Clique e assine por apenas 8,90/mês

Tesla já tem 250 mil pedidos pela Cybertruck, e vai até antecipar produção

Empresa pode ter arrecadado US$ 25 milhões (R$ 104 milhões) com sinais antecipados para reserva da picape elétrica, prometida para 2021

Por Renan Bandeira - 9 dez 2019, 14h52
Cybertruck é a primeira picape elétrica da Tesla Divulgação/Tesla

A Tesla afirma já ter registrado mais de 250 mil pedidos da Cybertruck durante a pré-venda. Por conta disso, decidiu até inverter o processo de fabricação da picape elétrica.

O veículo foi apresentado em três versões: a de entrada, com um motor elétrico; a intermediária, com dois; a topo de linha, com três.

O plano da marca era iniciar a produção pelas versões mais básica em 2021, lançando a mais potente e equipada apenas em 2022. Entretanto, o alto número de pedidos pela configuração com três motores levou a fabricante a mudar os planos.

Veículo foi apresentado como indestrutível Divulgação/Tesla

Em sua conta no Twitter, o presidente e fundador da empresa, Elon Musk, afirmou que, dos 146 mil pedidos feitos assim que a pré-venda do modelo foi iniciada, 41% eram destinados à versão de topo. 42% queriam a intermediária e só 17%, a de entrada.

Continua após a publicidade

Dessa forma, a Tesla decidiu mudar a ordem e deixou a variante de um motor para 2022 e antecipou a entrega da intermediária e topo de linha para 2021.

Além da alta procura, a mudança também tem sua recompensa financeira, afinal, a versão de dois motores custa US$ 49.900 (R$ 207 mil) e a de três, US$ 69.900 (cerca de R$ 290 mil).

Já a mais básica sai por US$ 39.900 (cerca de R$ 166 mil). Ou seja: ao antecipar a entrega da mais cara, a Tesla também antecipará sua previsão de rentabilidade.

Capacidade de arrasto da picape muda de acordo com as versões Divulgação/Tesla

Até o momento, a empresa teria recebido pelo menos 250 mil pedidos da Cybertruck, segundo Musk, com um sinal de US$ 100 por veículo. Assim, a Tesla pode ter arrecadado cerca de US$ 25 milhões (R$ 104 milhões) em sinais antecipados.

Continua após a publicidade

Embora tenha conseguido um bom capital para iniciar a produção, a empresa ainda precisa alinhar a picape com a legislação americana para ela rodar sem problemas no país.

Diferença das versões

Picape ainda não pode rodar nos EUA por não estar de acordo com a legislação Divulgação/Tesla

As variações não são distintas apenas nos preços. O único motor elétrico da versão de entrada dá tração para o eixo traseiro e faz a picape acelerar de 0 a 100 km/h em 6,5 segundos, e atingir uma máxima de 177 km/h.

A camionete pode carregar 1.587 quilos e arrastar outros 3.401 quilos de reboque, segundo dados oficiais da fabricante. A bateria tem autonomia prometida de 402 km.

Com dois motores e tração integral, o 0 a 100 km/h fica em 4,5 segundos, com máxima de 193 km/h e capacidade de reboque de 4.355 kg. A bateria dura 482 km.

Continua após a publicidade

O melhor desempenho é da topo de linha, por razões óbvias. Com tração nas quatro rodas e três propulsores, ela vai de 0 a 100 km/h em meros 2,9 segundos. A bateria faz a picape rodar 804 km e ela ainda tem força para puxar 6.350 kg.

Publicidade