Ford confirmará o Territory como SUV rival do Compass no Brasil em agosto

SUV médio deve chegar em 2021, via Argentina, para renovar o fôlego da fabricante no mercado brasileiro

Ford Territory será produzido na Argentina e vendido no Brasil

Ford Territory será produzido na Argentina e vendido no Brasil (Marcello Oliveira/Quatro Rodas)

A Ford enfim bateu o martelo e definiu qual será o SUV médio com o qual tentará brigar com o Jeep Compass na América do Sul (e, claro, no Brasil). E, ao que tudo indica, será mesmo o Territory, exibido no Salão de São Paulo do ano passado.

O anúncio será feito no dia 7 de agosto, com presença de executivos globais e regionais da fabricante. O modelo, derivado do projeto chinês JMC Yusheng S330, será produzido em General Pacheco (Argentina).

E olha que a fabricante vem tentando esconder esta informação. Nesta semana, em uma apresentação trimestral de balanço financeiro para acionistas, o Territory aparece na lista como voltado apenas ao mercado chinês.

Lista de lançamentos da Ford não inclui o Territory na América do Sul, mas… vai só até 2020

Lista de lançamentos da Ford não inclui o Territory na América do Sul, mas… vai só até 2020 (Reprodução/Ford)

Entretanto, fontes ligadas à cadeia de fornecedores garantem que o martelo já está batido para a fabricação regional do Territory, provavelmente a partir de 2021 e com visual já atualizado em relação ao modelo vendido hoje na China.

E é aqui que vem a grande sacada, já que a lista se detém a apontar lançamentos para 2019 e 20. Ou seja… O Territory dificilmente será trazido de maneira antecipada da China, conforme originalmente previsto.

Procurada, a filial brasileira da Ford se resumiu a afirmar que “não comenta lançamentos futuros”.

Territory tem porte maior que o do Compass

Territory tem porte maior que o do Compass (Marcello Oliveira/Quatro Rodas)

Ainda são escassas as informações técnicas a respeito do modelo, mas QUATRO RODAS já rodou com o SUV médio na China, em uma configuração 1.5 turbo de 145 cv, gerenciada por câmbio CVT.

Por aqui, há boas chances de pintar também o propulsor 2.0 aspirado flex de injeção direta usado atualmente pelo EcoSport Storm, rendendo 176 cv e acoplado a uma caixa automática de seis marchas.

O Territory mede 4,58 metros de comprimento e 2,71 m de entre-eixos. São 17 e 8 cm a mais do que o Compass, respectivamente, nessas dimensões.

Já há protótipos do Territory em testes no Brasil

Já há protótipos do Territory em testes no Brasil (William Vilas Boas/Quatro Rodas)

E a lista dos acionistas?

Em seu evento com acionistas, a matriz Ford confirmou seis lançamentos para o mercado sul-americano, mas poucos devem ser efetivamente trazidos ao Brasil, ficando reservados em especial a Argentina e Chile.

O próprio Escape e o SUV grande Explorer são modelos que teriam pouco espaço em nosso mercado, assim como a van Transit – já que a Ford está abandonando o mercado de utilitários e comerciais pesados.

As exceções, claro, são Edge e Ranger, já lançados (no caso do SUV, apenas na versão esportiva ST). No caso da picape, falta ainda a chegada da versão Storm, que deve ocorrer até o fim deste ano.

A picapona F-150 poderia até pintar como produto de nicho, a fim de brigar com a RAM 1500.

Já o modelo indicado como “pequeno SUV off-road”, conhecido como baby Bronco (e cujo nome definitivo pode ser Maverick) teria mais chances, sendo posicionado entre o EcoSport e o Territory (e brigando, principalmente, com o Renegade 4×4 diesel).

Nova geração do Ford Maverick é um SUV com pinta de Renegade

Nova geração do Ford Maverick é um SUV com pinta de Renegade (Divulgação/Ford)

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Paulo Raulino

    Sempre me questiono o porque de os carros mais caros dos fabricantes locais sejam produzidos na Argentina… Imagino que a resposta seja pela carga tributária e pela as exigências de conteúdo nacional. Se não, o porque, então?