Clique e assine por apenas 5,90/mês

Chevrolet Onix leva prêmio de carro que menos deprecia

Modelo teve índice de 8,5% e ficou à frente do Fiat Palio e VW Golf

Por Redação - Atualizado em 9 nov 2016, 14h11 - Publicado em 28 nov 2014, 18h31
mercado

O Chevrolet Onix foi o modelo melhor avaliado quanto ao índice de depreciação de carros em um ano, no Prêmio Maior Valor de Revenda, da Agência AutoInforme em parceria com a Molicar.

Com uma depreciação de 8,5%, o hatch da marca foi o melhor colocado em sua categoria e no ranking geral, que incluiu 100 versões zero quilômetro dos modelos mais vendidos.

De acordo com Joel Leite, idealizador do prêmio, a depreciação depende de vários fatores, como tamanho do carro, marca, rede de revendedores, cuidado que a marca tem em relação ao pós-vendas, ao segmento, a origem, ao fato de ter grande volume de venda e à sua aceitação no mercado.

Se levar em consideração as categorias avaliadas, a Fiat foi a maior vencedora, tendo carros nas primeiras colocações em quatro segmentos: Entrada (Palio Fire, com 10,9% de depreciação), Hatch premium (500, 12,4%), Perua (Palio Weekend, 13,8%) e Picapes Pequenas (Strada, 11,2%).

Completando o prêmio, a Ford venceu em duas categorias, com o Fusion (13,1%) e Ecosport (11,1%), o VW Golf levou como hatch médio e a Spin ganhou no segmento das minivans. Os modelos Honda Fit e CR-V, Toyota Corolla e Hilux, Hyundai e Renault também levaram em algumas categorias.

Confira todos os vencedores:

Entrada: Fiat Palio Fire (10,9%)

Hatch: Chevrolet Onix (8,5%)

Monovolume: Honda New Fit (11,7%)

Sedã pequeno: Hyundai HB20S (11,6%)

Continua após a publicidade

Utilitário esportivo: Ford Ecosport (11,1%)

Utilitário esportivo grande: Honda CR-V (11,9%)

Picape pequena: Fiat Strada (11,2%)

Minivan: Chevrolet Spin (12,7%)

Hatch médio: VW Golf (10,3%)

Sedã médio: Toyota Corolla (12,7%)

Hatch Premium: Fiat 500 (12,4%)

Picape média: Toyota Hilux (13,2%)

Perua: Fiat Palio Weekend (13,8%)

Comercial: Renault Master (10,7%)

Sedã grande: Ford Fusion (13,1%)

Continua após a publicidade
Publicidade