Clique e assine por apenas 8,90/mês

Novo Nissan Versa é um mini-Sentra com base e painel de Kicks

Terceira geração do sedã adota estilo visual muito mais bem resolvido. No Brasil, será vendido como premium e importado, acima do modelo atual

Por Leonardo Felix - Atualizado em 12 abr 2019, 20h19 - Publicado em 12 abr 2019, 20h12
Dianteira do sedã compacto lembra a nova geração do Altima Divulgação/Nissan

Durante os últimos meses, executivos brasileiros da Nissan vinham alertando para a possibilidade de a marca ingressar no mercado de sedãs compactos premium, atualmente encabeçado pelo Volkswagen Virtus.

Eis agora quem será o representante da fabricante japonesa no segmento: a terceira geração do Versa, revelada nesta sexta-feira (12) nos Estados Unidos.

Traseira lembra o Sentra Divulgação/Nissan

Ela estará presente no Salão de Nova York, na próxima semana, e começa a ser vendida ao público americano no terceiro trimestre deste ano. Só que o Brasil não o receberá tão cedo.

O mais provável é que sua chegada ocorra na primeira metade de 2020, importada do México apenas com motor 1.6 para conviver com a atual geração (que será reestilizada e oferecida como opção de entrada, mantendo o propulsor 1.0).

Continua após a publicidade
Nova geração está mais comprida, larga e baixa, mas as dimensões não foram divulgadas Divulgação/Nissan

Mudanças “dramáticas”

Batendo os olhos nas imagens fica claro o quanto o novo Versa se inspirou visualmente nos primos maiores Sentra e Altima. ]

Faróis têm assinatura de leds Divulgação/Nissan

Faróis estão muito mais afilados, com assinatura em led no formato de bumerangue. Grade trapezoidal segue o atual padrão da marca, e lanternas traseiras bipartidas têm a forma de flechas.

Versão SR tem rodas diamantadas Divulgação/Nissan

Alguns dirão que o três-volumes ficou “mini-Sentra” demais, mas convenhamos: parece ter caído bem melhor do que o desengonçado estilo da atual geração.

Lanternas em forma de flecha e régua na tampa do porta-malas dão toque de esportividade ao sedã Divulgação/Nissan

A evolução é tamanha que o comunicado publicado pela divisão americana da Nissan classifica como uma mudança “dramática”.

Continua após a publicidade
Saída central do ar-condicionado é a única diferença do painel do Versa para o Kicks Divulgação/Nissan

Entretanto, é com o SUV Kicks que a nova geração do Versa mais conversa. Começa pela plataforma, CMF-B, a mesma utilizada pelo utilitário esportivo compacto – já com processo modular de fabricação.

Console parece o mesmo do Kicks, mas, acredite: é do novo Versa Divulgação/Nissan

Passa pelo motor, quatro-cilindros 1.6 naturalmente aspirado, que na América do Norte renderá 122 cv e 15,8 mkgf. No Brasil, será flex e deve ter diferenças nos dados de potência e torque, estando aliado a câmbio manual ou CVT.

Novo Versa oferece partida por botão Divulgação/Nissan

E chega ao desenho do painel, estilo “asa deslizante”, com uso de faixas em couro com costuras pespontadas e componentes idênticos.

Console central é parcialmente elevado, tal qual o do VW T-Cross Divulgação/Nissan

Peças como volante, quadro de instrumentos, manopla de câmbio, comandos do ar-condicionado automático e saídas de ar laterais são as mesmas. Muda apenas o desenho das saídas centrais de ar.

Continua após a publicidade
Painel tem aplique de couro sintético, como o Kicks Divulgação/Nissan

Em alguns aspectos, o Versa é até melhor que o Kicks. Veja a central multimídia, por exemplo: no sedã, ela finalmente permite projetar funções do celular via Apple CarPlay e Android Auto.

Faixas em couro com costuras pespontas estão também nas guarnições de portas Divulgação/Nissan

Nos EUA, o novo Versa terá ainda: chave com sensor presencial; partida do motor por botão; frenagem automática emergencial com detecção de pedestres; alertas de mudança de faixa, ponto cego e tráfego cruzado traseiro; controle de cruzeiro adaptativo; assistente de farol alto.

Resta saber quais dessas tecnologias serão trazidas ao Brasil e quais serão ceifadas.

Publicidade