Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Conheça o maior colecionador de QUATRO RODAS

Engenheiro tem mais de 2.000 revistas e levou 15 anos para conseguir o acervo completo

Por Isadora Carvalho Atualizado em 6 nov 2017, 19h59 - Publicado em 3 nov 2017, 15h57
Caetano: várias revistas repetidas como reserva
Caetano: várias revistas repetidas como reserva Alexandre Battibugli/Quatro Rodas

Em 57 anos, já contamos a história de muitos colecionadores de carros, mas é a primeira vez que falamos do maior colecionador da QUATRO RODAS.

O engenheiro Francisco Caetano, 34 anos, possui 2.000 edições. Além das mensais, tem todos os especiais já publicados, como coletâneas e livros.

“Da maioria das revistas tenho dois exemplares, para sempre ter uma nova. É por isso que possuo os exemplares das décadas de 60, 70 e 80 em dobro.”

O raro álbum de figurinhas, de 1989, foi comprado completo. Trazia modelos da época e futurísticos
O raro álbum de figurinhas, de 1989, foi comprado completo. Trazia modelos da época e futurísticos Alexandre Battibugli/Quatro Rodas

Para preservá-las, cada uma está embalada em um plástico para protegê-la do calor e da umidade. Esse esmero pode ser visto também no local de armazenamento: “Utilizo um quarto inteiro na casa dos meus pais apenas para guardar as revistas, organizadas em dez caixas plásticas”.

Mas nem sempre foi assim. “Antes, a coleção ficava guardada debaixo das camas”, relembra. O amor pela marca começou quando ele tinha 8 anos e ganhou do irmão a edição de junho de 1989: “Nunca vou esquecer: trazia na capa o Gol GTi e o Kadett GS”. Logo depois, ele começou a procurar os números mais antigos.

Continua após a publicidade

Após alguns anos, juntou pouco mais de 100 exemplares. Mas aos 11 anos teve que se desfazer deles. “Iríamos mudar de Taubaté (SP) para Paraisópolis (MG), e minha mãe só deixou que levasse algumas.”

Salvou 30 revistas, mas teve que garimpar tudo de novo. Aos 20 anos, já tinha quase tudo. Começou, então, a ir atrás da edição mais rara: a número zero. Enfim, a encontrou na internet.

A "número zero" foi usada em 1960 para as agências de publicidade conheceram como seria a futura QUATRO RODAS
A “número zero” foi usada em 1960 para as agências de publicidade conheceram como seria a futura QUATRO RODAS Alexandre Battibugli/Quatro Rodas

“Mal conseguia conter a alegria de pegar o exemplar nas mãos”, afirma Caetano, que não revela o preço pago.

A coleção foi tão importante para ele que influenciou sua profissão. Hoje ele é engenheiro automobilístico: atua na Lear, fornecedora de bancos e chicotes elétricos. “Sou grato por todo o conhecimento adquirido.”

A coleção de CDs, lançada em 2000, contava com a ficha técnica e fotos de todos os carros já testados
A coleção de CDs, lançada em 2000, contava com a ficha técnica e fotos de todos os carros já testados Alexandre Battibugli/Quatro Rodas
  •  

    Continua após a publicidade
    Publicidade