Assine QUATRO RODAS por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Ford F-150 Lightning é picape elétrica com força de ônibus e 458 cv

Versão básica da F-150 elétrica tem interior simples, mas performance se destaca com aceleração de esportivo e suspensão inovadora para picapes

Por Eduardo Passos
Atualizado em 28 set 2023, 19h27 - Publicado em 28 set 2023, 17h00

“Escravos do próprio sucesso”. É assim que pessoas que realizaram grandes feitos eventualmente se definem, explicando que o acerto do passado gera uma pressão imensa para que mantenham esse desempenho. De certo modo, é o que viveu a Ford ao lançar a Ford F-150 Lightning.

Por mais de quatro décadas, a F-150 (e sua família F-Series) é o veículo mais vendido do imenso mercado dos Estados Unidos. Naturalmente, as expectativas pela variante elétrica da picape grande seriam altas. Mas a fabricante assumiu a responsabilidade e fez dela seu segundo carro elétrico a ser lançado, logo após do (igualmente desafiador) Mustang Mach-E.

Suspensão traseira é totalmente diferente do que se usa em picapes grandes a combustão
Suspensão traseira é totalmente diferente do que se usa em picapes grandes a combustão (Divulgação/Ford)

Já andamos na F-150 Lightning Platinum, a versão topo de linha, que se destaca não apenas pela mecânica, mas pelo interior luxuoso e tecnológico que ajudam a elevar seu preço aos US$ 93.990. Dessa vez, conhecemos a F-150 Lightning Pro, versão de entrada que sai por US$ 51.990 — com isenções fiscais, ela pode chegar a cerca de US$ 45.000. Mesmo básica, ela faz bonito: são dois motores, tração integral e nada menos que 458 cv e 107,1 kgfm.

Ainda que muito mais discreta, é na Lightning Pro que reside grande parte dos desafios da Ford: as versões de trabalho correspondem ao grosso das vendas da F-150 tradicional, e quem compra um veículo para trabalho é muito mais sensível ao preço. Tanto que a Chevrolet, por exemplo, tentou criar uma versão na casa dos US$ 40.000 para a Silverado EV, mas já anunciou que a missão deu errado.

Dianteira seguiu estilo clássico (e isso gerou prós e contras)
Dianteira seguiu estilo clássico (e isso gerou prós e contras) (Divulgação/Ford)

Ao mesmo tempo, os atributos de um veículo elétrico são uma faca de dois gumes. Ao mesmo tempo que a Ford F-150 Lightning Pro tem vantagens imbatíveis, ela também tem pontos fracos — além de curiosas semelhanças com modelos que conhecemos bem.

Continua após a publicidade

Design

Se a ousadia no Mustang Mach-E dividiu opiniões, na F-150 Lightning a Ford foi bem mais prudente na estética — medida inteligente, dado que o comprador de picapes tende a ser mais conservador nesse aspecto.

De lado é difícil notar diferenças da variante elétrica
De lado é difícil notar diferenças da variante elétrica (Divulgação/Ford)

Assim, o estilo geral da F-150 a combustão é repetido na irmã elétrica. Destaca-se a dianteira, com faróis que fazem releitura leve da versão convencional, mantendo o par de projetores em leds em cada lado. As DRLs mantêm a forma de letra C, mas são mais grossas; na versão Platinum elas são unidas por uma barra horizontal na base do capô, mas, aqui, essa peça é substituída por plástico preto sem muito capricho. Esse plástico, inclusive, é o que substitui a grade frontal na Lightning Pro. 

Porta-malas dianteiro leva 400 litros
Porta-malas dianteiro leva 400 litros (Divulgação/Ford)

Não havia necessidade da Ford fazer um capô tão grande e quadrado, mas é uma escolha inevitável para manter o estilo icônico da sua picape. A ausência de um motor V8 sob esse volume, por outro lado, permitiu a instalação de um porta-malas de 400 litros na dianteira, com tomadas e vedação. Dá para levar toda a bagagem dos ocupantes e só usar a caçamba ocasionalmente.

De lado e por trás, a F-150 Lightning passa batido. A carroceria tem linhas praticamente idênticas, mas utiliza alumínio para aliviar seu peso; isso, entretanto, não é distinguível aos olhos. As diferenças sutis ficam no bocal de carregamento à frente da porta do motorista e nas lanternas traseiras, com formato mais tridimensional e máscara negra.

Ford não ousou no interior
Ford não ousou no interior (Divulgação/Ford)

Interior

Como o nome indica, a versão Pro tem foco no trabalho, e sua cabine reflete isso. O painel é praticamente idêntico ao de uma F-150 convencional, com quadro de instrumentos digital de 12” e central multimídia do mesmo tamanho (uma pena que a elegante central vertical de 15,5” seja exclusiva das versões mais caras).

Continua após a publicidade

A preocupação em mantê-la parecida com picapes a gasolina é tanta, que a Ford manteve até a alavanca de câmbio, incluindo seu mecanismo de recolhimento. A decoração rústica de um modelo funcional está presente no ajuste manual dos bancos, que são revestidos em vinil nada delicado. O mesmo vale para os plásticos duros dos painéis de porta, por exemplo.

