Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Novo Chevrolet Tracker começa a ser vendido a partir de R$ 79.990

SUV traz motor 1.4 turbo de 153 cv em todas as versões e bom pacote de equipamentos desde a entrada

Por Diego Dias Atualizado em 17 dez 2018, 15h49 - Publicado em 18 nov 2016, 14h57
Chevrolet Tracker
Novo Chevrolet Tracker Divulgação/Quatro Rodas

Apresentado no Brasil durante o Salão do Automóvel de São Paulo, o novo Tracker teve os preços revelados. A linha 2017 do SUV compacto já está disponível para configuração e pré-venda no site da Chevrolet em três versões: LT, LTZ 1 e LTZ 2, com valores entre R$ 79.990 e R$ 92.990.

LEIA MAIS:

> Vendas do Cruze hatch começam em dezembro a partir de R$ 89.990

> Novo EcoSport ganha cara nova e interior refinado

>> Renault começa pré-venda do Captur a partir de R$ 89.990

O novo Tracker ganhou mudanças visuais importantes, como grade dianteira mais estreita, faróis afilados e para-choques com entradas de ar maiores. A traseira tem como novidade apenas as lanternas com novo arranjo interno.

Chevrolet Tracker 2017
Lanternas trazem novo arranjo interno e são de led a partir da versão LTZ 1 Divulgação/Quatro Rodas
Continua após a publicidade

A maior novidade está sob o capô. Sai de cena o antigo 1.8 aspirado de até 140 cv e chega o 1.4 turbo com injeção direta do Cruze para todas as versões, com potência de até 153 cv e 24,5 mkgf de torque, sempre atrelado a um câmbio automático de seis marchas. Com isso, o novo Tracker se torna o primeiro SUV compacto (fora os das marcas de luxo) equipado com motor turbo e transmissão automática – o 2008 1.6 THP só é oferecido com câmbio manual.

https://www.youtube.com/watch?v=HVa9K4o5fGc

Entre os equipamentos, a versão de entrada LT (por R$ 79.990) conta com direção elétrica, volante multifuncional com regulagem de altura e profundidade, controle de velocidade, ar-condicionado, retrovisores elétricos, sistema start-stop (desligamento e partida do motor automático em paradas), faróis com regulagem de altura, luz de rodagem diurna (DRL), faróis de neblina, sistema Isofix para fixação de cadeirinhas infantis e alarme.

Chevrolet Tracker
Novo interior abandona o painel de instrumentos herdado do Sonic por um mais convencional

Há ainda a central multimídia MyLink, com tela sensível ao toque de 7 polegadas, compatibilidade com Android Auto e Apple CarPlay, Bluetooth, entrada USB, seis alto-falantes, travas e vidros elétricos nas quatro portas com função “um toque”, antiesmagamento e fechamento/abertura automática pela chave, além de banco traseiro bipartido e rebatível, bem como as rodas de liga leve de 16 polegadas.

A versão intermediária LTZ 1 sai por R$ 89.990 e soma bancos de couro (o do motorista tem regulagem lombar elétrica), teto solar elétrico, sistema de concierge e monitoramento OnStar, partida sem chave, abertura e fechamento das porta por proximidade, alerta de movimentação traseira (em marcha ré), câmera de ré, sensor de estacionamento traseiro, alerta de ponto cego, faróis tipo projetor, lanternas de LED, retrovisores com aquecimento, rodas de liga leve de 18 polegadas e frisos cromados nas portas e na tampa do porta-malas.

Mudanças visuais se concentram na dianteira
Mudanças visuais se concentram na dianteira Divulgação/Quatro Rodas

O Tracker topo de gama, batizado de LTZ 2, inclui o pacote chamado de 1SF no configurador da Chevrolet, que adiciona seis airbags (frontais, laterais e de cortina). Com ele, o preço sobe para R$ 92.990. A elevação de preço das duas versões já existentes (LT e LTZ) foi de R$ 1.800 e R$ 1.700, respectivamente. Já o pacote LTZ 2 não era oferecido anteriormente.

Tanto os preços como a configuração mecânica e os pacotes de equipamentos são bem atraentes dentro do segmento. O Honda HR-V EX 1.8, por exemplo, é tabelado em R$ 93.000. Mas há uma característica negativa que salta aos olhos no novo Tracker: a ausência de controle de estabilidade e tração, algo que tanto o HR-V como o Renegade e o Kicks já oferecem em todas as versões no mercado.

Continua após a publicidade

Publicidade