Caoa Chery Tiggo 5X: mudança para governo Bolsonaro atrasa entrega do SUV

Demissões no Denatran atrasaram autorização para venda do modelo no país; clientes só começaram a receber o veículo nesta semana

Caoa Chery Tiggo 5X deveria estar nas ruas desde o fim de dezembro

Caoa Chery Tiggo 5X deveria estar nas ruas desde o fim de dezembro (Divulgação/Chery)

Você já viu um Caoa Chery Tiggo 5X na rua? Provavelmente não, porque todas as unidades comercializadas desde o fim do ano passado, quando o SUV foi lançado, estavam retidas na fábrica de Anápolis (GO) ou nas concessionárias.

Faltava a elas, até o fim da semana passada, o CAT (Certificado de Adequação à Legislação de Trânsito), uma espécie de autorização final para que um modelo possa ser produzido e/ou comercializado no país.

Ele é emitido pelo Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), com base na análise de todos os testes obrigatórios pelos quais o veículo passou até ser homologado.

De acordo com a legislação, o órgão tem 60 dias para liberar o documento a partir da data de registro do pedido. Entretanto, desde outubro do ano passado as atividades ficaram paralisadas por conta da transição entre os governos Michel Temer e Jair Bolsonaro.

Segundo fontes consultadas por QUATRO RODAS, toda a equipe responsável pelo CAT no Denatran foi exonerada antes mesmo do fim do mandato de Temer, deixando o setor totalmente desguarnecido.

“Resolveram trocar a equipe inteira: diretoria, secretarias e coordenações, e até terceiro e quarto escalões”, diz um informante.

Tiggo 5X competirá no segmento de SUVs compactos

Tiggo 5X competirá no segmento de SUVs compactos (Divulgação/Chery)

Longa espera

O cenário provocou um grande atraso na emissão do certificado de diversos modelos, afetando em especial o cronograma de um deles, o Tiggo 5X. Para iniciar as vendas de seu novo SUV compacto, a Caoa Chery seguiu o protocolo convencional e registrou o pedido do CAT às 11h45 de 30 de outubro.

A expectativa é que o documento fosse emitido a tempo para que as vendas começassem em meados de dezembro, conforme prometido no lançamento. Porém, como não havia quem analisasse o processo, ele ficou parado durante os meses de novembro, dezembro e janeiro.

O documento foi sair apenas na última sexta-feira (1º), o que significa que só a partir desta semana a empresa pôde incluir os veículos no BIN (Base de índice Nacional) e, consequentemente, repassá-los aos clientes para emplacamento.

As entregas enfim começaram nesta semana e devem ser aceleradas nos próximos 10 dias até a normalização do fluxo. No entanto, como as concessionárias começaram a fechar negócio ainda no ano passado, alguns clientes completarão até dois meses de espera até ver o Tiggo 5X em suas garagens.

Gerente de revenda da Caoa Chery avisa em grupo de WhatsApp que o CAT do modelo enfim foi liberado

Gerente de revenda da Caoa Chery avisa em grupo de WhatsApp que o CAT do modelo enfim foi liberado (Reprodução/WhatsApp/Internet)

É o caso do engenheiro eletricista Pedro Luis Araújo Silva, 30, de Campina Grande (PB). Ele comprou o SUV em 12 de dezembro, mas, devido ao problema, sua unidade está retida no pátio da concessionária até hoje. A previsão é que seja enfim entregue no fim desta semana.

Segundo ele, nem a revenda onde comprou o veículo sabia explicar corretamente o motivo do atraso. “Tive de apurar por conta para ou acionar a Caoa Chery judicialmente ou acreditar nela”, conta.

Já o auxiliar administrativo, Eddie Nabil Rahal, 33, de São Paulo, comprou o Tiggo 5X em 5 de janeiro. “O faturamento ocorreu no dia 10, mas até agora nada de Tiggo”, relata. Rahal ficou sabendo do problema não pelo vendedor da loja, mas sim em grupos de Facebook.

Procurada, a assessoria da Caoa Chery admitiu o problema e informou que está em contato constante com os concessionários para agilizar a entrega das unidades já compradas o mais rápido possível.

O Tiggo 5X de Pedro Luis Araújo Silva já está na loja, só aguardando a liberação

O Tiggo 5X de Pedro Luis Araújo Silva já está na loja, só aguardando a liberação (Pedro Luis Araújo Silva/Arquivo pessoal/Quatro Rodas)

Problema resolvido? Quase

De acordo com as fontes consultadas por QUATRO RODAS, a paralisação da emissão do CAT afetou outros fabricantes e outros modelos além da Caoa Chery, embora os relatos de atraso não tenham chegado ainda à nossa reportagem.

O caso foi tão sério que o presidente da Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), Antonio Megale, chegou a se reunir em dezembro com o então ministro das Cidades (órgão ao qual o Denatran estava vinculado), Alexandre Baldy, cobrando uma solução.

Como resposta do ministro, teria ouvido que a menos de um mês do fim do governo “não havia o que se fazer”.

Com o início da gestão Bolsonaro e a criação do Ministério do Desenvolvimento Regional (fusão das antigas pastas de Cidades e Integração Nacional), a equipe do Denatran foi enfim reposta, mas, segundo nossos informantes, as documentações ainda estão saindo com atraso devido ao acúmulo de processos.

Cliente comemora o recebimento de seu Tiggo 5X no Facebook após espera de dois meses

Cliente comemora o recebimento de seu Tiggo 5X no Facebook após espera de dois meses (Reprodução / Facebook/Internet)

O que diz o Denatran

Procurada por QUATRO RODAS, a assessoria do Ministério do Desenvolvimento Regional confirmou a existência do problema, mas nega que a paralisação tenha sido total e afirma que o trabalho já retornou a seu ritmo normal.

Confira na íntegra:

A nova gestão do Denatran está promovendo uma reestruturação do órgão e dos processos internos do Departamento, com o objetivo de agilizar as respostas às diversas demandas. 

A Coordenação Geral foi reestruturada, incorporando outros setores e agregando colaboradores. O Denatran conta hoje com 15 colaboradores atuando diretamente nas atividades relacionadas à análise do CAT.

Entre novembro de 2018 e janeiro de 2019 houve uma significativa redução das atividades relacionadas à análise do CAT, mas elas não foram totalmente paralisadas.

Durante o mês de janeiro foi analisado o funcionamento do órgão e iniciadas mudanças para atender as demandas existentes. O Denatran está dedicando especial energia na solução dessa questão, com expectativa de retornar brevemente à normalidade.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s