Em testes no Brasil, T-Cross e Jetta chegam no segundo semestre

Os dois modelos já foram flagrados rodando em testes em vias brasileiras

flagra volkswagen t-cross T-Cross é baseado na plataforma MQB e tem dimensões de Renegade

T-Cross é baseado na plataforma MQB e tem dimensões de Renegade (Eduardo Campilongo/Quatro Rodas)

O segundo semestre será bastante agitado para a VW. A fábrica fará pelo menos dois grandes lançamentos: o SUV T-Cross e o novo Jetta, que foram flagrados por nós rodando em teste em estradas paulistas.

O SUV está com os testes bastante acelerados e deve chegar às lojas entre julho e agosto. Depois vem o sedã, que pode ser lançado durante o Salão do Automóvel de São Paulo, em novembro.

flagra volkswagen t-cross SUV compacto também terá vinco forte na lateral

SUV compacto também terá vinco forte na lateral (Eduardo Campilongo/Quatro Rodas)

Informações de nossas fontes dão uma ideia mais clara do que vem por aí. Ao contrário do que se pensava, o T-Cross terá apenas duas opções de motor 1.6 16V Flex (120/110 cv) e 1.4 TSI (150 cv), sempre com câmbio automático de seis marchas.

O tão falado motor 1.0 TSI e o câmbio manual de cinco marchas devem ficar de fora.

flagra volkswagen t-cross Traseira é saliente, como no Audi Q3

Traseira é saliente, como no Audi Q3 (Eduardo Campilongo/Quatro Rodas)

Derivado da plataforma MQB-A0, a mesma do Polo, o T-Cross tem o porte de um SUV como o Jeep Renegade e seu visual foi apresentado pelo conceito T-Cross Breeze, mostrado no Salão do Automóvel de São Paulo, em 2016.

Carro de teste foi flagrado em São Bernardo do Campo (SP)

Carro de teste foi flagrado em São Bernardo do Campo (SP) (Eduardo Campilongo/Quatro Rodas)

O Novo Jetta, por sua vez, foi apresentado no Salão de Detroit, em janeiro. O novo sedã chega com o visual adotado pelos novos VW, com grade maior que os faróis – como no recém-lançado Virtus. A plataforma é a mesma MQB que, nesse caso, aposenta a PQ35, que serviu de base para o Golf 5.

Por enquanto, a Volkswagen só anunciou o Jetta com motor 1.4 TSI atualizado para chegar aos 150 cv – em outros mercados fora do Brasil, o Jetta anterior não havia passado dos 140 cv. Agora ele é combinado a um câmbio automático de oito marchas. 

A enorme grade do radiador se destaca e ajuda a diferenciar o Jetta dos “irmãos” de marca

A enorme grade do radiador se destaca e ajuda a diferenciar o Jetta dos “irmãos” de marca (Divulgação/Volkswagen)

A ideia era dar nova identidade ao Jetta, mas as lanternas acabaram ficando ainda mais parecidas com as do Virtus

A ideia era dar nova identidade ao Jetta, mas as lanternas acabaram ficando ainda mais parecidas com as do Virtus (Divulgação/Volkswagen)

A Volkswagen não comentou sobre outras opções de motorizações, mas especula-se que a opção topo de linha do Jetta perderá o 2.0 turbo de 211 cv usado também no Golf GTI.

Em seu lugar, a VW usaria outro 2.0, de 190 cv, que já equipa os novos Tiguan e Audi A4. A troca visa abrir mão de parte da performance em troca de maior economia de combustível.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Daniel Lourenço

    Apesar da plataforma MQB, retirar o EA888 do Jetta é acabar com a diversão. Oremos irmãos e irmãs para que isso não aconteça.