Clique e assine por apenas 8,90/mês

História do Fusca nacional é tão confusa que até a VW se perde ao contá-la

Início da fabricação do Fusca no Brasil foi marcado por parcerias, importação de carros desmontados e produção em galpões

Por Henrique Rodriguez - Atualizado em 28 jan 2019, 11h43 - Publicado em 22 jan 2019, 10h24
Fuscas saem da fábrica da Volkswagen na Via Anchieta em 1957. Todos eles foram importados Divulgação/Volkswagen

Você já viu essa foto por aí. Ela é divulgada há anos pela própria Volkswagen para ilustrar o início da fabricação nacional do Fusca na fábrica da Anchieta, em 1959. Mas não é isso que ela retrata.

A foto realmente foi feita na fábrica da Anchieta, mas dois anos antes, em 1957 – ano marcado pelo início da fabricação nacional da Kombi.

Esta cena retrata a entrega de 40 carros para a Rádio Patrulha Paulista. A notícia publicada em 11/03/1957 no jornal O Globo diz, inclusive, que estes carros foram importados e finalizados na fábrica brasileira da Volkswagen.

Reprodução/Internet

A descoberta é de Alexander Gromow, especialista em Fusca, autor de dois livros sobre o modelo e ex-presidente do Fusca Clube do Brasil, no site Maxicar. Ou seja: a história é tão complexa que a própria fabricante acabou se confundindo ao contá-la.

Cronologia (certa) do Fusca no Brasil

Há notícias de Fuscas trazidos por padres alemães no final da década de 40. A primeira operação comercial, porém, começou em 1950, quando a Brasmotor trouxe 30 Volkswagen Sedan (nome oficial do Fusca) da Alemanha. Deu tão certo que no ano seguinte a empresa já trazia kits para montar o carro no Brasil.

Continua após a publicidade

O negócio era feito com colaboração da Volks, mas o contrato entre as duas acabaria em junho de 1953. A Volkswagen se preparou para isso com o início sua operação oficial no país em março daquele ano.

A sede era um galpão alugado na Rua do Manifesto, no bairro paulistano do Ipiranga. Ali mesmo seriam montados os Fusca e Kombi a partir do início de 1954, ainda com kits importados da Alemanha. Até então, a Kombi chegava ao Brasil praticamente pronta. 

O galpão na Rua do Manifesto, bairro do Ipiranga, em São Paulo, onde o Fusca foi montado à base do improviso entre 54 e 58 Divulgação/Volkswagen

A fábrica da Via Anchieta começou a ser construída em 1956. De acordo com Gromow, a construção foi muito rápida e conforme suas alas ficavam prontas, setores do galpão do Ipiranga eram transferidos para lá. É o que explica os carros importados sendo finalizados lá e outra foto, de kits importados sendo montados ali.

Fuscas montados com kits importados sendo montados em São Bernardo do Campo Divulgação/Volkswagen

A fabricação do Fusca no país começou ali, de fato, em 3 de janeiro de 1959. “A Volkswagen já havia anunciado o lançamento do Fusca para 7 de janeiro. Provavelmente estavam atrasados, então iniciaram a produção em um sábado para ter carros em algumas lojas na data marcada”, conta Gromow. Agora o Fusca tinha 54% de nacionalização.

Continua após a publicidade

A diferença mais notável entre os Fuscas montados com peças importadas da Alemanha e os com lataria estampada em São Bernardo do Campo (SP) está na janela traseira retangular, maior que a antiga oval.

A novidade estreou na Alemanha no final de 1958. Todos os Fuscas montados com peças importadas tinham janela oval.

Também foram adotados: um novo volante “cálice”; maçanetas externas com botão de acionamento; para-sol emborrachado; dínamo de 160 Watts; novas opções de cores.

Reprodução/Internet

Isso está registrado em notícia do Jornal do Brasil de 16/01/1959, que também relata que não houve qualquer solenidade para o início da fabricação nacional.

Continua após a publicidade

A fábrica só foi inaugurada de fato em 18 de novembro de 1959, agora sim com a presença do então presidente Juscelino Kubitschek, do presidente mundial da Volkswagen, Heinrich Nordhoff, e do presidente da Volkswagen do Brasil Friedrich Wilhelm Schultz-Wenk.

O presidente Juscelino Kubitschek desfilou em um Fusca conversível na inauguração da fábrica da Anchieta, em novembro de 59 (dois anos depois de o complexo já estar em operação) Divulgação/Volkswagen

 

Publicidade