quem gosta de dirigir, ele é um carro mais na mão, que passa mais confiança nas curvas, com menos rolagem da carroceria.

    O Corolla, por sua vez, é um carro para ser dirigido de forma relaxada, sem stress. Sua direção elétrica é leve (demais) e a suspensão (interdependente, atrás) bem macia. Ele não chega a ser inseguro, mas o motorista precisa de um tempo para confiar no carro. Seus pneus têm medidas 215/60 R17.

    Compass
    O 1.3 turbo do Jeep gera 185 cv com etanol. Série S é a mais completa da linha com motor flex. Rodas são pintadas na cor de titânio Fernando Pires/Quatro Rodas

    Outra diferença entre os dois está no trem de força (motor e transmissão). O Compass estreia um novo motor 1.3 de quatro cilindros, desenvolvido dentro dos preceitos do downsizing, com menos deslocamento volumétrico e mais recursos para aumentar sua eficiência (desempenho e consumo).

    Entre esses recursos há alimentação forçada por turbocompressor, injeção direta de combustível e comando de válvulas variável (na admissão). Esse motor entrega 185/180 cv de potência a 3.750 rpm e 27,5 kgfm a 1.750 rpm.

    Compass Rodas
    Fernando Pires/Quatro Rodas

    O câmbio é automático, com conversor de torque, de seis marchas. O Corolla Cross traz uma receita mais tradicional, mas também sofisticada do ponto de vista técnico.

    Seu 2.0 é aspirado, mas tem sistema de injeção direta e indireta de combustível e duplo comando de válvulas com variação na admissão e no escape. Como resultado, ele gera 177/169 cv a 6.600 e 21,4 a 4.400 rpm. E o câmbio é automático CVT, com dez marchas, sendo a primeira por engrenagens.

    Continua após a publicidade

    Resultados na pista

    O motor do Jeep produz mais força e em rotações mais baixas, o que lhe garante maior desenvoltura no trânsito. Mas, na pista de testes, os dois SUVs ficaram tecnicamente empatados nas medições de desempenho.

    Corolla Cross
    Parte plástica do para-choque vai quase até o
    bocal do tanque Fernando Pires/Quatro Rodas

    Nas acelerações de 0 a 100 km/h, o Jeep conseguiu o tempo de 10,3 segundos, enquanto o Toyota fez 10,5 segundos. Nas retomadas de 60 a 100 km/h, o Compass precisou de 5,7 segundos e o Corolla Cross, 5,5 segundos.

    Até nas provas de frenagem, eles apresentaram respostas semelhantes. Vindo a 80 km/h, o Jeep percorreu 26,9 m até a parada e o Toyota estancou em 26,6 m. O desempate a favor do Corolla Cross, no entanto, veio nos ensaios de consumo.Ele ficou com as médias de 12 km/l, na cidade, e 15,4 km/l, na estrada, enquanto o Compass obteve 9,3 km/l e 13 km/l, respectivamente.

    COROLLA-CROSS
    Na capacidade do porta-malas, o Corolla Cross leva 440 litros, enquanto o Compass acomoda 410 litros Fernando Pires/Quatro Rodas

    O ponto em que as duas marcas mais concordam é a reduzida oferta de equipamentos, nestas versões de entrada. Não espere encontrar centrais multimídia e painéis digitais com as maiores telas que existem e nem os sistemas de assistência ao motorista, como detector de pontos cegos, frenagem autônoma e piloto automático adaptativo, recursos alardeados pelas fábricas.

    Comparando a relação de itens de cada modelo, a Jeep é mais generosa, entretanto. O Compass Sport tem central multimídia com tela de 8,4” e conexão com os sistemas Apple CarPlay e Android Auto sem cabo; led nos faróis, faróis de neblina e lanternas; freio de estacionamento eletromecânico com função hold; chave presencial e ar-condicionado digital bizona.

    O Corolla Cross XR traz central multimídia com tela de 8” e conexão com Apple CarPlay e Android Auto via cabo, apenas faróis de neblina de led, freio de estacionamento mecânico (com pedal), chave convencional e ar-condicionado digital monozona.

    Corolla Cross
    O 2.0 do Toyota entrega 177 cv. Versão XRE é intermediária na linha do Corolla Cross. Rodas têm acabamento diamantado Fernando Pires/Quatro Rodas

    O único ponto que o Corolla Cross se destaca é no fato de ter sete airbags de série (dois frontais, dois laterais e dois de teto, mais um de joelhos para o motorista), ante seis presentes no rival.

    Qualidade construtiva

    Na vida a bordo os dois SUVs se equivalem. Na cabine, as medidas do espaço interno são muito próximas. No porta-malas, o Toyota tem 30 litros a mais. São 440 litros, contra 410 litros do Jeep.