Revestimento de bancos e portas é rústico
Revestimento de bancos e portas é rústico (Divulgação/Ford)

Mas, com 5,9 m de comprimento e entre-eixos maior que muito carro vendido no Brasil, o espaço é amplo. Principalmente atrás, a F-150 Lightning Pro parece um SUV de luxo em termos espaciais, gozando ainda do assoalho plano e área livre sob os assentos.

Alcance preocupa…

A versão básica tem o menor tamanho de baterias possível: 98 kWh líquidos, ainda assim impressionantes. É o suficiente para alimentar uma casa por semanas, e a Ford oferece um inversor que transforma a picape em uma usina de força que realmente cumpre essa função (veja mais no vídeo).

Carregando-a em corrente contínua a 135 kW, bastam 44 minutos para levá-la de 15% a 80% de carga. Em casa, por outro lado, são no mínimo 10h para ir de 15% a 100%, destacando o ponto fraco da caminhonete.

Continua após a publicidade
Capacidade de carga é de 1.013 kg, mas isso pode comprometer seriamente a autonomia
Capacidade de carga é de 1.013 kg, mas isso pode comprometer seriamente a autonomia (Divulgação/Ford)

A despeito da energia abundante, com base no padrão norte-americano (EPA), a autonomia da F-150 Lightning Pro é de meros 384 km em ciclo combinado. Esse número, porém, não considera os 1.013 kg de capacidade de carga e 3,5 toneladas de capacidade de reboque do modelo.

Na verdade, sequer há métodos padronizados para que os compradores saibam mensurar a autonomia com base no que exigem da picape (evidenciando que as caminhonetes elétricas são ainda mais “extraterrestes” que os carros a bateria).

Bateria da Lightning pode alimentar casas e canteiros de obras
Bateria da Lightning pode alimentar casas e canteiros de obras (Divulgação/Ford)

De todo modo, a Associação Automobilística Americana testou a versão Platinum com 635 kg e percebeu queda de 30% em relação ao alcance nominal. Uma conta básica, com progressão linear, sugeriria que a versão Pro, completamente carregada, teria autonomia na casa de 200 km. Um número frustante.

Não à toa, a segunda geração de elétricos da Ford focará em diminuir os tempos de recarga e melhorar a eficiência, incluindo medidas aerodinâmicas. “Estamos focados (na melhoria) em altas velocidades, de rodovias”, disse o vice-presidente de elétricos da fabricante, Darren Palmer, a QUATRO RODAS.

2022 Ford F-150 Lightning Pro. Pre-production model with available features shown. Available starting spring 2022.
Ford F-150 Lightning Pro impressiona em movimento (Divulgação/Ford)

Performance empolga

Mas quando há carga, a F-150 Lightning é impressionante. O torque de 107,1 kgfm equivale a de muitos ônibus e, junto aos 458 cv, leva o veículo de aproximadamente 3 toneladas de 0 a 100 km/h em 5 s.

Continua após a publicidade

A aceleração é sempre farta e, sem perceber, a picape chega aos 160 km/h tranquilamente. Até por isso a Ford limitou a potência do motor elétrico nas versões com bateria menor, evitando panes secas causadas pela empolgação. E não que a F-150 V8 5.0 seja fraca, mas a resposta imediata dos motores elétricos é incomparável, transformando a experiência ao volante (com direção, diga-se, bem leve).

Vocação off-road é inata
Vocação off-road é inata (Divulgação/Ford)

Outro aspecto positivo é a suspensão traseira, que, graças às características de um EV, dispensa feixe de molas e é independente. Os engenheiros da Azul Oval criaram um conjunto que utiliza molas helicoidais progressivas, braço semiarrastado e barra estabilizadora. 

A traseira fica muito menos solta e o conforto atrás é equivalente ao de um SUV grande, mesmo em terrenos mais acidentados. Com um motor em cada eixo, a tração integral é permanente e a Lightning encara o fora-de-estrada com tranquilidade. 

Em espírito, a Ford F-150 Lightning Pro mostra que as picapes elétricas, incluindo versões voltadas para o trabalho, têm tudo para elevar significativamente o nível de qualidade oferecido ao consumidor. Cabe às marcas, agora, resolverem os problemas de alcance e preço. Também por isso, espere novas gerações bem diferentes do que temos hoje.

Ficha Técnica – Ford F-150 Lightning Pro

Preço: US$ 51.990
Motor: 2 motores elétricos (diant. e tras.); 458 cv e 101,7 kgfm
Baterias: íons de lítio, 98 kWh
Carga: 11,3 kW (AC) / 150 kW (DC)
Câmbio: automático, 1 marcha + ré
Direção: elétrica
Suspensão: triângulos sobrepostos (diant.), braços semiarrastados (tras.)
Freios: disco ventilado nas quatro rodas
Pneus: 295/45 R18
Dimensões: comprimento, 591 cm; largura, 203 cm; altura, 200 cm; entre-eixos, 307 cm; peso, 2.990 kg; porta-malas, 400 l; caçamba, 1.495 l; capac. carga, 1.013 kg; capac. reboque, 3.500 kg
Desempenho: 0 a 100 k/h, 5 s; veloc. max. de 165 km/h; autonomia 384 km

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Os automóveis estão mudando.
O tempo todo.

Acompanhe por QUATRO RODAS.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Quatro Rodas impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.