Baterias de carros elétricos viciam como a do seu celular, diz pesquisa

Empresa canadense constatou que refrigeração da bateria e alguns fatores externos interferem na vida útil da bateria

BMW i3 Wallbox Recarga completa das baterias leva menos de 4h no caso do BMW i3

Recarga completa das baterias leva menos de 4h no caso do BMW i3 (BMW/Divulgação)

Se você tem um smartphone certamente já notou que, com o passar do tempo, a bateria do aparelho passa a durar cada vez menos.

Pois a empresa de telemática canadense Geotab constatou em estudo recente que o mesmo ocorre com as baterias utilizadas por carros elétricos.

Entretanto, não é algo que seja tão preocupante. Isso porque, segundo o estudo que tomou por base 6.300 veículos elétricos ao redor do mundo, as baterias perdem, em média, 2,3% de sua capacidade por ano.

Nesse ritmo elas terão vida útil maior que os veículos alimentados.

Carregamentos frequentes no modo rápido também pode desgastar a bateria

Carregamentos frequentes no modo rápido também pode desgastar a bateria (Divulgação/Volkswagen)

De acordo com a Geotab, a maneira pela qual a bateria é refrigerada ou aquecida pode interferir no tamanho da perda de capacidade.

Em um dos testes realizados foram comparados um Tesla Model S 2015 e um Nissan Leaf do mesmo ano.

A bateria do Tesla, que tem um sistema de refrigeração líquida, teve uma degradação de 2,3% por ano, enquanto a do Leaf, que tem refrigeração a ar, perdeu 4,2% de sua capacidade anualmente.

Nissan Leaf, que tem refrigeração das baterias a ar, demonstrou mais desgaste nos testes

Nissan Leaf, que tem refrigeração das baterias a ar, demonstrou mais desgaste nos testes (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Ainda segundo a empresa canadense, a degradação não ocorre em um ritmo linear. Ou seja, em alguns anos pode haver pouca redução da capacidade, para depois ocorrer uma queda brusca na autonomia.

141202wcy-04.jpg Tesla Model S tem sistema de refrigeração líquida, sistema que demonstrou desgastar menos a bateria

Tesla Model S tem sistema de refrigeração líquida, sistema que demonstrou desgastar menos a bateria (divulgação/Tesla)

O estudo constatou também que fatores como armazenamento do veículo, temperatura ambiente e modo de carregamento contribuem negativa ou positivamente para a manutenção da bateria.

Um veículo elétrico que é utilizado em temperaturas quentes, por exemplo, terá uma degradação maior em comparação àquele dirigido em temperaturas mais amenas.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s