Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Quanto custa manter um Lamborghini rodando por 400.000 km?

Gastos com combustível, manutenção e reparos podem ter chegado a R$ 2 milhões!

Por Henrique Rodriguez Atualizado em 30 nov 2020, 10h34 - Publicado em 28 abr 2017, 19h18
Como carro de locadora, este Lamborghini Murciélago rodou tanto quanto um táxi
Como carro de locadora, este Lamborghini Murciélago rodou tanto quanto um táxi Divulgação/Quatro Rodas

Superesportivos não são compras racionais. O inglês Simon George descobriu isso na prática: hipotecou todos os seus bens para dar entrada no financiamento de um Lamborghini Murciélago.

Em 2004, o carro custava 180 mil libras, o equivalente a R$ 740 mil. Para arcar com prestações de 3 mil libras (R$ 12.300 hoje) ele precisou usar o Murciélago para fazer dinheiro: passou a alugar para eventos e track days.

Hoje George tem o Lamborghini moderno mais rodado do mundo, com 400.000 km – tanto quanto um táxi paulistano com cinco anos de uso – e uma das maiores locadoras de carros exóticos do Reino Unido, com 28 carros.

Seria um case de empresário de sucesso para a Exame. Contudo, o que nos interessa saber como é e quanto custa manter um superesportivo por 13 anos.

Para a Car And Driver americana, George falou dos gastos que teve com sua macchina italiana.

Considerando que o V12 6.2 de 580 cv faz média de 5 km/l com gasolina premium, foram pouco mais de 84.000 libras gastos em combustível, o equivalente a cerca de R$ 500 mil (para facilitar a compreensão, vamos citar os valores convertidos em reais no restante da matéria).

Continua após a publicidade

Motor e câmbio ainda são originais do carro, mas o cabeçote já foi retificado três vezes – por duas vezes a culpa foi esticador da correia dentada do motor, defeito crônico dos Murciélago mais rodados. Os três serviços somam R$ 200 mil.

O carro está com o oitavo kit de embreagem. Detalhe: a troca da embreagem exige a retirada do motor, um serviço demorado e caro.

O esportivo também trocou de pneus 21 vezes (ou seja, foram comprados 84 pneus), quase sempre acompanhadas de trocas das pastilhas de freio foram trocadas ao mesmo tempo. A troca dos discos de freio se repetiu por 13 vezes, sempre a cada 30.000 km. Também entra na conta os gastos com impostos e seguro, aproximadamente R$ 140 mil.

Mas o seguro não cobriu um acidente no circuito de Chobham em 2012. A pista estava molhada, o cliente perdeu o controle do carro e colidiu com uma árvore. O motorista e o instrutor não se machucaram, mas o Lambo teve danos no teto, na frente e o chassi foi danificado. O conserto demorou nada menos que quatro anos e custou R$ 365 mil.

Colisão com árvore afetou frente, teto e até o chassi
Colisão com árvore afetou frente, teto e até o chassi Reprodução/Quatro Rodas
Conserto do superesportivo demorou quatro anos. A foto mostra como alinharam o chassi novamente
Conserto do superesportivo demorou quatro anos. A foto mostra como alinharam o chassi novamente Reprodução

Os gastos totais ao longo dos treze anos e 400.000 km são estimados, por baixo, em 498 mil libras, quase três vezes o valor do carro quando novo. Convertendo para nossa moeda, são R$ 2,02 milhões!

O Murciélago recuperado, com as rodas do modelo 2006 e sem as partes da carroceria pintadas de preto
O Murciélago recuperado, com as rodas do modelo 2006 e sem as partes da carroceria pintadas de preto Reprodução/Quatro Rodas

Hoje, os Murciélago pouco rodados são vendidos por mais do que custaram novos. Mas George acredita que seu carro, que proporcionou prazer de dirigir a tanta gente, tenha mais valor dividido em peças do que inteiro.

E por sinal, ele nem pensa em se desfazer do carro: o esportivo é seu carro do dia a dia e está nos planos uma viagem com ele até a fábrica da Lamboghini em Sant’Agata Bolognese, na Itália.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade