Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Ele voltou!

Por Redação 16 Maio 2014, 12h04

Por Péricles Malheiros

O bom desempenho no desmonte já era aguardado. Em abril de 2001, quando os carros de Longa Duração ainda rodavam “somente” 50000 km – 10000 km a menos do que atualmente –, o Corolla da oitava geração foi dissecado e praticamente tudo estava em perfeito estado. Desde então, a boa fama dos japoneses só aumentou. Era hora, portanto, de o campeão de vendas do segmento ter novamente sua qualidade aferida pelo Longa Duração.

O primeiro passo era reunir a equipe e decidir qual a versão correta. Nem precisou: “Fácil. É a XEi”, disse de bate-pronto o editor-assistente Ulisses Cavalcante, com a autoridade de quem havia acabado de retornar do evento de apresentação do carro, onde, além de andar em todas as versões, fez a apuração necessária para elaborar a apresentação do novo Corolla e o comparativo dele com os rivais, ambos apresentados na edição do mês anterior, abril de 2014. A certeza de Ulisses é compartilhada com a própria rede Toyota, onde vários vendedores consultados disseram: “Sozinha, a versão XEi responde por mais da metade das vendas do Corolla”.

A etapa seguinte foi a de cotação. A concessionária que mandou a melhor proposta foi a paulistana Caltabiano – por coincidência, a mesma em que adquirimos o Etios. Fato raro em lançamentos, nos foi concedido um desconto de 3%, o que fez o preço do nosso Corolla XEi cair de R$ 79 990 para R$ 77 590. Bastante completo, o estreante nos permitirá avaliar as principais novidades da nova geração, como o câmbio CVT com opção de troca manual e sequencial de sete marchas virtuais e o sistema multimídia com DVD, TV digital, GPS e câmera de ré.

Como de praxe, o editor de Longa Duração, Péricles Malheiros, fez o parto do novo rebento. “A entrega foi rápida e muito objetiva. O vendedor se concentrou em apresentar as grandes novidades, como o sistema de partida a frio sem tanquinho de gasolina, o airbag de joelho para o motorista e o ganho de espaço na cabine”, diz o editor.

Ainda na Caltabiano, o editor se espantou com o fato de que o marcador de combustível no tanque indicava o nível máximo. “Isso nunca aconteceu. Temi que a Caltabiano tivesse imaginado que o carro seria destinado ao Longa Duração e perguntei ao vendedor se este era um procedimento padrão da loja”, conta Péricles. “Fiquei tranquilo quando ele disse que alguns clientes são agraciados com esse tipo de cortesia, mostrando um Etios também com tanque cheio, à espera de uma cliente antiga da casa.”

Regra no Longa Duração, os carros flex são abastecidos somente com etanol. “Parei no posto vizinho à concessionária e, pelo cheiro que exalava do tanque, concluí que o presente da Caltabiano era etanol, felizmente”, diz Péricles. Na parada, o editor aproveitou para verificar também a calibragem dos pneus: “Todos estavam com a pressão correta, o que é outro fato raro. É algo simples, mas dificilmente a revisão de entrega se preocupa com isso”.

656_longacor_02

Continua após a publicidade

 

Pneus 205/55 R16 têm perfil adequado ao nosso asfalto | Lanternas com leds conferem um ar requintado. Versão escolhida é a XEi

656_longacor_03

 

Enfim, a Toyota deu uma chave mais sofisticada ao Corolla | Espaço traseiro ampliado, com piso plano no centro

656_longacor_04

 

Multimídia com DVD, GPS, câmera de ré e TV digital: novidades do novo Corolla

Continua após a publicidade

Publicidade