Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Top Ten: dois é bom, três é demais

Carros que não gostam de seguir a ordem natural dos números

Por Redação Atualizado em 27 Maio 2018, 23h16 - Publicado em 16 dez 2015, 20h29

1. Faróis e para-brisas

Tatra 87

Se o Tucker Torpedo 1948 ficou famoso por seus três faróis, o tcheco Tatra 87 veio bem antes (1936) e foi além: tinha também três vidros no para-brisa. Não se engane pelo visual pré-Segunda Guerra: seu V8 2.9 (traseiro!) de 85 cv o levava a 160 km/h.

2. Velas por cilindro

Mazda 787B

O motor 1.4 do primeiro Honda Fit tinha duas velas por cilindro, para melhorar o consumo. O Mazda 787B colocou mais uma para vencer corridas. Seu motor rotativo Wankel de 2,6 litros gerava 911 cv, mas foi limitado a 700 para durar mais. Deu certo: é o único a vencer Le Mans (em 1991) sem um motor com pistões.

3. Rodas

Reliant Robin

O inglês Reliant Robin tinhas duas rodas atrás e uma na frente. A intenção era pagar o imposto de uma moto. Para a estabilidade, porém, era terrível, como mostrou Jeremy Clarkson no Top Gear: capotou sete vezes em 22,5 km.

4. Portas

Hyundai Veloster

O Hyundai Veloster resumiu as tradicionais quatro portas em apenas três para manter seu perfil esportivo – apesar de o motor 1.6 ser fraco para as pretensões estilísticas.

5. Eixos

Covini C6W

O Tyrrel P34 levou a ideia à F-1 em 1976, mas há um carro de três eixos que é possível ver nas ruas: o italiano Covini C6W foi lançado em 2004 e continua em produção. Tem quatro rodas esterçantes na frente, usa um V8 4.2 da Audi e chega aos 300 km/h.

Continua após a publicidade

6. Turbos

A tese de que motor a diesel é econômico, mas chato, cai por terra diante da trinca de turbos que a BMW pôs em seu motor 3.0 de seis cilindros a diesel da linha M (X5, X6 e Série 5). Ele produz 381 cv de 4 000 a 4 400 rpm e 75,5 mkgf de 2 000 a 3 000 rpm.

7. Limpadores

MG MGB 1867

Para ser vendido nos EUA, o MG MGB 1967 (conhecido como Mark II), ganhou mais um limpador de para-brisa. A razão era a porcentagem mínima de área que devia ser varrida por eles para atender a exigência legal.

8. Motores

Porsche 918 Spyder

Se hoje é comum ver veículos com dois motores, caso dos híbridos, o mesmo não pode ser dito do Porsche 918 Spyder: ele tem três! São dois elétricos, um para as rodas dianteiras e outro para as de trás, que também são tracionadas por um V8 4.6 de 616 cv. Assim ele conta com tração nas quatro rodas e um total de 900 cv.

9. Porta-malas e bancos

McLaren F1

O McLaren F1 tinha três porta-malas (um na frente e um de cada lado), mas seu trio mais famoso era outro. O banco do motorista era central e avançado, enquanto havia um assento de passageiro de cada lado, mais atrás. Servia para melhorar a visibilidade e a acomodação dos pedais, além de dar ao F1 uma privilegiada posição de piloto de corrida.

10. Cilindros

DKW Vemaguet

O primeiro carro três-cilindros fabricado no Brasil é o Hyundai HB20 ou o Fox Bluemotion? Nenhum deles. O pioneiro foi a DKW Vemaguete, que também era 1.0, mas de dois tempos.

Continua após a publicidade

Publicidade