Clique e assine por apenas 8,90/mês

Carro do futuro gerará 30 TB de informações/dia, muitas delas sobre você

As informações geradas pelos automóveis conectados criam oportunidades para o surgimento de serviços inimagináveis até pouco tempo atrás

Por Paulo Campo Grande - 8 abr 2020, 07h00
As informações fornecidas por carros conectados geram oportunidades de negócios Índio San/Quatro Rodas

Não faz muito tempo, a função dos veículos se resumia ao transporte de pessoas, bens e mercadorias. Com o advento da conectividade, porém, carros e caminhões tornaram-se importantes geradores de informações.

Do ponto A ao ponto B, um veículo conectado pode informar coisas como localização, destino, previsão de chegada, velocidade, consumo, comportamento do motorista, rotas preferidas, condições do trânsito, estado das vias, localização de lojas e postos de serviços, parques e pontos de interesse, entre outros dados.

A consultoria inglesa IHS Automotive estima que até 2025 haverá 2 bilhões de carros conectados circulando pelas ruas e estradas do planeta, sendo que cada veículo desses produzirá em média, cerca de 30 terabytes de informação por dia.

Estima-se que até 2025 haverá 2 bilhões de carros conectados circulando pelas ruas e estradas do planeta Bosch/Divulgação

Essas informações podem ser usadas para os diferentes fins, criando oportunidade para os mais diversos tipos de negócio. Algumas seguradoras, por exemplo perceberam o potencial da conectividade e já monitoram os motoristas via aplicativos de celular.

Continua após a publicidade

A equação é simples: conhecendo os hábitos dos motoristas, elas podem calcular o risco do contrato e cobrar de acordo com ele: os mais problemáticos pagam mais, os menos pagam menos.

No futuro, porém, os carros poderão fornecer informações mais precisas e em maior volume, possibilitando uma análise mais criteriosa e assertiva do risco.

Conhecer horários, locais de circulação e maneira como o motorista faz curvas, freia e acelera é mais eficaz do que saber idade, sexo e endereço do segurado.

Por meio de uma conexão digital, o motorista poderá acessar o cardápio do restaurante e encomendar um sanduíche Divulgação/Internet

Outro exemplo vem da parceria entre a FCA e o McDonald’s para facilitar a vida dos compradores de lanches pelo sistema drive-thru.

Continua após a publicidade

Por meio de uma conexão digital, o motorista poderá acessar o cardápio do restaurante, encomendar o sanduíche de sua preferência, fazer o pagamento da encomenda e escolher a unidade mais próxima para retirar a compra, sem perder tempo em longas filas.

Segundo a FCA, os testes do sistema terão início no primeiro semestre deste ano, com consumidores espalhados pelo Brasil. E o objetivo é colocá-lo em funcionamento regular o quanto antes.

A Ford desenvolveu um sistema que permite estudar o trânsito das cidades Divulgação/Ford

Enquanto isso, nos Estados Unidos, a Ford desenvolveu um sistema que permite estudar o trânsito das cidades, cruzando informações dos veículos com a localização deles nas ruas.

Pontos onde se verifica a ocorrência de frenagens bruscas, por exemplo, podem indicar lugares com risco de acidente. Baixas velocidades médias em determinados trechos podem revelar a necessidade de intervenções para melhorar o fluxo dos carros.

Continua após a publicidade

Em um estudo experimental na cidade de Ann Arbor, no estado de Michigan, a Ford identificou áreas que não eram atendidas por transporte público, descobrindo aí uma oportunidade de negócio.

Publicidade