Clique e Assine QAUTRO RODAS por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Conheça o maior colecionador de QUATRO RODAS

Engenheiro tem mais de 2.000 revistas e levou 15 anos para conseguir o acervo completo

Por Isadora Carvalho Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 6 nov 2017, 19h59 - Publicado em 3 nov 2017, 15h57
Caetano: várias revistas repetidas como reserva
Caetano: várias revistas repetidas como reserva (Alexandre Battibugli/Quatro Rodas)

Em 57 anos, já contamos a história de muitos colecionadores de carros, mas é a primeira vez que falamos do maior colecionador da QUATRO RODAS.

O engenheiro Francisco Caetano, 34 anos, possui 2.000 edições. Além das mensais, tem todos os especiais já publicados, como coletâneas e livros.

“Da maioria das revistas tenho dois exemplares, para sempre ter uma nova. É por isso que possuo os exemplares das décadas de 60, 70 e 80 em dobro.”

O raro álbum de figurinhas, de 1989, foi comprado completo. Trazia modelos da época e futurísticos
O raro álbum de figurinhas, de 1989, foi comprado completo. Trazia modelos da época e futurísticos (Alexandre Battibugli/Quatro Rodas)

Para preservá-las, cada uma está embalada em um plástico para protegê-la do calor e da umidade. Esse esmero pode ser visto também no local de armazenamento: “Utilizo um quarto inteiro na casa dos meus pais apenas para guardar as revistas, organizadas em dez caixas plásticas”.

Continua após a publicidade

Mas nem sempre foi assim. “Antes, a coleção ficava guardada debaixo das camas”, relembra. O amor pela marca começou quando ele tinha 8 anos e ganhou do irmão a edição de junho de 1989: “Nunca vou esquecer: trazia na capa o Gol GTi e o Kadett GS”. Logo depois, ele começou a procurar os números mais antigos.

Após alguns anos, juntou pouco mais de 100 exemplares. Mas aos 11 anos teve que se desfazer deles. “Iríamos mudar de Taubaté (SP) para Paraisópolis (MG), e minha mãe só deixou que levasse algumas.”

Salvou 30 revistas, mas teve que garimpar tudo de novo. Aos 20 anos, já tinha quase tudo. Começou, então, a ir atrás da edição mais rara: a número zero. Enfim, a encontrou na internet.

A "número zero" foi usada em 1960 para as agências de publicidade conheceram como seria a futura QUATRO RODAS
A “número zero” foi usada em 1960 para as agências de publicidade conheceram como seria a futura QUATRO RODAS (Alexandre Battibugli/Quatro Rodas)

“Mal conseguia conter a alegria de pegar o exemplar nas mãos”, afirma Caetano, que não revela o preço pago.

Continua após a publicidade

A coleção foi tão importante para ele que influenciou sua profissão. Hoje ele é engenheiro automobilístico: atua na Lear, fornecedora de bancos e chicotes elétricos. “Sou grato por todo o conhecimento adquirido.”

A coleção de CDs, lançada em 2000, contava com a ficha técnica e fotos de todos os carros já testados
A coleção de CDs, lançada em 2000, contava com a ficha técnica e fotos de todos os carros já testados (Alexandre Battibugli/Quatro Rodas)

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Quatro Rodas impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.