Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Exclusivo: Jeep de sete lugares tem mesmo interior do novo Compass

Pistas, preço e detalhes apontavam para cabine luxuosa, com pitada de Grand Cherokee e Wagoneer. A realidade do projeto 598, entretanto, é mais sem graça

Por Eduardo Passos Atualizado em 17 abr 2021, 18h56 - Publicado em 17 abr 2021, 18h26
Fotografou um carro disfarçado ou outro segredo?

Mande seu flagra para (11) 99975-9245 ou pelas nossas redes sociais!

Pelo preço aguarda de até R$ 270.000 com certeza o novo Jeep de sete lugares merecia mais do que um interior bem parecido com o do futuro SUV do Argo
Pelo preço aguardado de até R$ 270.000 com certeza o novo Jeep de sete lugares merecia mais do que um interior bem parecido com o do futuro SUV do Argo Thiago Arouche/Quatro Rodas

Quando a Jeep apresentou os primeiros detalhes do seu novo SUV de sete lugares, até agora chamado projeto 598, foi fácil esquecer de que se tratava da versão estendida do popular Compass, renovado para a linha 2022.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 8,90 

Isso porque os elementos visuais revelados na prévia remetiam mais ao novo Grand Cherokee L e ao luxuosíssimo Grand Wagoneer por exemplo, alimentando especulações de que o 598, cotado na casa dos R$ 250.000, estaria em outro patamar de conforto em relação ao Compass.

  • Eis que a realidade bateu na porta e o Jeep de sete lugares terá, na verdade, interior bem mais humilde, compartilhando elementos até mesmo do SUV do Argo, o Progetto 363 e sua versão cupê, o projeto 376.

    A conclusão veio a partir do flagra feito pelo leitor Thiago Arouche e exclusivo de QUATRO RODAS. Pelas imagens de Arouche, é possível ver com clareza a primeira fileira do carro, com destaque para o console central e central multimídia, dentre outros aspectos.

    A primeira vista, não diferenças notáveis em relação ao Compass
    A primeira vista, não há diferenças notáveis em relação ao Compass Thiago Arouche/Divulgação

    Em primeiro plano, por exemplo, há o mesmo volante do novo Compass 2022. Na peça vemos comandos do controle de cruzeiro adaptativo, do sistema de entretenimento Uconnect 5 e do quadro de instrumentos, que é digital.

    Há botões para todos os sistemas de auxílio na direção e segurança do Compass de topo, mas nenhuma referência a tração integral
    Há botões para todos os sistemas de auxílio na direção e segurança do Compass de topo, mas nenhuma referência a tração integral Thiago Arouche/Quatro Rodas

    É possível confirmar que o cluster de instrumentos presente no protótipo é o maior disponível, com 10,25″. Isso porque as versões mais baratas do Compass terão tela menor, de 7,5″. A propósito, o quadro de instrumentos é maior que a própria central multimídia. A central do modelo é a mesma de 10,1’’ das versões mais caras do novo Compass, flutuante.

    Interior do Compass em sua plenitude: central de 10,1 polegadas e painel de 10,25 polegadas
    Interior do Compass em sua plenitude: central de 10,1” e painel de instrumentos de 10,25”. Alguma semelhança? Divulgação/Jeep

    Terminando de imitar seu irmão menor, o novo Jeep que muitos apostam se chamar Commander ou Liberty traz o mesmíssimo console central, com câmbio automático e freio de mão elétrico. A única diferença é o friso transversal do painel, com tons em dourado e a lateral estofada, com vinil macio ao toque.

    Por fora as coisas mudam: além do amplo teto solar, há novos faróis e para-choques
    Por fora as coisas mudam: além do amplo teto solar, há novos faróis e para-choques Thiago Arouche/Quatro Rodas

    No protótipo, há o botão Sport, que faz a transmissão atuar de maneira mais agressiva. Entretanto, faltam referências à tração integral e o espaço para o botão seletor de terreno aparenta estar vazio, indicando se tratar da versão flex. A captura ocorreu em Sabauna, distrito de Mogi das Cruzes (SP), e a rota do GPS indicava rumo à estrada de terra vicinal, possivelmente para testes de resistência.

