Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Citroën C4 THP Flex

Sucesso de vendas, C4 com motor turbo ganha versão flex e partida a frio sem tanque

Por Marcio Ishikawa Atualizado em 8 nov 2016, 17h32 - Publicado em 27 jan 2015, 14h00
testes

A receptividade do mercado ao C4 Lounge com motor THP superou a expectativa da própria Citroën. A alta procura a fez rever o plano inicial de oferecer essa motorização apenas na topo de linha Exclusive. Desde agosto do ano passado, ela também é opção para a versão média Tendance. Foi uma etapa intermediária antes do passo dado agora, com o lançamento de sua versão flex, que deverá responsável por 60% do mix do sedã. Assim, ele se coloca em pé de igualdade com seus concorrentes diretos entre os sedãs médios, embora essa ressalva não o tenha impedido de vencer os dois comparativos de que tomou parte, em outubro de 2013 e maio de 2014.

O foco dos engenheiros na adaptação do motor foi o consumo. Além das mudanças de praxe, como reprogramação eletrônica e tratamento anticorrosão em peças como cabeçote, válvulas, pistões e tubulações, ele ganhou sistema de injeção direta com bomba de alta pressão, que dispensa o tanque de partida a frio. Ele manteve a boa curva de torque (pico em 1 400 rpm) e ganhou 1 cv com gasolina (166 cv) – com etanol, são 173 cv. Os números do nosso teste mostram uma pequena queda no consumo urbano (8,5 contra 9,1 km/l no carro testado em agosto do ano passado), que é compensada pela melhora na estrada (14,3 contra 13,1 km/l). A nova transmissão também contribuiu bastante para o resultado. Mais leve e compacta, ela teve a relação do diferencial alongada em 11%. Ao volante, praticamente não se sente diferença e nosso teste apontou uma pequena perda nas provas de desempenho – 0,5 segundo no 0 a 100 km/h e 0,3 nas três provas de retomada.

A versão das fotos é a Tendance, que tem o melhor o custo-benefício da linha. Em relação à versão topo de linha Exclusive, que sai por R$ 85 490, ela dispensa itens como sistema de abertura de portas por presença, ignição keyless, iluminação do painel personalizável e sensores de ponto cego e de estacionamento dianteiro, itens dos quais se abre mão sem muita dor. A se lamentar apenas a ausência dos airbags laterais.

VEREDICTO

A versão flex manteve as qualidades do motor THP, sem perdas no desempenho ou no consumo, e deixou o sedã ainda mais atrativo entre os sedãs médios.

Continua após a publicidade

Publicidade