Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Feito sob encomenda, Rolls-Royce Boat Tail é o carro mais caro do mundo

Cada uma das três unidades custou o equivalente a R$ 147 milhões e oferece utensílios para um piquenique ao ar livre

Por Pedro Henrique Oliveira Atualizado em 27 Maio 2021, 21h34 - Publicado em 27 Maio 2021, 19h03
Rolls-Royce Boat Tail conversível azul visto 3/4 de frente
O novo Rolls-Royce Boat Tail conversível terá apenas três unidades no valor de US$ 28 milhões Divulgação/Rolls-Royce

A Rolls-Royce anunciou há poucos dias que voltaria a fabricar projetos sob encomenda para os seus clientes, mas ninguém sabia ainda que ela já tinha algo para mostrar. Agora, a fabricante britânica revelou o novo Boat Tail, um conversível que marca seu retorno o segmento dos personalizados e, mais do que isso, estreia como o carro mais caro do mundo.

Cada uma das três unidades produzidas custará US$ 28 milhões, equivalente a R$ 147 milhões.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 8,90. 

Não é a primeira vez que a Rolls-Royce ocupa o topo do ranking de modelos mais caros. Em 2017, o Sweptail foi feito a pedido de um europeu endinheirado. Na época, o modelo se tornou o carro mais caro do mundo, chegando a custar o equivalente a R$ 43 milhões, mas seu posto foi perdido para o Bugatti La Voiture Noir, de R$ 70,7 milhões. Agora, o Boat Tail desbancou o hiperesportivo francês e retomou a majestade.

Voltando ao Boat Tail, foram produzidos três exemplares para clientes que compartilham o gosto pelo design náutico. A marca entrou em um acordo com os três endinheirados, que aceitaram a construção de uma unidade para cada um deles. Porém, apesar de todos os exemplares terem a mesma carroceria, cada um será único pelo alto nível de personalização oferecido pela Rolls-Royce.

Ao todo, foram 4 anos de desenvolvimento conjunto e a marca se comprometeu com os compradores a não produzir mais nenhuma unidade do conversível.

Continua após a publicidade
Rolls-Royce Boat Tail conversível azul visto de lado
A capota feita de tecido exige que o dono realize a abertura manualmente Divulgação/Rolls-Royce

Além de exigirem que a empresa apresentasse algo realmente inédito, os compradores também desejaram uma reinterpretação de modelos da década de 1920, que remetiam às formas dos barcos de alta performance da época.

  • O motor utilizado pelo conversível é um V12 6.75 biturbo utilizado também em Cullinan, Phantom e nos chamados Black Badge. Nos dois primeiros, a potência entregue é de 571 cv, já nos modelos Black Badge chega a 608 cv.

    Rolls-Royce Boat Tail conversível azul visto por trás
    A chamada “suíte de hospedagem” com utensílios luxuosos possibilita um verdadeiro piquenique Divulgação/Rolls-Royce

    Com enormes 5,8 metros de comprimento, o Boat Tail tem influência da filosofia da marca chamada Architecture of Luxury. Ou seja, apesar de exclusivo, o modelo é um clássico Rolls-Royce com dianteira alta, grade retilínea e faróis divididos em dois pares. A traseira mais baixa abriga as lanternas estreitas iluminadas com LEDs. Na unidade apresentada, as rodas têm acabamento polido na cor azul.

    Apesar do formato baixo e estreito, é na traseira que estão guardados os aspectos mais luxuosos do modelo. Logo acima das lanternas, duas portas que se abrem como se fossem asas. Dentro delas, está o que a marca chama de “suíte de hospedagem”.

    Suíte de Hospedagem do Rolls-Royce Boat Tail conversível
    Talheres, louças e toalhas possuem o logo da marca e o nome Boat Tail gravado Divulgação/Rolls-Royce

    Ao se abrirem, as portas revelam duas pequenas geladeiras e um compartimento que guarda jogos de talheres, taças, toalhas e louças da grife Christofle, com a grafia do logo da Rolls-Royce e do nome do modelo, Boat Tail.

    Para completar o conjunto, há dois bancos de fibra de carbono, um par de mesas de coquetel e um guarda-sol que surge da traseira do modelo para garantir o máximo conforto dos clientes.

    Rolls-Royce Boat Tail conversível azul visto por trás
    As duas portas traseiras que guardam os talheres, louças e geladeiras se abrem como asas Divulgação/Rolls-Royce

    O teto de tecido que se conecta à parte traseira não tem acionamento eletrônico e necessita que o dono faça o processo manualmente. Além disso, caso o teto seja deixado em casa, há uma capa no porta-malas que garante que motorista e passageiro não se molhem em caso de uma tempestade repentina. 

    Parte das exclusividades, o modelo das imagens conta com toques feitos sob medida para o comprador. Entre eles estão dois relógios suíços BOVET no painel, sendo um para o comprador e outro para quem ele desejar presentear, além de um estojo no porta-luvas com uma caneta da grife Montblanc. Ainda no interior, os bancos são de couro azul em dois tons, mesmas cores presentes em diversas outras partes da cabine, e o painel recebe acabamento de madeira.

    Rolls-Royce Boat Tail conversível azul visto 3/4 de trás
    Os bancos são feitos de couro com dois tons de azul para combinar com a pintura externa escolhida Divulgação/Rolls-Royce

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

    Capa Maio 2021
    A edição 745 de QUATRO RODAS já está nas bancas! Arte/Quatro Rodas
    Continua após a publicidade
    Publicidade