Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Exclusivo: CEO da Chery fala dos planos para o Brasil

Luis Curi antecipa detalhes da estratégia de inauguração da fábrica no Brasil

Por Péricles Malheiros / foto: Germano Lüders Atualizado em 9 nov 2016, 12h42 - Publicado em 4 set 2013, 19h37
fabricantes

Por telefone, o CEO da Chery no Brasil, Luis Curi, revelou, com exclusividade, algumas novidades nos planos de nacionalização da marca. Até os primeiros meses desse ano, o discurso dava conta de que o Celer seria o primeiro carro a sair da fábrica de Jacareí, no interior do estado de São Paulo. Ainda é, mas Curi avisa: “Nosso Celer será baseado no modelo apresentado no Salão de Xangai, em abril, na China. O modelo nacional terá algumas alterações para atender ao gosto específico do consumidor brasileiro que, por sinal, é infinitamente mais exigente do que o chinês”.

Oficialmente, a marca anunciou hoje a importação de 600 unidades do QQ ao preço especial de 19990 reais para comemorar o anúncio de que o subcompacto, assim como o Celer, será produzido no Brasil. O CEO revelou que a nova geração foi a escolhida. “Se trata de QQ completamente novo, da plataforma ao motor. Por dentro e por fora”, diz Curi. O início de fabricação da nova geração do QQ está previsto para o fim de 2014 — a comercialização do Celer se inicia antes, no primeiro trimestre. Até que o QQ do Brasil chegue, a geração atual ganhará uma importante novidade. “Nos próximos meses chegam os QQ com motor três-cilindros 1.0. Será este o motor que equipará o novo QQ brasileiro”, diz Curi. O CEO completa: “O QQ 1.0 importado será movido a gasolina, mas o nacional já chega flex. As negociações para a produção local desse motor estão bem adiantadas”.

Leia também:

>> Chery anuncia QQ por R$ 19.990

Continua após a publicidade

Publicidade