Novo Chevrolet Tracker: GM confirma produção no Brasil e chegada até março

Flagra mostra comboio com versões 1.0 e 1.2 do SUV rodando juntas. Concessionárias dão descontos de até R$ 15.000 para desovar estoques da linha atual

Novo Tracker é visto bem de perto sem camuflagem

Novo Tracker é visto bem de perto sem camuflagem (Ernesto Ardachnikoff Filho/Quatro Rodas)

O Chevrolet Tracker está para mudar de geração no Brasil. Não apenas isso: a GM enfim passará a produzir o SUV nacionalmente, em São Caetano do Sul (SP), o que foi confirmado nesta segunda-feira (27) em comunicado oficial.

Com isso, tentará corrigir um erro estratégico – admitido pela própria empresa – cometido quase dez anos atrás, quando a fabricante decidiu importar o modelo atual do México ao invés de fazê-lo no Brasil.

“Será o primeiro SUV compacto da Chevrolet produzido no Brasil. Chegará às concessionárias até o fim do primeiro trimestre com conceitos tecnológicos inovadores relacionados à conectividade, segurança e eficiência energética”, declarou Carlos Zarlenga, presidente da companhia na América do Sul, de acordo com a nota.

Leitor flagrou três unidades do novo Tracker em comboio. Unidade azul é da versão de topo, Premier, e possui mais elementos de estilo

Leitor flagrou três unidades do novo Tracker em comboio. Unidade azul é da versão de topo, Premier, e possui mais elementos de estilo (Ernesto Ardachnikoff Filho/Quatro Rodas)

Para correr contra o tempo perdido, o novo Tracker será lançado até o mês de março e deve seguir o mesmo caminho da família Onix/Onix Plus: motores turbo, internet a bordo, muitos equipamentos desde a versão de entrada e preços agressivos.

Há um ano, QUATRO RODAS já antecipava quais seriam as versões de acabamento e motorização do modelo: LS e LT, com motor 1.0 turbo flex sem injeção direta de 116 cv; Premier, equipada com o também tricilindro 1.2 turbo.

Esta última, ao que tudo indica, abdicará da injeção direta assim como a 1.0, conforme já acontece no México e nos Emirados Árabes Unidos. Lá, esta mesma configuração do propulsor rende 132 cv e 19,1 mkgf com gasolina. Por aqui, também beberá etanol.

Novo Tracker tem dimensões enxutas: 2,57 m de entre-eixos, 4,27 m de comprimento, 1,79 m de largura e 1,60 m de altura

Novo Tracker tem dimensões enxutas: 2,57 m de entre-eixos, 4,27 m de comprimento, 1,79 m de largura e 1,60 m de altura (Ernesto Ardachnikoff Filho/Quatro Rodas)

Se esse motor é 21 cv menos potente e tem 5,4 mkgf menos torque do que o atual Tracker 1.4 Ecotec, a carroceria da nova geração também será cerca de 200 kg mais leve, o que deve dirimir a diferença e manter os desempenhos equivalentes.

É preciso lembrar que, na China, o Tracker oferece opções 1.0 turbo com injeção direta de 125 cv e 1.3 turbo de 164 cv.

Enquanto a GM prepara os últimos detalhes antes do lançamento, o leitor Ernesto Ardachnikoff Filho flagrou três unidades do Tracker 2021, uma camuflada e duas já praticamente desnudas, em testes na área urbana da cidade de Salesópolis (SP).

Mesmo a versão básica (ou seria intermediária?) tem projetor externo nos faróis, DRL e barra cromada na grade

Mesmo a versão básica (ou seria intermediária?) tem projetor externo nos faróis, DRL e barra cromada na grade (Ernesto Ardachnikoff Filho/Quatro Rodas)

Pelos detalhes, é possível perceber os dois Tracker sem camuflagem, um na cor azul metálica e outro preto sólido, são de versões diferentes. A unidade azul pertence à opção de topo Premier, equipada com o propulsor 1.2 turbo flex.

Por isso, dispõe de elementos estéticos exclusivos, como o aplique em cromo acetinado na base do para-choque traseiro, a base da moldura dos vidros também cromada e as rodas de liga leve mais rebuscadas e maiores, com acabamento diamantado.

Este Tracker não tem rodas diamantadas nem molduras cromadas nos vidros laterais nem aplique em prata fosco no para-choque

Este Tracker não tem rodas diamantadas nem molduras cromadas nos vidros laterais nem aplique em prata fosco no para-choque (Ernesto Ardachnikoff Filho/Quatro Rodas)

Já o exemplar preto ostenta rodas e para-choque traseiro mais simples. Resta saber se isto será uma oferta apenas da versão de entrada, LS, ou também da intermediária, LT, ambas empurradas pelo 1.0 turbo flex de Onix e Onix Plus.

Uma curiosidade é que mesmo esta versão mais básica conta com projetor de luz alta nos faróis, luzes diurnas em led e divisória cromada na grade dianteira.

Outro detalhe: ambas as unidades contam com protetores plásticos contornando toda a base da carroceria. Eles se alargam no para-choque traseiro, eliminando a necessidade de pintar a peça. É uma solução inteligente e discreta de economizar custos.

 

Descontão

Enquanto o novo Tracker não chega, concessionárias já começam a praticar descontos generosos para desovar dos estoques as últimas unidades do atual Tracker mexicano.

Em revendas consultadas por QUATRO RODAS na última semana, o deságio chegava a R$ 15.000 na versão de entrada, LT, que baixava de R$ 94.990 para R$ 79.990.

Fotografou um segredo? Mande seu flagra para nós: 55 11 99975-9245

Colaborou Henrique Rodriguez.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s