Assine QUATRO RODAS por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Dez inovações que, de novas, não têm nada

As inovações automotivas que na verdade vieram do passado

Por Redação
Atualizado em 24 nov 2017, 19h49 - Publicado em 11 jan 2016, 19h57

Etak Navigator

Fibra de carbono

Ferrari 288 GTO

O novo McLaren P1 chega como referência em alívio de peso. Seu chassi moldado em fibra de carbono tem apenas 100 kg. O recurso para redução de peso já era usado nos anos 80, como na Ferrari 288 GTO (foto), de 1984.

Táxi elétrico

Detroit Electric 1916

Hoje eles são a última palavra, mas os carros elétricos, como o Detroit Electric 1916, já circulavam na Europa no fim do século 19. Antes da Primeira Guerra havia até táxis movidos a bateria, que logo perderam lugar para os eficientes motores a gasolina.

Teto targa

Porsche 911 Targa

Continua após a publicidade

Desempenho com cabelos ao vento sempre foi um desafio nos conversíveis. A Lamborghini resolveu o problema no Aventador Spyder, com dois painéis de carbono removíveis. Assim ele atinge 350 km/h. Mas a solução é velha: a Porsche criou o 911 Targa em 1966 e virou sinônimo de conversível que deixa a estrutura do teto apatente.

Navegadores

Iter Avto

Eles são a solução para os perdidos de hoje, mas o acessório Iter Avto já fazia a mesma coisa nos anos 30 – só que era mais enrolado… Toda vez que o carro mudava de rota, o rolo de mapa precisava ser trocado, uma vez que ele só se desenrolava num único sentido. O primeiro navegador mais parecido com o que temos hoje foi o Etak, lançado nos EUA na década de 1980 (foto no início da matéria).

Farol direcional

Tucker Torpedo

Quando chegou ao Brasil, em 2007, o C4 Pallas trazia faróis cujo facho acompanhava o volante nas curvas. A “novidade” chegou quase 60 anos após estrear no Tucker Torpedo, de 1948, com o farol central ligado mecanicamente à direção.

Econômetro

Passat TS

Para ajudar o motorista a aliviar o pé e poupar combustível, os carros estão ganhando o econômetro, que indica o quanto o modelo está consumindo. Moderno, não? Que nada. Nos anos 70 a Volks já oferecia o vacuômetro no Passat TS, que tinha a mesma função.

Continua após a publicidade

Farol de altura regulável

Cadillac Eldorado

Ao ver o BMW M6, que muda o farol de alto para baixo sozinho para não ofuscar o veículo no sentido contrário, pode-se achar isso é moderno. Mas em 1952 o Cadillac Eldorado já oferecia o recurso, com o Autronic-Eye, um sensor colocado sobre o painel.

Painel digital

Kadett GSi

Ainda hoje os instrumentos digitais são vistos como sinal de modernidade. Mas, no começo dos anos 90, Monza EF500 e Kaddet GSi já traziam a tecnologia luminosa de ponta, numa época em que os ponteiros dominavam o jogo.

Suspensão a ar

Citroën DS

Continua após a publicidade

Supensão pneumática é um luxo de poucos sedãs alemães topo de linha. Mas já equipava o vanguardista Citroën DS, de 1955, mantendo a carroceria nivelada mesmo carregada. Macia e ao mesmo tempo estável, ela foi chamada de “tapete mágico”.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Os automóveis estão mudando.
O tempo todo.

Acompanhe por QUATRO RODAS.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Quatro Rodas impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.