Novo Toyota Mirai terá visual de carro comum para vender mais

Em busca de novos clientes, carro movido a célula de hidrogênio deixa para trás o visual "japonês futurista" e vira um elegante sedã

Toyota Mirai Concept

Toyota Mirai Concept (Leonardo Felix/Quatro Rodas)

Esqueça o estilo “Jaspion”. Se a primeira geração do Toyota Mirai continha um visual futurista para lá de controverso – visto quase que unanimemente como feio -, a segunda apostará em traços mais contidos e certeiros.

Tudo para vender mais. Na prévia com jornalistas para o Salão de Tóquio 2019, executivos da fabricante não se esquivaram de dizer que a ideia foi deixar o modelo mais harmonioso e com cara de carro comum.

Assim ficou a traseira da segunda geração

Assim ficou a traseira da segunda geração (Leonardo Felix/Quatro Rodas)

“Pensamos em um carro mais emocional e com estilo mais cativante. Queremos que as pessoas comprem um Mirai porque gostaram do carro, e não apenas porque é um veículo com célula de combustível”, afirmou Yoshizaku Tanaka, engenheiro-chefe do projeto, durante a apresentação.

Não é para menos. Desde 2014, quando foi lançado, apenas 10.000 unidades foram comercializadas. E estamos falando de vendas globais. Assim, foi-se o jeitão de notchback desajeitado e entrou no lugar a silhueta de um sedã grande e elegante.

2016_toyota_mirai_058.jpeg Como comparação, o polêmico visual do primeiro Mirai

Como comparação, o polêmico visual do primeiro Mirai (Divulgação/Toyota)

São 8,5 cm a mais de comprimento e 14 cm de ganho em distância entre-eixos. Ao mesmo tempo, a altura foi reduzida em 6,5 cm, enquanto os pneus são 7,5 cm maiores em diâmetro (rodas aro 20) e 8 cm mais largos.

Grade enorme se destaca na dianteira

Grade enorme se destaca na dianteira (Leonardo Felix/Quatro Rodas)

A radical mudança resultou em quase 5 metros de comprimento e 2,92 m de entre-eixos, além de 1,88 m de largura e 1,47 m de altura. De lado, é impossível não comparar o novo Mirai a um Jaguar.

A dianteira traz grade trapezoidal marcantemente larga e faróis que lembram o novo Hyundai Sonata. Já a traseira, composta por lanternas integradas e trios de guias em led com efeito tridimensional, remetem a modelos da Kia.

Faróis trazem guias e duplos projetores de led

Faróis trazem guias e duplos projetores de led (Leonardo Felix/Quatro Rodas)

O que não muda é a utilização de uma célula abastecida por hidrogênio que, na reação com o oxigênio, gera energia para alimentar o(s) motor(s) elétrico(s) e despeja água da mais pura no sistema de escape.

Rodas aro 20 são bem maiores, mas ainda trazem desenho conservador

Rodas aro 20 são bem maiores, mas ainda trazem desenho conservador (Leonardo Felix/Quatro Rodas)

Como a nova geração foi apresentada ainda como conceito, dados de desempenho e autonomia não foram revelados.

O que a Toyota afirma é que a segunda geração terá autonomia 30% maior do que a atual, estipulada em aproximadamente 500 km.

Lanternas integradas e com efeito tridimensional são outro destaque do novo Mirai

Lanternas integradas e com efeito tridimensional são outro destaque do novo Mirai (Leonardo Felix/Quatro Rodas)

Isso será alcançado com ganho de eficiência no aproveitamento da energia elétrica e também com um aumento no tanque de hidrogênio.

QUATRO RODAS entrou na cabine do agora sedã e verificou que os vãos para as pernas ficaram muito generosos. Por outro lado, os assentos traseiros ainda são excessivamente altos e isso sacrifica o espaço para a cabeça.

Painel minimalista do Mirai traz duas telas digitais de 12,3 e 10,2 polegadas

Painel minimalista do Mirai traz duas telas digitais de 12,3 e 10,2 polegadas (Leonardo Felix/Quatro Rodas)

O painel tem design limpo, concentrando as telas todas próximas ao motorista. Mas ainda há espaço para pequenas doses de ostentação, como nas faixas com luzes coloridas nos painéis central e laterais.

O habitáculo do motorista do novo Mirai

O habitáculo do motorista do novo Mirai (Leonardo Felix/Quatro Rodas)

O acabamento tem opções de tom totalmente cinza escuro ou caramelo com faixas contrastantes em cinza e marrom.

O novo Mirai deve se tornar um carro real no último trimestre de 2020, para ser vendido em mercados como Japão, Europa, China e Estados Unidos.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s