Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Este Z3 V12 com câmbio manual foi o carro mais indomável que a BMW já fez

O protótipo era incrível no papel, mas a má distribuição do peso fez com que o Z3 V12 nunca visse a luz do dia

Por João Vitor Ferreira 5 out 2021, 22h55

Detalhe BMW Z3 V12 capô aberto

Em matéria de superesportivos, raramente menos é mais. Sempre vemos as empresas usando tudo o que tem de mais potente e avançado na tentativa de ter o carro mais rápido possível. Mas a BMW provou, lá em 1999, que colocar um motor V12 em um Z3 não seria algo muito inteligente.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 8,90

A ideia partiu de um engenheiro da BMW Motorsport (divisão de veículos esportivos da marca alemã), Gerhard Schmidt. Na época, ele quis deixar o roadster de 1.160 kg ainda mais potente que sua variante M, que tinha o mesmo motor 6 cilindros em linha 3.2 do BMW M3 E46, com 321 cv e 35,5 kgfm.

Para isso, foi feito o mais óbvio. O engenheiro pegou o motor mais potente que havia na prateleira, o V12 5.4 aspirado usado pelos Série 7 e 8 da época, e colocou debaixo do capô do Z3. Esse foi, provavelmente, o “swap” mais insano da história da BMW. 

BMW Z3 V12 traseira
Divulgação/BMW

A eletroventilador do sistema de arrefecimento e até o próprio compartimento do motor precisaram ser adaptados para que o V12 encaixasse perfeitamente ali. Logo, outras modificações precisaram ser feitas. A suspensão foi revisada, o chassi foi reforçado e novos cárter e sistemas de admissão e escapamento foram instalados. Além, claro, de radiadores específicos.

BMW Z3 FRONTAL
Divulgação/BMW

Foi difícil, mas finalmente o BMW Z3 tinha um V12 funcional instalado. O resultado dessa experiência foi um carro pequeno e muito potente, com 326 cv a 5.000 rpm e aproximadamente 50 kgfm a 3.900 rpm. O câmbio de seis marchas veio do BMW Série 8 e jogava a toda a força para as rodas traseiras.

Na pista, tudo errado

No papel o carro era bizarramente incrível. Mas, além de potência, o Z3 também ganhou muitos quilos a mais, passando aos 1.400 kg. E isso acabou com uma das premissas de todo esportivo BMW, que é a perfeita distribuição de peso entre os eixos. Isso porque os quase 300 kg extras ficaram concentrados na frente.

Continua após a publicidade

A distribuição de peso passou a ser de 70% na dianteira e 30% na traseira, deixando o roadster completamente desbalanceado.

BMW Z3 V12 lateral
Divulgação/BMW

Sem levar isso em consideração, a BMW finalizou o protótipo, pintando-o com a chamativa cor “Kyalami Orange” e o cedeu à revista alemã, Autozeitung, para que sua nova criação passasse pelo seu primeiro — e único, até onde sabemos — teste.

Foram corajosos, porque o BMW Z3 V12 decepcionou na pista. Com o peso extra no eixo dianteiro o carro apresentou uma grande tendência ao subesterço, ou seja, saía muito de frente. É exatamente o que não se espera de um esportivo com tração traseira. 

Detalhe motor V12 do BMW Z3
Divulgação/BMW

Para piorar, a distribuição de peso dificultou a aderência nas rodas traseiras, dificultando a transferência de toda a força para o asfalto. Mesmo com todas as modificações feitas na estrutura do roadster, mais os pneus 225/45 R17 dianteiros e 245/40 R17 traseiros, não conseguiram evitar o inevitável: o carro se tornou quase impossível de dirigir.

BMW ZR V12
Divulgação/BMW

Mesmo assim, o teste foi finalizado. O Z3 V12 atingia de 0 a 100 km/h em 5,5 segundos e tinha velocidade máxima de 263 km/h. Um desempenho semelhante ao do Z3 M, que fazia de 0 a 100 km/h em 5,4 segundos e tinha velocidade máxima limitada a 250 km/h. Ou seja: o experimento realmente não fazia sentido. 

Interior BMW Z3 V12
Divulgação/BMW

Com o fracasso, a BMW escondeu o Z3 experimental a sete chaves em seus depósitos. A história só voltou a ser lembrada em 2012, quando a própria marca contou ao público geral sobre sua experiência, através do Facebook.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital

Capa 749
Arte/Quatro Rodas
Continua após a publicidade

Publicidade