Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Volvo pretende parar de vender carros com motor a combustão até 2030

O CEO da empresa diz que ficaria surpreso se, em 10 anos, a marca não entregasse apenas veículos elétricos

Por Gabriel Monteiro Atualizado em 3 dez 2020, 14h06 - Publicado em 3 dez 2020, 07h00
.
Volvo XC40 R-Design Plug-In Hybrid Divulgação/Volvo

O CEO da volvo, Hakan Samuelsson, alimentou as expectativas da transformação da Volvo em uma marca apenas de veículos elétricos. Ele alegou que ficaria surpreso se isso não acontecesse até 2030. 

Black Friday Quatro Rodas! Clique aqui e assine por apenas R$ 7,90

O CEO explica a postura dizendo que “depois de perceber que motores a gasolina e diesel não fazem parte do futuro, é fácil perceber que você precisa entrar rapidamente no novo mundo”.

Embora o anúncio possa surpreender, a marca já vem trabalhando há um bom tempo para se aproximar desse objetivo. Há dois anos, anunciou o objetivo de compor 50% de suas vendas por carros elétricos até 2025. Mais recentemente, declarou que não terá nenhum carro só a combustão à venda no Brasil já em 2021.

Apesar do anúncio da meta para os próximos dez anos, ainda não há prazo para que a fabricante pare de produzir carros movidos a combustão.

  • Volvo
    Divulgação/Volvo

    Ao ser questionado sobre medidas legais impostas pelos países para incentivar a eletrificação das frotas, Samuelsson disse que não foi por créditos ou incentivos que terminamos com carros com cintos de segurança, freios ABS ou airbags, mas, sim, por existirem regras claras.

    A Volvo será muito cuidadosa e fornecerá apenas motores elétricos antes que alguém tenha requisitos legais para isso.

    Hakan Samuelsson

    Apesar da meta ambiciosa, a maior parte das vendas de veículos eletrificados da marca ainda é composta por veículos híbridos.

    A volvo não é a primeira a declarar suas pretensões com a eletrificação de seus automóveis. Com a expansão desse mercado, diversas montadoras já têm planos de transformar seus produtos ou criar submarcas focadas nesse mercado, como é o caso da Mini com sua divisão de alta performance, JCW.

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

    Continua após a publicidade
    Publicidade