    Os motoristas têm ajustes de volante (altura e profundidade) e dos bancos (altura e distância do assento e inclinação do encosto). Atrás, há saídas de ar-condicionado nos dois.

    Corolla Cross
    Fernando Pires/Quatro Rodas

    Já no que diz respeito ao acabamento, por fora, os dois têm molduras nas caixas de roda na cor preta e maçanetas na cor da carroceria. Por dentro, os bancos são de tecido e há frisos cromados em pontos específicos do painel, contrastando com os materiais predominantemente pretos.

    Na qualidade construtiva e de encaixe das peças, o Jeep é superior, porém. O Toyota apresentou vãos de tamanhos variáveis entre as portas e as borrachas, que pareciam estar prestes a se soltar ao redor dos vidros.

    A decisão de compra entre um desses dois modelos pode se dar por afinidade, simpatia pela marca ou identificação com o estilo de vida que cada carro transmite. Mas, por ser um carro mais rápido no dia a dia, transmitir mais confiança na estrada, ter pacote de equipamentos mais completo e um acabamento de qualidade superior, o Compass fica em primeiro lugar neste confronto.

    Verecto

    Pelo mesmo preço de tabela, o Jeep Compass Sport entrega mais que o Toyota Corolla Cross XR. Ele é mais equipado, gostoso de dirigir e apresentou acabamento mais bem cuidado.

    Testes de desempenho e consumo

    Compass 1.3 Turbo flex Corolla Cross 2.0 flex
    Aceleração
    0 a 100 km/h 10,3 s 10,5 s
    0 a 1.000 m 31,7 s – 165,1 km/h 31,8 s – 167,9 km/h
    Velocidade máxima n/d * n/d *
    Retomadas
    D 40 a 80 km/h 4,5 s 4,4 s
    D 60 a 100 km/h 5,7 s 5,5 s
    D 80 a 120 km/h 7,2 s 6,9 s
    Frenagens
    60/80/120 km/h a 0 14,8/26,9/61,3 m 14,7/26,6/61,7 m
    Consumo
    Urbano 9,3 km/l 12 km/l
    Rodoviário 13 km/l 15,4 km/l
    Ruído interno
    Neutro/RPM máx. 46,2/65,7 dBA 40,5/64,8 dBA
    80/120 km/h 63,8/67,7 dBA 61,8/68,9 dBA
    Aferição
    Velocidade real a 100 km/h 97 km/h 95 km/h
    Rotação do motor
    a 100 km/h em 5a marcha
    1.800 rpm 1.500 rpm
    Volante 2,5 voltas 2,7 voltas
    SEU Bolso
    Preço básico R$ 139.990 R$ 143.490
    Concessionárias 190 216
    Garantia 3 anos 5 anos
    Revisões até 60.000 km R$ 4.715 n/d

    Condições de teste: alt. 660 m; temp., 35/27°C; umid. relat., 44/47%; press., 1.012/1.014 mmHg

    Ficha técnica – Jeep Compass Sport T270: 

    • Motor: flex, diant., transv., 4 cil., 16V, turbo, comando de válvulas variável na admissão, injeção direta, 1.332 cm³, 185/180 cv a 3.750 rpm, 27,5 kgfm a 1.750 rpm
    • Câmbio: automático, 6 m., tração dianteira
    • Direção: elétrica
    • Suspensão: McPherson nos dois eixos
    • Freios: disco ventilado (diant.), sólido (tras.)
    • Pneus: 225/60 R17
    • Peso: 1.504 kg
    • Dimensões: compr., 440,4 cm; larg., 191,8 cm; alt., 163,2 cm; entre-eixos, 263,6 cm; porta-malas, 410 l; tanque de comb., 60 l

    Ficha técnica – Toyota Corolla Cross XR: 

    • Motor: flex, diant., transv., 4 cil., 16V, com. variável na admissão e no escape, inj. direta e indireta, 1.987 cm³, 177/169 cv a 6.600 rpm, 21,4 kgfm a 4.400 rpm
    • Câmbio: CVT, 10 m., tração dianteira
    • Direção: elétrica
    • Suspensão: McPherson (diant.), eixo de torção (tras.)
    • Freios: disco ventilado (diant.), sólido (tras.)
    • Pneus: 215/60 R17
      Peso: 1.420 kg
    • Dimensões: compr., 446 cm; larg., 182,5 cm; alt., 162 cm; entre-eixos, 264 cm; porta-malas, 440 l; tanque de comb., 47 l

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital

    Continua após a publicidade
    Publicidade