Clique e Assine QAUTRO RODAS por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Aventador SVJ: os segredos do Lamborghini mais rápido da história

Nova versão é tão potente quanto o superesportivo Centenario, mas é ainda mais rápida em Nürburgring

Por Henrique Rodriguez Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
24 ago 2018, 11h32
Versão tem motor mais potente e aerodinâmica ativa mais avançada (Lamborghini/Divulgação)

A Lamborghini apresenta no Concurso de Elegância de Pebble Beach, neste final de semana, o Aventador SVJ (SuperVeloce Jota). Não é apenas uma nova versão do esportivo, mas o Lamborghini mais rápido da história até agora.

Seu motor V12 6.5 aspirado foi otimizado para gerar 780 cv (770 hp) a 8.500 rpm e 73,4 mkgf de torque a 6.750 rpm. Em outras palavras, tem 30 cv a mais que o atual Aventador S e a mesma potência do Lamborghini Centenario.

Esportivo é tão rápido quanto o raro Lamborghini Centenario (Lamborghini/Divulgação)

Para falar a verdade, o Aventador e o Centenario são igualmente rápidos. Ambos vão de zero a 100 km/h em 2,8 segundos e alcançam os 200 km/h após 8,6 s com o pé no porão. Mas o novo Aventador é mais rápido em Nürburgring: cravou 6 minutos e 44,97 segundos no circuito alemão. 

Continua após a publicidade
Preocupação com aerodinâmica resultou em mudanças nas tomadas de ar e até no assoalho (Lamborghini/Divulgação)

O segredo do SVJ está em sua aerodinâmica ativa mais avançada do que aquela estreada pelo Lamborghini Huracán Performante no ano passado.

Batizada de Aerodinamica Lamborghini Attiva 2.0 (ou apenas ALA 2.0), ela tem novos desenhos para as tomadas e ar e dutos, e também novas estratégias para romper o ar de forma a melhorar a aderência do esportivo.

De acordo com a Lamborghini, as tomadas de ar laterais são mais largas. Além disso, entra na conta o grande difusor traseiro que obrigou a marca a instalar as saídas de escape em posição mais alta e o novo aerofólio traseiro.

Continua após a publicidade
Extrator maior fez com que as saídas de escape fossem deslocadas para cima (Lamborghini/Divulgação)

O ALA funciona com abas aerodinâmicas frontais e traseiras que são ativadas em menos de 500 milissegundos para garantir o melhor set-up aerodinâmico. Há dois cenários, o de maior apoio aerodinâmico (downforce) e o de menor arrasto.

O primeiro é ideal para curvas de alta velocidade, mas que também ajuda a melhorar as frenagens. Já o segundo entra em cena em fortes acelerações e é providencial para alcançar a velocidade máxima, de 350 km/h.

Abas dianteiras permitem que o ar passe de forma mais eficiente sob assoalho (Lamborghini)

Quando o ALA não está ativado, as abas ativas estão fechadas para gerar o apoio aerodinâmico. Neste momento o aerofólio gera o máximo de força vertical possível, grudando o carro no asfalto.

Assim que o sistema de gerenciamento do veículo ativa o ALA, as abas sobre o motor  se levantam para diminuir o efeito do aerofólio traseiro. Neste momento, abas frontais se abrem para reduzir a pressão sobre o spoiler da frente.

O aerofólio traseiro transmite o máximo downforce possível quando o ALA está inativo (Lamborghini/Divulgação)

Desta forma o fluxo de ar é direcionado para canais desenhados no assoalho do carro, onde há geradores de vórtices que reduzem o arrasto e otimizam as condições para máxima aceleração.

Continua após a publicidade

O ALA também pode atuar de forma independente nas abas de cada lado do Aventador SVJ, de acordo com a direção da curva, para aumentar a pressão aerodinâmica – e, consequentemente, a aderência – na roda interna da curva. É uma estratégia que contraria a transferência de carga e a rolagem da carroceria.

Interior do Aventador SVJ pode ser todo personalizado pelo comprado (Lamborghini/Divulgação)

É isso que faz a diferença em traçados como Nürburgring. De quebra, todas essas estratégias geram apoio aerodinâmico é 40% maior em comparação com o Aventador SV

O Aventador SVJ ainda tem tração integral e esterçamento das quatro rodas, como o Aventador S. Ainda tem barras estabilizadoras 50% mais rígidas e amortecedores magnéticos 15% mais firmes que os do Aventador SV.

Continua após a publicidade
O Aventador SVJ 63 terá apenas 63 unidades produzidas (Lamborghini/Divulgação)

Já o câmbio (ainda o automatizado de uma embreagem com sete marchas) faz trocas mais rápidas e tem acerto que prioriza o uso em circuitos. O peso de 1.525 kg (seco) ainda garante a excelente relação peso/potencia de 1,98 kg/cv.

A Lamborghini ainda será mais generosa desta vez. Se o Centenario teve apenas 40 unidades produzidas, o Aventador SVJ terá 900. E a série especial Aventador SVJ 63 não entra na conta: serão 63 unidades com uso extenso de fibra de carbono e compósitos na carroceria, além de sua configuração única de cores e adesivos. 

Continua após a publicidade
Nesta série limitada o teto tem fibra de carbono exposta (Lamborghini/Divulgação)
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Quatro Rodas impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.