    O novo Jeep segue acumulando quilometragem e têm sido visto de Pernambuco a Santa Catarina, onde foi flagrado pelos leitores Leonardo Contin da Silva e Eduardo Wilson. Praieiro, o SUV também passou Vitória (ES) e Salvador (BA), onde foi capturado pelos leitores Renan Mesquita e Michel Hage, respectivamente.

    Continua após a publicidade
    De rolê por Florianópolis, Jeep de sete lugares usa plataforma do Compass além de porção dianteira da carroceira. As portas traseiras, entretanto, já mudam e são mais longas
    De rolê por Florianópolis, Jeep de sete lugares usa plataforma e porção dianteira da carroceira do Compass. As portas traseiras, entretanto, já mudam e são mais longas Leonardo Contin da Costa/Quatro Rodas

    No resto do interior, tudo parece idêntico ao novo Compass, desde as costuras em vermelho aos botões centrais, que permitem desligar o controle de estabilidade e tração, assistente de mudança de faixa, assistente de baliza, sensor de estacionamento e start-stop. No alto, também é notável o botão SOS, que pode ser ativado em situações de emergência como acidentes e aciona, via conexão 4G próprio do carro, socorristas e assistência da Jeep.

  • Tudo isso posto, o interior do novo Jeep de sete lugares pode cair como um balde de água fria a quem não via a hora de pagar mais de R$ 200.000 pelo modelo, crente de que haveria novidades à altura do exterior diferenciado e melhorado em relação ao Compass.

    Aos poucos o modelo revela seu jogo de luzes
    Aos poucos o modelo revela seu jogo de luzes Leonardo Contin da Costa/Quatro Rodas

    A cabine, inclusive, chega a ser quase igual à do Progetto 363, que concorrerá com o Volkswagen T-Cross. Além de alguns detalhes, a grande diferença é que o SUV do Argo não contará com freio de mão elétrico e o “painelzão” de 10,25’’, por exemplo.

    Justiça seja feita, a Jeep sempre tratou o projeto 598 como seu SUV três-fileiras de entrada e acessível plebeu diante do Grand Cherokee L e Grand Wagoneer. O lendário Ralph Gilles, diretor global de design da marca, entretanto, ressaltou que o novo carro teria pouco a ver com o Compass e renovou as expectativas.

    Teto solar é opcional
    Amplo teto solar também marcará presença no projeto 598, com espaço para ser ainda maior Divulgação/Jeep

    “É realmente um veículo novo. (…) Ele tem seu próprio design, seu próprio elemento, seu próprio tema. E será otimizado ao que iremos oferecer”, disse o projetista ao portal indiano Autox, em março.

    Resta saber de onde virão tantas novidades, já que o interior não parece ser uma delas. As fichas agora vão para o restante da carroceria, que segue revelada aos poucos. Fotos do site Autos Segredos, por exemplo, já mostram lanternas novas, em lugar dos implementos rodoviários provisórios que vêm sendo usados. Ao mesmo tempo, os flagras de QUATRO RODAS seguem elucidando o que virá de faróis dianteiros.

    Traseira é nova e terá caimento semelhante à do Grand Cherokee L
    Traseira é nova e terá caimento semelhante à do Grand Cherokee L Renan Falquetto Mesquita/Quatro Rodas

    O motor também é foco de palpites, com informações dando conta que o 598 usará o mesmo tratamento gasoso via Arla 32 do novo Compass aliado bomba d’água auxiliar a fim de chegar aos sonhados 200 cv e 40 kgfm de seu motor 2.0 diesel. A versão flex usará o novo 1.3 turbo da Stellantis, com cerca de 180 cv e 27,5 kgfm rodando com gasolina.

    Com calendário cheio, Fiat e Jeep lançarão seus novos SUVs ainda em 2021, com a nova Toro também encaminhada para este ano. Outro SUV, estilo cupê, chegará em 2022. Mas não espere grandes mudanças em seu interior: a ordem, aparentemente, é reaproveitar.

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

    Capa Quatro Rodas Abril

    Continua após a publicidade
    Publicidade