Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Último Lotus a gasolina, Emira tem motores Mercedes-AMG e Toyota

O Emira tem duas opções de motorização e substitui os Elise, Exige e Evora de uma só vez

Por João Vitor Ferreira Atualizado em 7 jul 2021, 10h39 - Publicado em 7 jul 2021, 10h24
Lotus Emira visão frontal
Divulgação/Lotus

Você já viu que diversas montadoras já definiram uma data para abandonar os motores a combustão. A Lotus é uma dela, mas não fez isso sem antes surpreender com um último “presente” para os consumidores que gostam de ouvir o bom ronco de um motor a gasolina.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 8,90

O recém anunciado Emira é o último veículo da empresa britânica a utilizar combustíveis fósseis. Seu visual já foi revelado, mas a primeira demonstração pública será no Goodwood Festival of Speed, que acontece entre os dias 8 e 11 de julho, na Inglaterra.

visao traseira Emira
Divulgação/Lotus

Com o visual inspirado no hipercarro elétrico da empresa, o Evija, o mais novo modelo da Lotus é um “supercarro júnior”, como descreve Matt Windle, diretor administrativo da montadora. O Emira chega para ser um carro versátil, um esportivo ideal para o dia-a-dia nas ruas.

As expectativas são grandes. Não apenas pelo Emira ser o último Lotus com motor a combustão e o primeiro lançamento em mais de uma década com esse tipo de motorização, mas também por ele substituir, de uma só vez, três Lotus muito consolidados: Elise, Exige e Evora.

visao traseira Emira
Divulgação/Lotus

Comparado aos seus antecessores, o novato tem dimensões maiores: são 4.41 m de comprimento, 1,89 m de largura e 1,22 m de altura. A intenção da Lotus é que o Emira dispute clientes com modelos como o Porsche 718 Cayman.

Do Elise, o Emira herdou a tecnologia de chassi alumínio extrudado da Lotus. A diferença é que ela foi aplicada na nova arquitetura da montadora. O chassi também terá dimensões que nunca foram aplicadas antes em um veículo da Lotus, além de ser fabricado em uma instalação em Norwich, a poucos quilômetros de distância da tradicional fábrica de Hethel.

detalhe dos farois inspirados no evija
Os faróis verticais all-LED são padrão em toda a linha, com um design de lâmina dupla inspirado no Evija Divulgação/Lotus

E já que esse será o último veículo a combustão, porque não fazê-lo com duas opções de motor? O primeiro, já é um conhecido dos Lotus: o V6 de 3.5 turbo fornecido pela Toyota, que equipava o Exige e o Evora. Esse trem de força gera 405 cv e tem opções de câmbio automático e manual. O zero a 100 km/h seria cumprido em cerca de 4,2 segundos.

A novidade fica por conta do quatro cilindros 2.0, construído em uma parceria da montadora britânica com a AMG, divisão esportiva da Mercedes, e emprestado do A 35 AMG. Com mudanças nos coletores, deverá passar dos 300 para cerca de 365 cv. A velocidade máxima anunciada é de 290 km/h, fazendo de 0 a 100 km/h em 4,5 segundos.

Continua após a publicidade
pneus especialmente projetados para o Emira
Os pneus padrão Goodyear Eagle F1 Supersport, dão lugar ao Michelin Pilot Sport Cup 2 para quem optar pelo Lotus Drivers Pack. Ambos foram espcialmente projetados para o Emira Divulgação/Lotus

Diferente do motor Toyota, essa opção contará apenas com transmissão de embreagem dupla e oito marchas. A tração é sempre traseira.

Gavan Kershaw, diretor de atributos do veículo da Lotus, comentou: “O 2.0 litros é a unidade de quatro cilindros em linha de produção mais poderosa do mundo acoplada ao aclamado DCT da AMG com paddleshifts e modos de direção. É de alto desempenho, extremamente eficiente graças à tecnologia de ponta e oferece baixas emissões e desempenho linear. Além de tudo isso, foi ajustado internamente pelos engenheiros altamente experientes da Hethel para oferecer essa experiência Lotus distinta.”

