Clique e assine com até 75% de desconto

VW Jetta 2.0 TSI brasileiro terá visual mais “careta” que o GLI americano

Flagras que circulam pelas redes sociais revelam possível versão com visual inspirado no Jetta GLI dos EUA, porém mais discreto

Por Henrique Rodriguez 11 fev 2019, 17h45
Versão mais potente terá menos adereços no Brasil Reprodução/Internet

Atração do Salão de Chicago, o Volkswagen Jetta GLI combina a carroceria do sedã médio, mesmo conjunto mecânico do Golf GTI e uma série de adornos visuais para destacar sua vocação esportiva.

Durante o lançamento do Jetta na Argentina, no ano passado, o designer da VW José Carlos Pavone já havia adiantado que o Jetta GLI não será vendido no Brasil.

Não ficaremos sem um Jetta com motor 2.0 TSI e o câmbio automatizado de dupla embreagem DSG, mas este conjunto virá em um Jetta com visual discreto. 

Flagra que circula pelas redes sociais revela aquela que poderia ser a nova versão Highline para o Brasil.

As duas saídas de escape traseiras são funcionais Reprodução

No carro flagrado, a grade com formato de colmeia tem frisos cromados e o para-choque é o mesmo do Jetta GLI, mas sem elementos pintados de preto.

Continua após a publicidade

Os faróis full led com assinatura que se integra à grade são iguais às versões mais caras do Jetta nos EUA – entre elas a GLI. Eles permitem que a versão abra mão dos faróis de neblina.

Completam o visual as rodas Brooklin aro 17″, mesmas do Golf GTI, e as saias laterais pretas. Atrás, a grande diferença é que há duas saídas de escape redondas e verdadeiras – as saídas retangulares das demais versões são apenas estéticas.

Versão GLI tem grade preta com friso vermelho e o logo da versão Divulgação/Volkswagen
GLI ainda tem rodas com outro desenho Divulgação/Volkswagen

Esse visual pode ser exclusivo para o Brasil, onde a versão com motor 2.0 TSI será, ao mesmo tempo, a mais potente e equipada. Além disso, o comprador do Jetta no Brasil é um pouco mais velho do que o norte-americano.

O Jetta é o sedã mais barato da Volkswagen nos EUA.

  • O importante é que o motor mantém os 230 cv e 35,7 mkgf de torque e o câmbio DSG de seis marchas é mais rápido que o automático convencional das versões com motor 1.4 TSI de 150 cv.

    A receita é completada por conjunto de freio reforçado, diferencial de deslizamento limitado e pela suspensão traseira independente, enquanto o Jetta tradicional usa eixo de torção.

    Continua após a publicidade
    Publicidade