Nada de pontos. Essas dez multas suspendem sua CNH na hora

Infrações consideradas gravíssimas não dependem dos 20 pontos regulares. Veja quais são

 (Mauro Souza/Quatro Rodas)

Há multas que suspendem a CNH de imediato, ainda que não haja nenhum ponto acumulado em seu prontuário. Basta uma delas – passar a 64 km/h em uma lombada eletrônica com velocidade permitida de 40 km/h, por exemplo – para perder sua habilitação.

Isso ocorre porque o motorista excedeu em mais de 50% a velocidade máxima, o que implica em uma infração gravíssima, ao custo de R$ 880,41. E trata-se de uma multa autossuspensiva, com prazo de até oito meses sem poder dirigir.

Lembrando que existe uma margem de erro de cerca de 7 km/h para menos. Portanto, o radar registra sempre uma velocidade inferior do que a apontada no velocímetro.

O representante comercial Ivan Quevedo, 48 anos, soube desse tipo de infração da pior maneira. “Chegou a minha casa uma carta do Detran informando que foi aberto um processo para suspender a minha CNH, pois havia levado uma multa gravissíma de velocidade”, conta Quevedo.

Ele passou a 92 km/h em um radar de 60 km/h na BR-116, no trecho que liga Pelotas (RS) a Camacuã (RS).

Vale o alerta de que não são todas as multas gravíssimas que suspendem a CNH. Apenas as listadas abaixo são autossuspensivas.

Multas suspensivas

• Dirigir sob efeito de álcool
• Dirigir em velocidade acima de 50% do limite permitido
• Dirigir ameaçando pedestres
• Desrespeitar bloqueio policial
• Realizar ultrapassagem perigosa na contramão
• Realizar manobras perigosas
• Disputar competição esportiva em via pública sem autorização
• Estimular racha
• Deixar de prestar socorro à vítima de acidente de trânsito
• Recusar o teste do bafômetro

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Henrique Rodrigues Domingues

    Acho que tem erro no texto da reportagem. Os radares e as barreiras eletrônicas marcam a velocidade real do veículo o que comprovo com a utilização de GPS. A partir da velocidade apurada, inseri-se a velocidade corrigida (- 7 Km/h). É essa que vai definir se a velocidade foi excedida em que porcentagem. Portanto, o relato do cidadão que foi flagrado a 92 Km/h não é verdadeiro porque com a velocidade corrigida serão apurados 85 Km/h não tendo ultrapassado os 50% da máxima permitida.

  2. Daniel Louzada da Fonseca

    O problema é a desonestidade e incompetência de quem estipula velocidade para certos lugares…Vou dar 2 exemplos; Na Br 040 que vai do Trevão à Três Marias a velocidade máxima é de 80 km/h, apesar de ser de pouco trânsito…Tem trechos de 60 km/h que é um absurdo, pois, praticamente não tem trânsito….Já fui ultrapassado por viaturas da PRF quando me encontrava há 90 kmh/h e também já fui multado por eles (radar pistola), por trafegar a 90km em local de 60km/h….A desgraça do DNIT quer arrecadar,pois, nessa estrada pode permitir tranquilamente 110km/h…Por outro lado, no anel rodoviário de BH, que é muito mais perigoso, inclusive com acidente toda hora, é permitido a velocidade de 80km/h….Sendo assim, percebe-se que não há critério para estipular velocidades…Aliás, no país não há critério pra nada….