  • As versões disponíveis têm dois modos de suspensão, que mudam a dirigibilidade do veículo. No modo Tour, o carro fica mais leve e confortável, sem perder a dinâmica esportiva, sendo ideal para quem utiliza o carro diariamente. 

    interior do emira
    Limitador de velocidade, aviso de saída de faixa, alerta de tráfego cruzado traseiro e assistência para mudança de faixa somam-se à lista de equipamentos do Emira Divulgação/Lotus

    Quem optar pelo Lotus Driver Pack terá acesso ao modo Sport, uma configuração de suspensão um pouco mais rígida, que permite o motorista sentir mais o carro. Independente do pacote escolhido, a direção é hidráulica.

    O interior é o que melhor mostra a evolução do Emira para os seus antecessores. Ele possui uma cabine mais espaçosa e com estilo mais contemporâneo, acabamentos aveludados que dão um ar sofisticado. A posição da alavanca de câmbio e o formato do volante, ajudam a manter a identidade esportiva do cupê.

    visao lateral do interior
    Destaque também para o sistema de som, com tecnologia Uni-Q desenvolvido pela KEF. Possuindo uma configuração única que dispensa tweeter e mid-range separados, em vez de combinar ambos em uma única unidade acusticamente idealizada. Divulgação/Lotus

    Em questão de tecnologia, o Elmira é um dos mais avançados já produzidos pela Lotus. Ele conta com um painel moderno, com display totalmente digital de 13,2 polegadas. Junto a isso, tem um sistema de infoentretenimento com tela touchscreen de 10’’, com conectividade Android Auto e Apple CarPlay.

    Lotus Emira visão frontal
    Divulgação/Lotus

    Outras comodidades são assentos com ajuste elétricos de quatro posições na versão padrão (aumentando para 12 na versão com banco esportivo), limpa vidros automático e controle de iluminação ambiente e de cruzeiro. Somam-se a eles, outros recursos como airbags de cortina, sensor de e estacionamento traseiro e dianteiro, partida sem chave, sistema anticolisão, alerta de fadiga e um sistema de rastreamento em caso de roubo.

    As primeiras unidades estão programadas para sair na metade de 2022 com preços inferiores a $60.000 libras no Reino Unido e $72.000 euros no resto da Europa (algo superior aos R$ 400.000). A “primeira edição” contará com o V6 e será a marcada como a topo de linha.

    Faixa de Preço A partir de menos de £ 60.000 ou € 72.000 (cerca de R$ 400.000)
    Dimensões Comprimento 4.412 mm; largura 1.895mm (espelhos dobrados); altura 1.225 mm; distância entre eixos 2.575 mm
    Motorização 2.0 litros em linha de quatro cilindros / 3.5 litros V6
    Transmissão Manual, automático e DCT
    Potência 364-405 cv
    Torque máximo 43.85 kgfm
    Aceleração

    (0-100km/h)

    Menos de 4,5 segundos
    Velocidade máxima 290km/h
    Emissões de CO2 Começa abaixo de 180g / km
    Peso Bruto 1.405 kg em sua forma mais leve
    Conectividade e infoentretenimento Tela sensível ao toque de 10,25 polegadas; navegação integrada*; Apple CarPlay / Android Auto; Sistema de áudio premium KEF Uni-Q

    * não disponível em todos os mercados

    Principais tecnologias e recursos Partida sem chave; controle de cruzeiro; limpadores com sensores de chuva; espelhos retrovisores elétricos dobráveis; assentos motorizados; Luzes exteriores totalmente LES; controle de cruzeiro adaptativo; sistema anticolisão; alerta de fadiga; informações sobre sinalização rodoviária; limitador de velocidade do veículo; aviso de saída de faixa; alerta de tráfego cruzado traseiro; assistência para mudança de faixa.

     

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital

    Capa de QUATRO RODAS 746
    A edição 746 de QUATRO RODAS já está nas bancas! Arte/Quatro Rodas
    Continua após a publicidade
    Publicidade