Ford inicia plano de demissão de R$ 1,4 bi para 3.000 funcionários no ABC

Fabricante chega a acordo para Plano de Demissão Incentivada na fábrica de São Bernardo do Campo, e já não descarta encerrar atividades antes do fim do ano

Trabalhadores da linha de montagem do Ford Fiesta em São Bernardo do Campo

Trabalhadores da linha de montagem do Ford Fiesta em São Bernardo do Campo (Divulgação/Ford)

A Ford anunciou nesta terça-feira (30) um PDI (Plano de Demissão Incentivada) para trabalhadores da fábrica de São Bernardo do Campo (SP), que será fechada no fim deste ano.

O acordo, fechado em conjunto com o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC Paulista na manhã desta terça, contempla 3 mil funcionários diretos que atuam no complexo, e que possuíam acordo de estabilidade válido até novembro deste ano.

Segundo a fabricante, o plano será formado prioritariamente por uma compensação financeira oferecida pela Ford a cada empregado, além dos encargos trabalhistas demissionais já previstos pela legislação.

A compensação será calculada com base na combinação de condições empregatícias (mensalistas e horistas), tempo de trabalho e eventual contratação do funcionário por um potencial comprador da unidade.

Fábrica no ABC paulista também produz caminhões

Fábrica no ABC paulista também produz caminhões (Divulgação/Ford)

Segundo o sindicato do ABC, para os horistas, será oferecido entre 1,5 salário por ano trabalhado caso o trabalhador seja mantido na empresa compradora da fábrica, sendo 2 salários para quem não for contratado. Haverá um valor mínimo para todos.

No caso dos mensalistas, os índices serão de 0,75 e 1 salário por ano trabalhado, respectivamente, também com estabelecimento de um piso.

Fábrica da Ford começou a ser erguida pela Willys-Overland nos anos 1950

Fábrica da Ford começou a ser erguida pela Willys-Overland nos anos 1950 (Acervo/Quatro Rodas)

Além disso, a empresa promete fornecer também serviços de apoio psicológico e programa de requalificação profissional com cursos realizados em parceria com o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC.

Por fim, parte dos mensalistas do setor administrativo deverá ser mantida em operação pelo menos até março de 2020.

Quando anunciou o fechamento da fábrica, a Ford já havia previsto uma despesa próxima a US$ 360 milhões (cerca de R$ 1,4 bilhão) apenas com compensações a funcionários, terceirizados, fornecedores e concessionários.

Ainda conforme registrado no comunicado, o plano prevê até uma “possível antecipação do encerramento das atividades de manufatura, a qual depende da negociação com um potencial comprador”.

Atualmente o complexo de São Bernardo produz o compacto Fiesta e toda a linha de caminhões da Ford.

Em março, o sindicato do ABC já havia apontado que três candidatos negociam a compra da fábrica. O jornal O Estado de S. Paulo afirma que a Caoa é o grupo favorito a adquirir as instalações, assumindo também a produção dos caminhões.

Atualizado às 15h06.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s